Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Voltando a Anne Frank : novos dados históricos ?

 

 

anne-frank1.jpg

 

 

créditos: Casa Anne Frank

 http://annefrank.org

 

 

 

 

 Documento autêntico: diário e foto de Anne Frank

créditos: Casa Anne Frank

 http://annefrank.org

 

Anne Frank é um rosto que todos nós conhecemos. Lemos o seu Diário de Anne Frank, fizemos investigação de informação sobre a II Guerra Mundial e perseguição aos Judeus feita pelo regime hitleriano.

 

Visitámos o seu museu virtual, a Casa de Anne Frank e lemos tantos outros livros relacionados com famílias de origem judaica que foram perseguidos, uns baseados em factos verídicos, como Quando Hitler me Roubou o meu Coelho Cor-de-Rosa de Judith Kerr, O Mundo em que Vivi de Ilse Losa, e outros ficcionados, mas muito perto da realidade O Rapaz do Pijama às Riscas, A Menina que Roubava Livros, entre outros.

 

 

 

 

Família Anne Frank & amigos esconderijo

http://o-diario-de-annefrank.tumblr.com/historia

 

Saber +

 

Anne Frank, pais, irmã e alguns amigos de origem judaica, viveram durante cerca de dois anos, escondidos num exíguo anexo na cidade holandesa de Amesterdão, sabendo que qualquer passo em falso seria fatal.

 

O esforço seria em vão. No dia 4 de Agosto de 1944, as autoridades descobriram o esconderijo e prenderam todos os residentes.

 

 

 

Família Frank

créditos: Casa Anne Frank

 http://annefrank.org

 

Dos oito detidos, sete acabariam por morrer em campos de concentração, incluindo Anne. Durante anos, Otto Frank, o pai de Anne, o único sobrevivente do grupo, tentou descobrir quem teria traído a família, denunciando o local onde se encontrava.

 

Agora, passados setenta e dois anos, um grupo de investigadores parece sugerir uma outra teoria: afinal, os agentes podem ter descoberto o local por pura coincidência.

 

 

 

 

Entrada para o Anexo

créditos: Casa Anne Frank

 http://annefrank.org

 

A investigação é da autoria do próprio Museu Anne Frank. Ainda que não afastem totalmente a hipótese de a família ter sido traída por algum informador ao serviço do regime, como tem sido defendido, os investigadores acreditam que as autoridades nazis encontraram a família de Anne Frank de forma completamente fortuita.

 

Na verdade, quando entraram no número 263 da Prinsengracht, as secretas alemãs podiam estar a investigar um caso de fraude envolvendo cupões de racionamento ou até um caso de trabalho ilegal.

 

 

 

Casa Anne Frank

créditos: Casa Anne Frank

 http://annefrank.org

 

“Nas actividades diárias, os investigadores [da divisão de Haia] frequentemente encontravam esconderijos de judeus por acaso”, pode ler-se no estudo.

 

O pai de Anne, Otto Frank, sugeriu sempre que a família tinha sido traída, e apontou alguns possíveis responsáveis. o que influenciou durante décadas as investigações dos historiadores.

 

O estudo agora divulgado vem acrescentar uma nova perspectiva histórica. vamos continuar a acompanhar.

 

 

 

 

Diário Anne Frank

créditos: Casa Anne Frank

 http://annefrank.org

 

 

anne-frank-bergen-belsen.jpg

 

 

Campo de concentração Bergen-Belsen

créditos: Casa Anne Frank

 http://annefrank.org

 

Anne Frank, como sabemos morreu no campo de concentração alemão Bergen-Belsen aos 15 anos, poucos dias antes da libertação de todos os prisioneiros com a derrota dos Alemães e o final da Guerra 14-18.

 

O seu diário escrito antes da prisão e deportação, onde retrata o terror que viveu durante aqueles anos, tornou-se um dos relatos mais marcantes sobre esse tenebroso período da história da Europa.

 

 

  

 

The Diary of Anne Frank, 1959

O Diário de Anne Frank

http://www.imdb.com/

 

 

 

The Diary of Anne Frank/ DVD

O Diário de Anne Frank

http://www.imdb.com/

  

 

Actividades:

 

  • Pesquisa neste blogue sobre os vários posts dedicados a Anne Frank;
  • Ler o Diário de Anne Frank. Está incluido no PNL. Mas mais do que isso. Há momentos históricos que não devem ser esquecidos;
  • Explorar recursos na biblioteca/mediateca da escola:  livros, DVD, ebooks sobre o tema;
  • Visita virtual à Casa de Anne Frank;
  • Propôr uma visita escolar - férias Páscoa, final ano lectivo - a Amesterdão para visitar a Casa Anne Frank com os alunos.

 

A Porofessora GSouto

 

06.02.2017

 

Licença Creative Commons

Referências:

 

Casa Anne Frank/ Anne Frank House/ New Perspectives Arrest

Observador/ Holocausto

 

PNL - A Ilha na Rua dos Pássaros - 6I

 

 

livro-ilha-passaros1.jpg

 

 

 A Ilha na Rua dos Pássaros

Uri Orlev

www.ambar.pt

 

 "A nossa rua não foi baptizada por causa das aves que andavam no quarto piso, mas a minha mãe disse-me donde lhe viera o nome. Há muito, muito tempo, antes de haver automóveis, havia uma avenida de árvores no meio da rua debaixo de cujos ramos as carruagens puxadas por cavalos passavam. Já fora há tanto tempo que a minha mãe não se lembrava disso. Só a avó se recordava. Ela dizia que essas árvores estavam carregadas de pássaros. Milhares e milhares deles. Por isso deram à rua o nome de Rua dos Pássaros." (...)

 

 Uri Orlev, A Ilha na Rua dos Pássaros, Âmbar Editora

(excerto)



 

 

Une île, rue des oiseaux

Uri Orlev

 https://livre.fnac.com/


Tradução do livro Une île, rue des oiseaux, que conta a história verídica de Uri Orlev na personagem Alex.

Alex, menino de onze anos, judeu polaco, vê o mundo cair à sua volta durante a II Guerra Mundial. 
 
 

livro-ilha-passarod-UriOrlev.JPG

 

 

Uri Orlev

https://pt.wikipedia.org/

 

Biografia: 

 

Uri Orlev, nome real, Jerzy Henryk Orlowski (em hebraico: אורי אורלב) é um escritor e tradutor hebraico de origem polaca.

 

Nasceu em Varsóvia, na Polónia. Passou os primeiros anos da Segunda Guerra Mundial no 'Gueto' de Varsóvia. 

 

 

livro-illha-passaros-uri_orlev.jpg

 

 

Crianças a comer na cozinha do Gueto de Varsóvia, Polónia

Arquivo

https://photos.yadvashem.org/

 

Depois de conseguir fugir do gueto e ser escondido por famílias polacas, Orlev e o seu irmão seriam enviados para o campo de concentração de Bergen-Belsen. Libertados dois anos depois, imigraram para Israel.

 

Orlev já publicou 29 livros para crianças e jovens, bem como ficção para adultos. Também é  tradutor ( polaco/ hebraico).

 

Os seus livros estão traduzidos em 38 idiomas. Orlev ganhou o Prémio Hans Christian Andersen em 1996, entre outros.

 

Livro aconselhado pelo Plano Nacional de Leitura para leitura orientada.

 

Sabes que o livro A Ilha na Rua dos Pássaros aborda o acontecimento histórico tenebroso, que teve lugar durante a II Guerra Mundial, o Holocausto. Um assunto que estudámos e desenvolvemos actividades curriculares, ao lermos o livro O Mundo em que Vivi de Ilse Losa.

 

No próximo dia 27 Janeiro é Dia Internacional da Memória do Holocausto. Para que o mundo não esqueça os horrores de um dos acontecimentos mais trágicos da História da Europa.

 

 

A Ilha dos Pássaros

Uri Orlev

slide: Ana Paula Oliveira

http://image.slidesharecdn.com/

 

 Ficha Digital

 

A. Leitura

 1. Comenta a leitura feita em sala de aula, ao longo dos vários dias.

2. No final da leitura integral, regista neste post um curto excerto que mais te tenha impressionado.

 

B. Expressão escrita

 

 1. Dá um final diferente

2. Cria um novo capítulo (trabalho de grupo)

 
C. Comentário final

Comenta o horror que adolescentes da tua idade viveram durante a 2ª Guerra Mundial
(máximo 8 linhas)



 A Professora GSouto

 

 21.01.2007

 

Licença Creative Commons