Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Ciência : Primeira foto de Black Hole ! Parabéns cientista Katie Bouman !

 

Google Doodle celebra a 1ª imagem de um Black Hole

doodler: Nate Swinehart 

https://www.google.com/doodles/

 

Hoje, dia 11 Abril 2019, Google celebra a primeira imagem de um Buraco Negro/ Black Hole com um Doodle criado literalmente 'feito em cima do joelho' por um dos criativos/doodlers da Google.

 

Habitualmente, estas criações são o resultado de várias semanas (ou até meses) de planeamento e rascunhos.  Mas este foi em cima do acontecimento. Ciente da importância científica deste feito, o criativo/doodler Nate Swinehart não perdeu tempo e criou todo o conceito deste Doodle no seu carro, enquanto ia para o trabalho. Parabéns!

 

doodle-black-hole.jpg

 

 

rascunho do Doodle

doodler: Nate Swinehart 

@unlevelednate

 

Google Doodle:

 

O Doodle começa por nos apresentar as palavra Google com um quadrado em branco ao centro, onde é apresentada a fotografia do buraco negro após um 'flash'.

 

Depois de tirada a fotografia, aparece o evento característico dos buracos negros. O centro da fotografia começa a 'aspirar' todos os conteúdos da imagem, acabando por se consumir a si próprio.

 

Nate Swinehart não é um novato neste tipo de criações. Foi responsável por vários Doodles referentes a astros. Para Swinehart, este tipo de eventos são uma excelente oportunidade para criar algo que deixe as pessoas interessadasa neste tipo de acontecimentos.

 

 

black-hole-katie-bouman2.jpg

 

Programadora Katie Bouman

responsável pelo algorítmo que revelou imagem

via  Facebook

 

 

Programadora Katie Bouman:

 

E quem foi a responsável pela prineira foto do buraco negro? Chama-se Katie Bouman, tem 29 anos e foi graças a ela que o mundo assistiu a um marco histórico ontem, dia 10 Abril: a divulgação da primeira fotografia de sempre de um buraco negro.

 

 

 

 

1ª fotografia de Black Hole

https://eventhorizontelescope.org/

 

A jovem cientista foi quem liderou a criação de um algoritmo que permitiu captar a imagem real nunca antes vista pelo Homem, e que veio comprovar a Teoria da Relatividade Geral de Albert Einstein, divulgada há mais de um século, isto é, em 1915.

 

 

black-hole-katie-bouman1.jpg

 

Programadora Katie Bouman

via Facebook

 

Foi em Junho que Katie Bouman e outros investigadores viram pela primeira vez o resultado de vários anos de trabalho e investigação: um “anel de fogo”, criado pela deformação do espaço-tempo, formado pelas ondas de luz que não foram sugadas pelo buraco. Mas Bouman e os colegas tiveram de guardar este segredo durante muito tempo.

 

A imagem foi revelada ao mundo ontem, dia 10 Abril e Bouman pode, finalamente, partilhar o feito publicamente. No Facebook, a investigadora publicou uma fotografia do momento em que assistiu ao processamento da imagem pela primeira vez.

 

 

black-hole-katie-bouman.png

 

Programadora Katie Bouman

via Facebook

 

A cientista explicou ao MIT News que tentar tirar uma fotografia de um buraco negro é como “tentar fotografar uma laranja na Lua, mas com um radiotelescópio”.

 

"Imaginar algo tão pequeno significa que precisamos de um telescópio com 10 mil quilómetros de diâmetro, o que não é prático porque o diâmetro da Terra não chega a 13 mil quilómetros”

 

Katie Bouman

 

Por isso, não foi usado apenas um, mas vários radiotelescópios, localizados em diferentes pontos do globo.

 

Ora, o algoritmo de Bouman foi decisivo no processamento final da imagem, rendendo os dados recolhidos pelos vários radiotelescópios.

 

 

black.hole-margaret-hamilton.jpg

 

 

Programadora Margaret Hamilton

créditos: NASA

https://www.nasa.gov/

 

O MIT comparou mesmo o algoritmo de Bouman ao código da cientista Margaret Hamilton, que permitiu a viagem do Homem à Lua.

 

Apesar da importância do seu contributo, Bouman realça o esforço colectivo desta investigação, o projecto Event Horizon, que envolveu uma equipa de 200 investigadores de todo o mundo, entre astrónomos, engenheiros e matemáticos.

 

 

black-hole-katie-bouman3.png

 

 

via Katie Bouman

Facebook

 

Bouman admitiu que se questiona sobre formas de envolver mais mulheres na ciência.

 

"Às vezes penso sobre isso. Como podemos envolver mais mulheres? Um ponto-chave pode ser mostrar que o trabalho em ciências da computação ou em engenharia não é só sentar no laboratório e montar um circuito ou escrever código no computador. (…) É trabalhar com pessoas de todo o mundo, é ir a telescópios que estão a mais de 4.000 metros de altitude. É trabalhar para captar a primeira fotografia de um buraco negro.”

 

 

Bouman é agora professora assistente de computação e ciências matemáticas no Instituto de Tecnologia da California, em Pasadena, mas diz que vai continuar a trabalhar com o projeto Event Horizon.

 

A Professora GSouto

 

11.04.2019

 

Licença Creative Commons

 

Nettie Stevens, a bióloga que descobriu a diferença de cromossomas no género

 

nettie-stevenson1.jpg

 

Nettie Maria Stevens

 

Nettie Maria Stevens foi uma bióloga e geneticista norte-americana. A ela se atribui a descoberta dos cromossomos que distinguem as mulheres e os homens. 

 

Poucos anos depois da redescoberta dos escritos de Gregor Mendel sobre genética, em 1900, Nettie observou que machos de larvas produziam dois tipos de esperma, um com um cromossomo grande e um com um pequeno. 

 

 

Google Doodle Nettie Stevens 155º Aniversário

http://www.google.com/doodles/

 

Google Doodle:

 

Nettie Stevens é homenageada com um Doodle, hoje dia 7 Julho. O Doodle  assinala o 155.º aniversário da bióloga norte-americana Nettie Stevens que descobriu que mulheres e homens têm diferentes cromossomas. 

 

Nettie Stevens ficou portanto célebre devido a esta descoberta notável: alguns tipos de cromossomas são diferentes entre os sexos. A bióloga foi pioneira ao descobrir que certos cromossomas poderiam estar associados aos atributos físicos dos indivíduos, sobretudo o género.

 

O seu nome está associado a essa descoberta que permitiu um avanço na ciência. Hoje, 155 anos depois do nascimento da norte-americana, Google presta-lhe uma homenagem. O team da Google que tem a seu cargo a criação de Doodles tem uma grande admiração pelas mulheres. E as cientistas são talvez aquelas que mais Doodle têm merecido.

 

 

 

Nettie Maria Stevens,1904

http://www.dnaftb.org/

 

Saber +

 

Nettie Maria Stevens nasceu em Cavendish, em Vermont, no dia 7 Julho 1861. Filha de um carpinteiro, pôde prosseguir os seus estudos, porque o pai fez questão de assegurar meios financeiros para a formação académica dos filhos.

 

Logo na escola Nettie Stevens mostrou, as suas enormes potencialidades. Foi a melhor aluna da escola tendo sempre notas altas.

 

Depois da morte da mãe, o pai voltou a casar-se e a família mudou-se para Westford, Massachusetts.

 

Em 1896, Nettie vai para a Califórnia para estudar na Leland Stanford University. Aí concluiu a licenciatura em biologia, a ciência que sempre a apaixonou. Concluiu o seu B.A. in 1899 (equivalente à nossa licenciatura) e o M.A. (mestrado) em 1900.

 

A sua tese versou sobre a marinha, as novas espécies, numa análise muito completa. Era o prenúncio do que viria a ser o trabalho de Nettie Stevens, na ciência: a investigação séria que a levou a grande descobertas científicas, nomeadamente a especificidade do sexo em espécies animais.

 

Nettie Stevens morreu aos 50 anos devido a uma doença cancerígena no dia 4 Maio 1912 em Baltimore, Maryland. 

 

 

nettieStevens1.jpg

 

 

Nettie Stevens

http://www.columbia.edu/cu/alumni/

 

Ir + longe:

 

Nettie Stevenson passou também pelo Bryn Mawr College, onde realizou uma brilhante investigação, no seu trabalho de pós-graduação. Nessa universidade leccionava Thomas Hunt Morgan, um dos mestres da genética.

 

O talento inato de Nettie foi mais uma vez comprovado pelos trabalhos que realizou naquela instituição de ensino.

 

 

Microscópio de Nettie Stevens no Bryn Mawr College

https://en.wikipedia.org/

 

Mais tarde a bióloga viajou para a Europa, graças a uma bolsa de estudo. Exerceu funções académicas no Instituto Zoológico de Würzburg, na Alemanha. Trabalhou também no laboratório de outro biólogo célebre: Theodor Boveri.

 

O alemão Boveri realizava, então, um trabalho sobre os cromossomas. Supõe-se que foi aí que nasceu em Nettie a paixão por esta área em que viria a notablizar-se.

 

nettieStevens2.png

 

Nettie Stevens

https://www.pinterest.com/

 

Em meados de 1904, realizou um estágio no Instituto Carnegie, graças a diversas recomendações de Thomas Hunt Morgan, mas também de outras personalidades como Edmund Wilson e M. Carey Thomas, o presidente de Bryn Mawr.

 

Como parte do estágio de Nettie Stevens, tinha também o cargo de docente. Mas era em laboratório que Nellie Stevens se sentia melhor. Queria saber mais. 

 

Desenvolveu com sucesso pesquisas no campo da genética, citologia e embriologia.

 

Apesar de ter uma carreira curta, devido à sua doença, Nellie publicou mesmo assim cerca de 40 artigos científicos.

 

Nettie Stevens foi a primeira a descobrir que as espécies do sexo feminino possuem cromossomas maiores. Abriu pois os caminhos para novas descobertas no campo da ciência.

 

 

 

Busto Alice Palmer

https://en.wikipedia.org/

 

 

Curiosidades:

 

Nettie foi admitida na Alice Freeman Palmer Fellowship da Association of Collegiate Alumnae, agora American Association of University Women. Durante seu primeiro ano, Stevens estudou na Naples Zoological Station e na University of Wurzburg além de visitar laboratórios em toda a Europa.

 

Actividades:

 

Eu sei que estão já em férias. Ou preocupados com os resultados dos exames. Mas fica a informação sobre mais uma importante cientista que poderá servir de incentivo a muitas jovens estudantes para prosseguirem os seus estudos universitátios na área das Ciências.

 

NettieStevens foi uma das primeiras mulheres cientistas que fez o seu nome por si própria no campo das ciências biológicas.

 

No entanto, não deixem de pesquisar no blog diferentes posts sobre mulheres cientistas. Eis alguns nomes Sally RideEmmy NoetherDorothy Hodgkin, Grace HopperAda Lovelace, Marie Curie, entre muitos outros. Google não esquece estas cientistas, e relembra-as com Doodles alusivos às suas investigações.

 

A Professora GSouto

 

07.07.2016

 

 Licença Creative Commons

 

 

Conhece a matemática Emmy Noether ? Recursos

 

Noether.jpg

 

 

Amalie Emmy Noether

http://upload.wikimedia.org/

 

Emmy Noether foi uma matemática alemã, conhecida pelas suas contribuições de fundamental importância nos campos de física teórica e álgebra abstracta. Considerada por David Hilbert, Albert Einstein, Hermann Weyl e outros, como a mulher mais importante na história da matemática.

 

Emmy Noether, cujo percurso impressionou o físico Albert Einstein, foi a primeira mulher a ser admitida como professora universitária, numa época em que a maior parte das mulheres nem sequer podiam matricular-se no ensino universitário.

 

Google Doodle:

 

doodle-emmy-noether.jpg

 

 

Google Doodle Emmy Noether

Doodler : Sophie Diao

https://www.google.com/

 

Hoje, dia 23 Março 2015, o motor de busca Google celebra o 133.º aniversário do nascimento da matemática alemã Emmy Noether com um Doodle.

 

Emmy Noether, o génio mais criativo no campo da matemática, que fez contribuições inovadoras nos campos da álgebra abstracta e da física teórica, e que ao mesmo tempo que superou o sexismo profundamente arraigado na sua área de investigação.

 

Saber +

 

Emmy Noether nasceu a 23 Março de 1882, na Baviera, Alemanha, numa família dedicada aos números.

 

No início da sua vida escolar, quis ser professora de inglês e francês, mas em 1909 seguiu os passos da familia e especializou-se em Matemática na Universidade de Gottinger.

 

 

emmy-noether5.jpg

 

Emmy Noether

créditos: Sam Falconer

https://www.sciencenews.org/

 

Obteve os primeiros conhecimentos aprofundados na ciência exacta assistindo clandestinamente às aulas de seu pai, Max Noether, que era professor universitário.

 

Pouco depois conseguiu matricular-se e começou a liderar conferências, após o convite do professor David Hilbert, mesmo contra a maioria dos professores que se manifestaram contra esta nova actividade da matemática.

 

noether_postcard_1915.jpg

 

 

Emmy Noether, postal, 1915

http://upload.wikimedia.org/


A carreira de Emmy Noether, enquanto professora, começou depois de concluir a sua tese, quando foi substituir seu pai, cargo que preencheu durante sete anos, mesmo sem receber ordenado.

 

Após este período, Emmy Noether foi convidada por David Hilbert e Felix Klein a integrar o departamento de Matemática da Universidade de Göttingen, um dos mais prestigiados centros mundiais daquela ciência.

 

 

noether2.png

 

 

Emmy Noether

http://www.thephysicsmill.com/

 

A Matemática foi revolucionada com as suas teorias sobre álgebra abstracta. Na Física também deixou a sua marca com um teorema que tem o seu próprio nome e defendeu que "cada simetria corresponde a uma lei de conservação e vice-versa".

 

Ao todo, Emmy Noether deixou-nos 45 trabalhos de investigação. Foi também a inspiradora de grandes referências da Matemática como Max Deuring, Hans Fitting, Chiungtze Tsen e Olga Taussky Todd.

 

 

 

Emmy Noether

http://www.amt.edu.au/

 

Amalie Emmy Noether mudou-se para o Bryn Mawr College, na Pensilvânia, Estados Unidos, em 1933, depois de a Alemanha nazi ter destituído os judeus de quaisquer cargos universitários.

 

Emmy Noether morreu em 1935, aos 53 anos,  nos Estados Unidos. A causa da morte da matemática alemã terá sido uma infecção pós-operatória quatro dias depois de uma intervenção cirúrgica.

 

Albert Enstein defendeu que Emmy Noether foi "a mulher mais importante da história da Matemática". Ela simboliza a mulher que enfrentou o preconceito, o totalitarismo, abraçando a ciência como a sua paixão.

 

 

emmy-noether-book.jpg

 

 

La Extraordinaria Emmy Noether

conto criado pela Universidade do Chile

ilustrações: Paloma Valdivia

https://mujeresconciencia.com/

 

 

Livro:

 

Leitura digital : Informações sobre o conto La Extraordinaria Emmy Noether (castelhano) criado em equipe do Núcleo Milenio Modelos Estocásticos de Sistemas Complejos y Desordenados de la Universidad de Chile e Pontificia Universidad Católica de Chile, com ilustrações de Paloma Valdivia. Ler aqui

 

 

 

 

La Extraordinaria Emmy Noether

conto criado pela Universidade do Chile

ilustrações: Paloma Valdivia

https://mujeresconciencia.com/

 

Actividades:

 


  • Partir do Doodle, para motivar os alunos a conhecer esta mulher matemática, precursora na área da ciência, nomeadamente álgebra e física, currículos que oferecem algumas dificuldades a alguns alunos;

 

  • Motivar as alunas para as áreas da ciência e da matemática, através do diálogo;

 

  • Pesquisa em sites da especialidade, validados pelos professores curriculares.

 

  • Depois da leitura digital do conto de literatura juvenil, La Extraordinaria Emmy Noether (castelhano) abrir o debate sobre a mulher no campo das ciências e da matemática

 

  • Debate sobre o papel da mulher na ciência e na carreira docente. 

 

É frequente haver hoje em dia nas turmas, jovens alunas com uma aptência nata para as matemática. Há que valorizar e incentivar a seguir a área das Matemáticas aplicadas, mesmo enfrentando, ainda hoje, sérios constrangimentos, sobretudo na carreira de investigação ou carreira docente universitária.

 

Este será um excelente momento para alertar alguns educadores de modo a apoiar o mais possível o percurso escolar das alunas.

 

Para alunas mais dotadas na área de Matemática, incentivar à leitura de livros biográficos, e/ou baseados nas teorias desta mulher matemática de finais do séc. XIX e início do séc. XX.

 

A Professora GSouto

 

23.03.2015

 

Licença Creative Commons

Dorothy Hodgkin, sabe quem foi ? Prémio Nobel da Química : recursos

 

 

dorothy1.jpg

 

 

Química  Dorothy Hodgkin

http://www.rsc.org/diversity/

 

Dorothy Hodgkin foi uma cientista britânica, na área da Química, que desenvolveu um trabalho aprofundado sobre 

as estruturas tridimensionais das moléculas, o que a levou a receber o Prémio Nobel da Química em 1964.

 

Doodle:

 

 

 

 

 

Google doodle 104º Aniversário de Dorothy Hodgkin

https://www.google.com/doodles/

 

Google homenageia hoje, dia 12 de Maio, o104º aniversário de Dorothy Hodgkin, dedicando-lhe um Doodle que remete para as estruturas tridimensionais das moléculas. Foi-lhe atribuído o Prémio Nobel da Química em 1964.

 

 

dorothy2.jpg

 

Dorothy Hodgkin

créditos:  J.S. Lewinski

 National Portrait Gallery, London

https://www.npg.org.uk/collections/

 

Dados biográficos:

 

Dorothy Mary Crowfoot Hodgkin nasceu no Cairo, Egipto, a 12 de Maio de 1910. Tinha a nacionalidade britânica, apesar das suas origens egípcias, filha de um arqueólogo, director da Escola Britânica de Arqueologia de Jerusalém.


Sua mãe acompanhava o marido nos trabalhos de arqueologia e dedicava-se também à botânica. Mas Dorothy Hodgkin nunca se sentiu atraída pela arqueologia. Desde a adolescência sentiu-se mais vocacionada para a química.
 

Teve aulas privadas, tendo em vista a aprovação no exame de admissão à Universidade de Oxford, na área de Química, na unidade feminina daquela instituição. E Dorothy Hodgkin conseguiu  entrar em Oxford, em 1928, com apenas 18 anos de idade.

 

 

 

 

Dorothy Hodgkin

http://upload.wikimedia.org/

 

Depois de concluir o curso, Dorothy prosseguiu os estudos na Universidade de Cambridge, onde conclui o doutoramento, em 1937, ano em que se casa com o historiador Thomas Lionel Hodgkin. É nesta altura que a química britânica se começa a notabilizar.

 

O reconhecimento mundial ocorreu em 1964, quando foi distinguida com o Prémio Nobel da Química, que reconhece a valia do seu estudo sobre a estrutura das proteínas. Dorothy Hodgkin conseguiu determinar a estrutura da vitamina B12.

 

A cientista aprofundou os estudos na área das biomoléculas, determinandi a sua estrutura tridimensional, através da cristalografia de raios X.

 

Do encontro com inúmeros investigadores, nasceu, em 1947, a União Internacional de Cristalografia, que tem Dorothy Hodgkin como principal impulsionadora.

 

Ao longo de 35 anos, Dorothy Hodgkin fez investigações sobre a estrutura da penicilina e também da insulina - esta última considerada extremamente complexa na época.

 

 

 

 

Modelo molecular da  Penicilina de Dorothy Hodgkin c 1945

http://upload.wikimedia.org/

 

É pois este seu estudo que inspira o Google doodle de hoje. Se fosse viva, completaria 104 anos. A idade do cineasta português, Manoel de Oliveira.

 

A partir de 1969, Dorothy percorre o mundo para  participar em palestras onde abordava a importância da insulina na diabetes.

 

 

 

 

Dorothy Hodgkin celebrada com um selo no Reino Unido

http://www.chemheritage.org/

 

Mesmo com a saúde debilitada, devido a uma artrite reumatoide, Dorothy Hodgkin prosseguiu o seu trabalho, ao longo de anos. Morreu em Ilmington, a 29 de Julho de 1994, vítima de um AVC.

 

Mais um exemplo de mulher dedicada à ciência,  tornando-se uma inspiradora para muitas jovens e mulheres que seguem a Quíimica. Tal como Grace Hoper, a primeira mulher programadora que teve também direito a doodle. Estou convencida que Google aprecia as mulheres que se notabilizam em qualquer área. E com razão.

 

 {#emotions_dlg.meeting}

Actividades:

 

Curiosos ? Nada como investigar o percurso desta cientista. Estou convicta que vão querer saber mais sobre esta cientista que valorizou o estudo da Química.

 

Links úteis:

 

Chemical Heritage Foundation | Dorothy Hodqkin

http://www.chemheritage.org/ 

Nobel Prize Dorothy Hodqkin (Biographical)

http://www.nobelprize.org/ 

The Nobel Prize in Chemistry 1964

http://www.nobelprize.org/nobel_prizes/chemistry/laureates/1964/  

The Royal Society | Dorothy Hodqkin

https://royalsociety.org/grants/schemes/dorothy-hodgkin/

 

 

A Professora GSouto

 

12.05.2014

 

 Creative Commons License