Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Língua Portuguesa : 800 anos

 

 

 

 

http://images.cdn.impresa.pt/

 

É verdade. Hoje, 27 de Junho, a nossa língua, a Língua Portuguesa celebra 800 anos, data em que o primeiro texto oficial foi conhecido. Trata-se do testamento de D. Afonso II, em 1214.

 

Apesar de ser rei e soberano absoluto, D. Afonso II, em 27 de Junho de 1214, escreveu um texto, não um decreto. Afonso II escreveu apenas o seu testamento, usando a língua que já existia e já era usada pelo seu povo, antes de ele a usar também.

 

"O simbolismo deste momento e desse marco é que é a primeira vez que isso foi feito. Nunca antes dele, um Rei, um Estado, um soberano usara a nossa língua, escrevera oficialmente a nossa língua."

 

 

 

 http://www.hardmusica.pt/

 

Para assinalar a data vai ser entregue um manifesto no Padrão dos Descobrimentos, em Lisboa.  O documento, que pretende destacar a importância da língua portuguesa no mundo, é subscrito por vários politicos, músicos, escritores, professores e jornalistas de Portugal, Cabo Verde, Timor e Guiné-Bissau.

 

O "Manifesto 2014 - 800 anos da Língua Portuguesa" é uma iniciativa que pretende celebrar os oito séculos do Português, tendo como base o testamento de D. Afonso II (1214), o mais antigo documento régio e oficial escrito em língua portuguesa.

 

A apresentação oficial do "Manifesto 2014" e da respectiva lista definitiva de subscritores vai decorrer no Padrão dos Descobrimentos, em Belém.

 

 

http://www.google.pt/


A cerimónia começará com a apresentação de 16 poemas dos oitos países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) - Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

 

"Nós, em Timor-Leste, vamos fazer os possíveis para que dentro de alguns anos seja uma língua falada em todo o território e que as novas gerações possam também comunicar em português", afirmou à agência Lusa.

 

O chefe da diplomacia timorense considerou que o manifesto é uma forma de "honrar a língua portuguesa que hoje é falada em todos os continentes do mundo."

 

Lindo não é? E vem de Timor-Leste este elogio à língua portuguesa. Como é bom saber que uma língua pode ser motivo de respeito e honras por parte de um país que não Portugal.


O "Manifesto 2014" traduz a "consciencialização de que a língua portuguesa é para o futuro, uma poderosa ferramenta no contexto da globalização", disse à Lusa José Ribeiro e Castro, um dos promotores da iniciativa do Movimento 2014.

 

 

Créditos : SIC

O "Manifesto 2014" traduz a "consciencialização de que a língua portuguesa é para o futuro, uma poderosa ferramenta no contexto da globalização", disse à Lusa José Ribeiro e Castro, um dos promotores da iniciativa do Movimento 2014.

 

Ao início da tarde, em Belém, vão ser ainda lançados 800 balões.

 

 

 

 Língua Portuguesa

https://1.bp.blogspot.com/

 

Quem melhor do que falar língua portuguesa do que os nossos escritores, Miguel Torga, Fernando PessoaManuel António Pina, Agustina Bessa-Luís, entre muitos outros, as nossas 'poetas' Natália Correia, Sophia Mello Breyner ou José Luis Peixoto que esteve à conversa com um grupo de alunos e comigo, há uns anos,  Luisa Dacosta, uma lista interminável, já que somos um país de poetas e escritores.

Há dois dias, aqui no Porto, o filho de Sophia, Miguel Sousa Tavares em  "Porto de Encontro" na Casa da Música, disse que a melhor homenagem que se pode prestar hoje a Sophia de Mello Breyner Andresen é o reconhecimento de que a sua obra continua "deslumbrantemente actual".

O jornalista, filho da poeta, afirmou que, perante um país "onde a selecção nacional vale mais do que a língua" e que é caracterizado pelo "novo-riquismo" e pela "piroseira literária", "a melhor homenagem que se pode fazer à escrita de Sophia, dez anos após a sua morte, é reconhecer que ela continua deslumbrantemente actual."

 

 

http://mensagens.culturamix.com/

 

 

"Pedra, luz, fruto, manhã, mar, vento, nisto todos nos reconhecemos, por isso citamos de cor os seus poemas e passamos de geração em geração os seus livros infantis, com que tantos de nós aprendemos o fascínio da leitura"

 

Miguel Sousa Tavares

 

Pede-se assim que a Língua Portuguesa seja melhor tratada e se acabe de vez com um pseudo acordo ortográfico.

 

 

A Professora GSouto

 

27.06.2014

 

 Creative Commons License

 

Referências :

 

SIC | Notícias

Público | Cultura

Jornal Hard Música

 

Dia Internacional da Biblioteca Escolar : Os Ciganos, obra póstuma de Sophia Andresen

 

 

dia-biodiversd2012.jpg

 

 

Dia Internacional das Bibliotecas Escolares 2012

http://www.rbe.mec.pt/

 

 

" Os livros pertencem aos leitores"

 

John Green

 

Hoje é de novo um dia muito especial! É o Dia Internacional das Bibliotecas Escolares. A partir de 2007, o IALS passou a denominar "Mês Internacional da Biblioteca Escolar" para permitir aos responsáveis pelas Bibliotecas Escolares, em todo o mundo, escolher um dia, em Outubro, que melhor se adeque à sua comunidade escolar, de modo a celebrar a importância das bibliotecas nas escolas.

 

O Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares decidiu declarar o dia 22 de Outubro como o Dia das Bibliotecas Escolares, permitindo assim que as escolas preparem atempadamente as actividades específicas a realizar nesse dia, independentemente das acções que possam levar a efeito noutros dias do mês.

 

 

mesbibliotecaescolar2103.jpg

 

Mês Internacional da Biblioteca Escolar

http://www.iasl-online.org/

 

 

Tema 2012:

 

Para celebrar esta data, a IASL propôs como tema:

 

"Bibliotecas escolares: uma chave para o passado, presente e futuro".

 

"Uma chave para o passado, porque sem memória e transmissão do conhecimento seria impossível receber a herança e património de saberes, que hoje nos identifica a todos; uma chave para o presente, porque só através do domínio da informação e gestão do conhecimento, que configuram a nossa era, podemos dar continuidade a esse legado, enriquecê-lo e projetá-lo no tempo; uma chave para o futuro, porque este dependerá sempre da ação, expectativas e capacidade de gerir as mudanças com que o desejamos tecer."

 

 

 

ciganossofia.jpg

 

 

Os Ciganos 

obra póstuma

Sophia Mello Breyner & Pedro Sousa Tavares

ilustração: Danuta Wojciechowska

https://www.fnac.pt/

 

Saber +

 

Assim, neste dia tenho para partilhar convosco um conto inédito de Sophia Mello Breyner muito especial.

 

Imaginem que uma das filhas da autora descobriu no espólio literário da mãe, na primavera de 2009, um conto inédito inacabado. Ao dar a conhecer a obra à família, um dos netos de Sophia M. Breyner, Pedro Sousa Tavares, jornalista, decidiu concluir.

 

Os Ciganos é portanto um livro escrito a 4 mãos por avó e neto, em dois momentos separados por quase 50 anos. É então de autoria de Sophia de Mello Breyner e Pedro Sousa Tavares com ilustrações de Danuta Wojciechowska.

 

 

ciganossofia2.gif

 

 

Os Ciganos

obra póstuma

Sophia Mello Breyner & Pedro Sousa Tavares

Porto Editora

http://multimedia.fnac.pt/

 

 

Ir + longe:

 

«Houve uma preocupação, do ponto de vista do estilo, de respeitar o que era um pilar da escrita da Sophia de Mello Breyner, que era a simplicidade, e a simplicidade que não é nada simples, não é?, uma simplicidade que é muito trabalhada, que é a capacidade de cada palavra ter o seu lugar, não estar ali a mais...»

 

Pedro Sousa Tavares in Diário Câmara Clara

 

O livro foi publicado no dia 15 deste mês pela Porto Editora. E a apresentação aconteceu na Livraria Bertrand do Chiado (Lisboa).

 

 

 

 

 

Uma excelente surpresa, não é mesmo? Espero que gostem ! Eu vou ler !

 

Bibliotecas escolares

 

A biblioteca continua a ser um espaço de descoberta: descoberta de um livro que nos leva a aventuras inesperadas; descoberta de um poema que nos toca e responde aquele pensamento que bailava no nosso espírito desde 'a semana passada'; descoberta de que, afinal, não estamos sós no mundo e que há alguém que pensa como nós...

 

Bom, de certeza que a vossa biblioteca escolar está hoje mais animada! A biblioteca continua a ser um espaço de descoberta, de encontro, de partilha, de convívio. 

 

 

luisa-dacosta-livro3.jpg

 

 

O Rapaz que Sabia Acordar a Primavera

Luisa Dacosta

ilustração: Cristina Valadas

Leya editores

http://www.leyaonline.com/pt/

 

 

Lembram certamente o nosso encontro com Cristina Valadas que foi o nosso último projecto (2009) e que teve um enorme sucesso na comunidade escolar.

 

Tantas leituras, debates, quanta azáfama nas aulas, na biblioteca. Tivemos ainda o nosso encontro com António Manuel Venda (2001) - quanta criatividade, e quanta alegria - que nos levou a estudar o Conto numa partilha de aprendizagens, experiências, em moldes inovadores, na época.

 

 

antonio-manuel-venda.jpg

 

 

O Amor por entre os Dedos

António Manuel Venda

editora Ambar

http://floresta-do-sul.blogspot.pt/2009/

 

A biblioteca pode ser o centro do saber, do passado, no presente, e para o futuro. E já sabem, a verdadeiro trabalho de pesquisa começa sempre na biblioteca que hoje terá à vossa disposição imensos recursos multmédia a par dos livros e enciclopédias.

 

Não deixem de ler todos os dias, ir à biblioteca da escola nos tempo livres para ficarem a conhecer as novidades e requsitar um novo livro. Quem sabe "Os Ciganos" estará brevemente à vossa disposição...

 

 Boas leituras! 

 

A Professora GSouto

 

22.10.2012

 

Licença Creative Commons

  

Referências:

Câmara Clara | Facebook

Créditos video: Porto Editora

 

Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor

 

http://3.bp.blogspot.com
 

" A Língua Portuguesa é um "bem precioso" e os portugueses devem tratá-la melhor."

 

 José Saramago, 23.04.08

 

 Fundo do mar

 

 No fundo do mar há brancos pavores,

Onde as plantas são animais

E os animais são flores.

 

Mundo silencioso que não atinge

A agitação das ondas.

Abrem-se rindo conchas redondas,

Baloiça o cavalo-marinho.

 

Um polvo avança

No desalinho

Dos seus mil braços,

Uma flor dança,

Sem ruído vibram os espaços.

 

Sobre a areia o tempo poisa

Leve como um lenço.

 

Mas por mais bela que seja cada coisa

Tem um monstro em si suspenso.

 

Sohia de Mello Breyner-Andresen, Obra Poética I, Caminho

 

Actividades:

 

  • Leitura de vários autores de língua portuguesa e não portuguesa;
  • Estudo dos direitos de autor e das regras de utilização de textos e/ou imagens
  • Transcrição e publicação nesta postagem, de poemas seleccionados pelos alunos das várias turmas.

 

Mas acima de tudo, leiam, leiam livros que vos agradem, parilhem opiniões. 

 

A Professora GSouto

 

24.04.2008

 

 Licença Creative Commons