Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Dia do Livro Português ! Leia !

 

dia-livro-portugues.png

 

Dia do Livro Português

créditos: Autor não identificado

 

No dia 26 de Março celebra-se o Dia do Livro Português. A data foi sugerida pela Sociedade Portuguesa de Autores por ser o dia em que começou a ser impresso o primeiro livro em Portugal : “Pentateuco” em hebraico.

O livro foi impresso em 1487, pelas oficinas do judeu Samuel Gacon na Vila-a-Dentro, em Faro.

 

dia-livro-portugues-1livropt.jpg

 

Constituições que fez o Senhor Dom Diogo de Sousa, Bispo

http://tipografos.net/historia/

 

O primeiro livro totalmente português foi impresso a 4 de Janeiro de 1497 no Porto: “Constituições que fez o Senhor Dom Diogo de Sousa, Bispo do Porto”.

Foi impresso pelo primeiro impressor português Rodrigo Álvares (séc. XV).

 

 

dia-livro-portugues2021-autores.png

 

créditos: © Tiago Albuquerque

 

São inúmeros os livros de autores portugueses que temos publicado neste blogue. É uma questão de fazer uma pesquisa ao longo dos anos, desde 2005.

 

 

dia-livro-portugues-pessoa.jpeg

 

créditos : Autor não identificado

 

 

Ler livros portugueses é a melhor forma de homenagear os escritores portugueses. Algumas sugestões das muitas que poderão encontar em BlogdosCaloiros:

 

Agustina Bessa-Luís

 

 

agustina-vento, areia e amoras bravas1a.jpg

 

 

Vento, Areia e Amoras Silvestres

Agustina Bessa Luís

https://img.bertrand.pt/

 

Nota: Vento, Areia e Amoras Bravas de Agustina Bessa Luís, obra recomendada para o 3º ciclo, destinado a leitura autónoma, pelo Plano Nacional de Leitura.

 

 

agustina-sibila.jpg

 

 

A Sibila

Agustina Bessa Luís

Relógiod'Água, 2017

https://relogiodagua.pt/

 
 
A Sibila é um romance que olha de frente para o ser humano, sem o subtrair aos costumes, às tradições enraizadas - família, comunidade, religião - e ao preconceito em que cada ser se molda.
 
É através deste olhar que surge Quina, a Sibila, uma personagem única na sua complexidade, onde "o humano é exemplo desse redemoinho de forças, através do qual se abre um conflito - o conflito de estar vivo e o que isso implica de luta, aceitação e incomunicabilidade."
 
Nota: Ensino Secindário.
 
 
Luisa Ducla Soares:
 
 
 

mostra-luisa-ducla-soares-historia-da-Papoila.jpg

 

História da Papoila

Luisa Ducla Soares

ilustração: Sandra Abata

https://www.fnac.pt/

 

 
Nota: Literatura infantil e juvenil :  Primário; 2º ciclo, 5º ano.
 
 
 
 

mostra-luisa-ducla-soares-livro-cavl.jpg

 

 

A Cavalo no Tempo

Luisa Ducla Soares

https://www.fnac.pt/

 

«Este livro de poesia destina-se a quem, como tu, anda «a cavalo no tempo» e ainda há de «ser gente crescida com força para trabalhar» e ter um rol histórias para recordar."

 

Luísa Ducla Soares é conhecida sobretudo como escritora de literatura infantil. Mas a sua obra está longe de ficar por aí.

 

Nota: Ensino Primário

 

Sophia de Mello Breyner:

 

 

 

 

Mar Novo

Sophia de Mello Breyner Andresen

https://www.fnac.pt/

 

Na poesia de Sophia Mello Breyner, encontramos muitas vezes a infância e a juventude, o Mar (podemos encontrar muitos dos seus poemas sobre este tema no Oceanário de Lisboa), a Cidade (muitas vezes em contraste com o campo) e o Tempo.

 

Nota: 3º ciclo; Secundário.

 

Hélia Correia:

 

 

A Chegada de Twainy | Hélia Correia

Ilustrações Rachel Caiano

http://relogiodaguaeditores.blogspot.pt/

 

Em jeito de apresentação deste livro com fadas, leiamos o que Hélia Correia respondeu numa entrevista, à pergunta “Como nasceu a Twainy ?” :

 

«A Twainy existiu primeiro como nome, porque um priminho meu, um dos meus meninos – tenho muitos meninos, muitos amiguinhos –, muito pequenino, a primeira vez que veio ver-me, achou que eu era tia, e chamou-me Twainy, que era o nome que ele dava às tias. E eu achei que o nome era muito bonito e fiquei com o nome. Não só a Twainy dele, como pensei: este nome é muito bonito, este nome vai existir de qualquer modo. Depois, numa loja que eu frequento muito e que também tem assim muitas coisas invulgares, encontrei uma bonequinha com asas de tule. Esta bonequinha, com um aspecto muito, enfim, antifeérico, quando a vi pensei, olha aquela é a Twainy.

 

Nota: 3º ciclo; Secundário.

 
 
Eduardo Lourenço:
 
 
 
 

eduardo-lourenço-Fernando Rei da Nossa Baviera.jp

 

Fernandp Rei da Nossa Baviera

Eduardo Lourenço

Imprensa Nacional - Casa da Moeda. Lisboa, 1986

via O Homem dos Livros (alfarrabista)

https://www.homemdoslivros.com/

 

Numa época que se busca acima de tudo competências, mais do que aprendizagens, um dos melhores pensadores do século XX ler Eduado Lourenço é fundamental para desenvolver as competências mais necessárias ao estudante da actualidade.

 

Nota: Ensino Secundário.

 

Actividades:

 

Como já referi, são muitos os autores portugueses com referência a alguns do seus livros publicados neste blogue.

 

  • Faça uma pesquisa cuidada e encontrará imensas propostas de leitura bem como actividades a sugerir aos seus alunos.

 

  • Se é estudante, nada melhor do que seguir estes passos e procurar o livro ou autor português que pretende, para suas próximas leituras solicitadas ou não pelos seus professores.

 

A Professora GSouto

 

26.03.2021

 

Licença Creative Commons

Natal em família : Um natal um pouco diferente este ano

 

natal2020a.jpg

 

Natal

decoração via Pinterest

 

Os festejos de Natal 2020 vão acontecer “com o máximo cuidado”. Deve-se estar à mesa “o mínimo de tempo possível”, passando o resto do tempo de máscara.

 

“Cada um de nós é um risco e o risco é tanto maior, quantos mais formos”

Primeiro Ministro

 

Apesar de não anunciar mais restrições para o Natal, apelou às famílias que se reorganizem de forma a minimizar os contágios.

 

 

 

https://endomarketing.tv/

 

A maior parte dos países europeus estabeleceu um número limite por família, para ceia de Natal. Portugal não. Mas sabemos como é importante cada família reunir os familiares que vivem sobretudo na mesma casa.

 

Quanto aos avós, é importante pô-los à mesa, em lugar à mesa destacado dos outros. Talvez nos topos da mesa? Para minimizar contágios.

 

E a propósito de avós, partilhem este video com vossos filhos, para que compreendam a importância afectiva dos avós...

 

 

 

 

E se de todo em todo não for possível os avós  juntarem-se à família, não esqueçam as redes sociais para os ver e partilhar a ceia de Natal via Zoom, videochamada via Facebook, ou WhatsApp para que não se sintam tão sós.

 

 

Jackas, o pai natal português

 

Quanto às crianças, passem o máximo de alegria e bem-estar. Não deixem de de dizer a 'mentirinha' que o Pai Natal existe,  aos mais pequenos. E para os outros?

 

 

maria-keil-noite-natal-sophia.jpg

 

A Noite de Natal

Sophia de Mello Breyner Andresen

illustrações: Maria Keil

edições Ática, 1959

 

Livros para lerem é uma boa opção! Relembrar dois contos clássicos que tão bem se adaptam ao tempo que estamos a viver. A Noite de Natal de Sophia de Mello Breyner e Um Conto de Natal de Charles Dickens.

 

maria-keil-noite-de-natal-pinheiro.jpg

 

A Noite de Natal

Sophia de Mello Breyner Andresen

illustrações: Maria Keil

edições Ática, 1959

 

Sinopse:

 

A consoada em casa de Joana é cheia de abundância e alegria. Contudo, a menina lembra-se do seu amigo Manuel, que nem vai ter presentes nem uma mesa farta nessa noite tão especial. Decide, por isso, ir ter com ele e dar-lhe o que recebeu. Guiada por uma estrela, Joana descobre, nessa noite, o verdadeiro Natal.

 

 

maria-keil-noite-natal-presepio.jpg

 

A Noite de Natal

Sophia de Mello Breyner Andresen

illustrações: Maria Keil

edições Ática, 1959

 

Um livro que nos transporta para uma época que se repete, neste ano de confinamento em que tantas crianças terão um Natal diferente devido às dificuldades dos pais, em tempos de pandemia.
 
 

natal2020-um-cantico-natal.png

 

Um Cântico de Natal

Charles Dickens

Relógio d'Água, 2016

 

Um Cântico de Natal é uma das histórias mais famosas da literatura e, sem dúvida, o conto de Natal por excelência. Um Cântico de Natal, tradução de Christmas Carol (1843) é talvez o mais dickensiano dos contos. 

 

É que só Charles Dickens poderia, a propósito do Natal, criar personagens como Scrooge, o pequeno Tim, e os três Espíritos do Natal Passado, Presente e Futuro, e acrescentar-lhes o Fantasma de Marley.

 

Este livro tem passado de geração em geração, acompanhado do desejo do autor de que "assombre as casas dos leitores de forma agradável, e que ninguém deseje apaziguá-lo".

 

 

A Christmas Carol

Charles Dickens

1ª edição, 1843

 

Dickens escreveu obras em que denunciavam a vida difícil dos operários na sociedade industrial emergente. A postura essencialmente sentimental expressou-se com muita nitidez nos seus contos de Natal.

 

"Um daqueles raros livros que deu expressão a algo enorme. Acredito que a própria vivência do Natal foi tocada por estas páginas.(…) Uma obra que nos faz pensar e que nos faz sentir. É por isso que continuará a ser lida, não importa quantos séculos passem. As questões que levanta nunca perderão atualidade (…)."


José Luís Peixoto in Prefácio

O livro Um Cântico de Natal, de Charles Dickens que fala do verdadeiro espírito da quadra natalícia, foi eleito pelo escritor José Luís Peixoto para integrar a coleção "Os Livros da Minha Vida"

É certo que há muitas histórias ligadas ao Natal ou não que podem oferecer aos mais novos, mas estes dois clássicos da literatura mundial devem ser incluidos nas leituras dos mais novos, neste Natal 2020.

 

Vai tudo correr bem! Partilhem alegria em família, levando em conta todas as recomendações para que as crianças não fiquem sejam o menos afectadas possível neste Natal diferente,

 

Volto brevemente! Para todos um Bom Natal!

 

A Professora GSouto

 

19.12.2020

 

Licença Creative Commons

Língua Portuguesa : 800 anos

 

 

 

 

http://images.cdn.impresa.pt/

 

É verdade. Hoje, 27 de Junho, a nossa língua, a Língua Portuguesa celebra 800 anos, data em que o primeiro texto oficial foi conhecido. Trata-se do testamento de D. Afonso II, em 1214.

 

Apesar de ser rei e soberano absoluto, D. Afonso II, em 27 de Junho de 1214, escreveu um texto, não um decreto. Afonso II escreveu apenas o seu testamento, usando a língua que já existia e já era usada pelo seu povo, antes de ele a usar também.

 

"O simbolismo deste momento e desse marco é que é a primeira vez que isso foi feito. Nunca antes dele, um Rei, um Estado, um soberano usara a nossa língua, escrevera oficialmente a nossa língua."

 

 

 

 http://www.hardmusica.pt/

 

Para assinalar a data vai ser entregue um manifesto no Padrão dos Descobrimentos, em Lisboa.  O documento, que pretende destacar a importância da língua portuguesa no mundo, é subscrito por vários politicos, músicos, escritores, professores e jornalistas de Portugal, Cabo Verde, Timor e Guiné-Bissau.

 

O "Manifesto 2014 - 800 anos da Língua Portuguesa" é uma iniciativa que pretende celebrar os oito séculos do Português, tendo como base o testamento de D. Afonso II (1214), o mais antigo documento régio e oficial escrito em língua portuguesa.

 

A apresentação oficial do "Manifesto 2014" e da respectiva lista definitiva de subscritores vai decorrer no Padrão dos Descobrimentos, em Belém.

 

 

http://www.google.pt/


A cerimónia começará com a apresentação de 16 poemas dos oitos países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) - Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

 

"Nós, em Timor-Leste, vamos fazer os possíveis para que dentro de alguns anos seja uma língua falada em todo o território e que as novas gerações possam também comunicar em português", afirmou à agência Lusa.

 

O chefe da diplomacia timorense considerou que o manifesto é uma forma de "honrar a língua portuguesa que hoje é falada em todos os continentes do mundo."

 

Lindo não é? E vem de Timor-Leste este elogio à língua portuguesa. Como é bom saber que uma língua pode ser motivo de respeito e honras por parte de um país que não Portugal.


O "Manifesto 2014" traduz a "consciencialização de que a língua portuguesa é para o futuro, uma poderosa ferramenta no contexto da globalização", disse à Lusa José Ribeiro e Castro, um dos promotores da iniciativa do Movimento 2014.

 

 

Créditos : SIC

O "Manifesto 2014" traduz a "consciencialização de que a língua portuguesa é para o futuro, uma poderosa ferramenta no contexto da globalização", disse à Lusa José Ribeiro e Castro, um dos promotores da iniciativa do Movimento 2014.

 

Ao início da tarde, em Belém, vão ser ainda lançados 800 balões.

 

 

 

 Língua Portuguesa

https://1.bp.blogspot.com/

 

Quem melhor do que falar língua portuguesa do que os nossos escritores, Miguel Torga, Fernando PessoaManuel António Pina, Agustina Bessa-Luís, entre muitos outros, as nossas 'poetas' Natália Correia, Sophia Mello Breyner ou José Luis Peixoto que esteve à conversa com um grupo de alunos e comigo, há uns anos,  Luisa Dacosta, uma lista interminável, já que somos um país de poetas e escritores.

Há dois dias, aqui no Porto, o filho de Sophia, Miguel Sousa Tavares em  "Porto de Encontro" na Casa da Música, disse que a melhor homenagem que se pode prestar hoje a Sophia de Mello Breyner Andresen é o reconhecimento de que a sua obra continua "deslumbrantemente actual".

O jornalista, filho da poeta, afirmou que, perante um país "onde a selecção nacional vale mais do que a língua" e que é caracterizado pelo "novo-riquismo" e pela "piroseira literária", "a melhor homenagem que se pode fazer à escrita de Sophia, dez anos após a sua morte, é reconhecer que ela continua deslumbrantemente actual."

 

 

http://mensagens.culturamix.com/

 

 

"Pedra, luz, fruto, manhã, mar, vento, nisto todos nos reconhecemos, por isso citamos de cor os seus poemas e passamos de geração em geração os seus livros infantis, com que tantos de nós aprendemos o fascínio da leitura"

 

Miguel Sousa Tavares

 

Pede-se assim que a Língua Portuguesa seja melhor tratada e se acabe de vez com um pseudo acordo ortográfico.

 

 

A Professora GSouto

 

27.06.2014

 

 Creative Commons License

 

Referências :

 

SIC | Notícias

Público | Cultura

Jornal Hard Música

 

Dia Internacional da Biblioteca Escolar : Os Ciganos, obra póstuma de Sophia Andresen

 

 

dia-biodiversd2012.jpg

 

 

Dia Internacional das Bibliotecas Escolares 2012

http://www.rbe.mec.pt/

 

 

" Os livros pertencem aos leitores"

 

John Green

 

Hoje é de novo um dia muito especial! É o Dia Internacional das Bibliotecas Escolares. A partir de 2007, o IALS passou a denominar "Mês Internacional da Biblioteca Escolar" para permitir aos responsáveis pelas Bibliotecas Escolares, em todo o mundo, escolher um dia, em Outubro, que melhor se adeque à sua comunidade escolar, de modo a celebrar a importância das bibliotecas nas escolas.

 

O Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares decidiu declarar o dia 22 de Outubro como o Dia das Bibliotecas Escolares, permitindo assim que as escolas preparem atempadamente as actividades específicas a realizar nesse dia, independentemente das acções que possam levar a efeito noutros dias do mês.

 

 

mesbibliotecaescolar2103.jpg

 

Mês Internacional da Biblioteca Escolar

http://www.iasl-online.org/

 

 

Tema 2012:

 

Para celebrar esta data, a IASL propôs como tema:

 

"Bibliotecas escolares: uma chave para o passado, presente e futuro".

 

"Uma chave para o passado, porque sem memória e transmissão do conhecimento seria impossível receber a herança e património de saberes, que hoje nos identifica a todos; uma chave para o presente, porque só através do domínio da informação e gestão do conhecimento, que configuram a nossa era, podemos dar continuidade a esse legado, enriquecê-lo e projetá-lo no tempo; uma chave para o futuro, porque este dependerá sempre da ação, expectativas e capacidade de gerir as mudanças com que o desejamos tecer."

 

 

 

ciganossofia.jpg

 

 

Os Ciganos 

obra póstuma

Sophia Mello Breyner & Pedro Sousa Tavares

ilustração: Danuta Wojciechowska

https://www.fnac.pt/

 

Saber +

 

Assim, neste dia tenho para partilhar convosco um conto inédito de Sophia Mello Breyner muito especial.

 

Imaginem que uma das filhas da autora descobriu no espólio literário da mãe, na primavera de 2009, um conto inédito inacabado. Ao dar a conhecer a obra à família, um dos netos de Sophia M. Breyner, Pedro Sousa Tavares, jornalista, decidiu concluir.

 

Os Ciganos é portanto um livro escrito a 4 mãos por avó e neto, em dois momentos separados por quase 50 anos. É então de autoria de Sophia de Mello Breyner e Pedro Sousa Tavares com ilustrações de Danuta Wojciechowska.

 

 

ciganossofia2.gif

 

 

Os Ciganos

obra póstuma

Sophia Mello Breyner & Pedro Sousa Tavares

Porto Editora

http://multimedia.fnac.pt/

 

 

Ir + longe:

 

«Houve uma preocupação, do ponto de vista do estilo, de respeitar o que era um pilar da escrita da Sophia de Mello Breyner, que era a simplicidade, e a simplicidade que não é nada simples, não é?, uma simplicidade que é muito trabalhada, que é a capacidade de cada palavra ter o seu lugar, não estar ali a mais...»

 

Pedro Sousa Tavares in Diário Câmara Clara

 

O livro foi publicado no dia 15 deste mês pela Porto Editora. E a apresentação aconteceu na Livraria Bertrand do Chiado (Lisboa).

 

 

 

 

 

Uma excelente surpresa, não é mesmo? Espero que gostem ! Eu vou ler !

 

Bibliotecas escolares

 

A biblioteca continua a ser um espaço de descoberta: descoberta de um livro que nos leva a aventuras inesperadas; descoberta de um poema que nos toca e responde aquele pensamento que bailava no nosso espírito desde 'a semana passada'; descoberta de que, afinal, não estamos sós no mundo e que há alguém que pensa como nós...

 

Bom, de certeza que a vossa biblioteca escolar está hoje mais animada! A biblioteca continua a ser um espaço de descoberta, de encontro, de partilha, de convívio. 

 

 

luisa-dacosta-livro3.jpg

 

 

O Rapaz que Sabia Acordar a Primavera

Luisa Dacosta

ilustração: Cristina Valadas

Leya editores

http://www.leyaonline.com/pt/

 

 

Lembram certamente o nosso encontro com Cristina Valadas que foi o nosso último projecto (2009) e que teve um enorme sucesso na comunidade escolar.

 

Tantas leituras, debates, quanta azáfama nas aulas, na biblioteca. Tivemos ainda o nosso encontro com António Manuel Venda (2001) - quanta criatividade, e quanta alegria - que nos levou a estudar o Conto numa partilha de aprendizagens, experiências, em moldes inovadores, na época.

 

 

antonio-manuel-venda.jpg

 

 

O Amor por entre os Dedos

António Manuel Venda

editora Ambar

http://floresta-do-sul.blogspot.pt/2009/

 

A biblioteca pode ser o centro do saber, do passado, no presente, e para o futuro. E já sabem, a verdadeiro trabalho de pesquisa começa sempre na biblioteca que hoje terá à vossa disposição imensos recursos multmédia a par dos livros e enciclopédias.

 

Não deixem de ler todos os dias, ir à biblioteca da escola nos tempo livres para ficarem a conhecer as novidades e requsitar um novo livro. Quem sabe "Os Ciganos" estará brevemente à vossa disposição...

 

 Boas leituras! 

 

A Professora GSouto

 

22.10.2012

 

Licença Creative Commons

  

Referências:

Câmara Clara | Facebook

Créditos video: Porto Editora

 

Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor

 

http://3.bp.blogspot.com
 

" A Língua Portuguesa é um "bem precioso" e os portugueses devem tratá-la melhor."

 

 José Saramago, 23.04.08

 

 Fundo do mar

 

 No fundo do mar há brancos pavores,

Onde as plantas são animais

E os animais são flores.

 

Mundo silencioso que não atinge

A agitação das ondas.

Abrem-se rindo conchas redondas,

Baloiça o cavalo-marinho.

 

Um polvo avança

No desalinho

Dos seus mil braços,

Uma flor dança,

Sem ruído vibram os espaços.

 

Sobre a areia o tempo poisa

Leve como um lenço.

 

Mas por mais bela que seja cada coisa

Tem um monstro em si suspenso.

 

Sohia de Mello Breyner-Andresen, Obra Poética I, Caminho

 

Actividades:

 

  • Leitura de vários autores de língua portuguesa e não portuguesa;
  • Estudo dos direitos de autor e das regras de utilização de textos e/ou imagens
  • Transcrição e publicação nesta postagem, de poemas seleccionados pelos alunos das várias turmas.

 

Mas acima de tudo, leiam, leiam livros que vos agradem, parilhem opiniões. 

 

A Professora GSouto

 

24.04.2008

 

 Licença Creative Commons