Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Escolas : Winnie the Pooh : conheces a verdadeira história ? Recursos

 

 

winnie-the-pooh8a.jpeg

 

 

illustração 'For a long time they looked at the river beneath them'

capítulo 6 do livro 'The House At Pooh Corner'

AA Milne, 1926

https://www.bbc.co.uk/

 

A ilustração 'For a long time they looked at the river beneath them' faz parte do capítulo VI intitulado 'Pooh invents a new game and Eeyore joins in' do livro 'The House At Pooh Corner' do escritor AA Milne,  publicado em 1928. Foi leiloada em 2014.

 

Talvez não saibas que Winnie the Pooh também já completou 90 anos! Mas já foi em 2016. 

 

 

winnie-the-pooh5.jpg

 

 

Winnie

true Story of the Bear who

Inspired Winnie-the-Pooh

Sally M. Walker

illustration: Jonathan D. Voss

https://www.amazon.com.mx/

 

Sabias que Winnie the Pooh foi inspirado numa ursa? Pois é! A revelação é feita por Lindsay Mattick, autora do livro ‘Finding Winnie: The True Story of the World’s Most Famous Bear’ publicado em 2015. Não há publicação traduzida em Portugal. Apenas no Brasil.

 

 

winnie-the-pooh1.jpg

 

 

Finding Winnie: The True Story of the World’s Most Famous Bear

Lindsay Mattick

illustration: Sophie Blackall

https://www.amazon.com/

 

Na obra, a escritora canadiana conta a história do seu bisavô, Harry Colebourn, um veterano da Primeira Grande Guerra que decidiu ir viver para Londres para tratar de cavalos do exército.

 

Quando ia apanhar o comboio, Harry viu uma pequena ursa presa a um poste. O homem decidiu salvá-la, levá-la para Inglaterra e dar-lhe o nome Winnie, o diminutivo de Winnipeg, a sua terra natal no Canadá.

 

 

winnie-the-pooh4.jpg

 

 

Harry Colebourn & real Winnie bear

créditos: Library and Archives Canada

https://en.wikipedia.org/

 

Harry manteve Winnie a ser lado até partir para França. Sabendo que a ursa não podia viajar com ele, o homem decidiu entregar Winnie ao jardim zoológico de Londres.

 

Apesar de Colebourn ter deixado a ursa para trás, Winnie esteve muito pouco tempo sozinha. Um menino chamado Christopher Robin ia várias vezes ao zoo visitá-la. Gostava tanto do animal que até decidiu mudar o nome do seu urso de peluche de Edward para Winnie.

 

 

winnie-the-pooh3a.jpg

 

 

 AA Milne/ Christopher Robin & Pooh Bear, 1926

créditos: Alamy

https://www.theguardian.com/books/

 

Quem era o pai de Christopher Robin? O escritor A. A. Milne, autor das histórias que se ‘vividas’ no Bosque dos 100 Acres por Winnie the Pooh, Piglet e os seus amigos. 

 

 

winnie-the-pooh7.jpg

 

 

Harry Colebourn & a ursa Winnie

Winnie-the-Bear statue in Assiniboine Park Zoo

 Winnipeg, Manitoba, Canada

https://en.wikipedia.org/wiki/

 

No Canadá existe mesmo a estátua em tamanho real de Harry Colebourn e a ursa Winnie no Park Zoo Winnipeg.

 

Em Agosto 2018, segundo um jornal inglês, ficamos a saber que os fãs de Winnie the Pooh podem explorar os locais reais que inspiraram as histórias de A.A. Milne. Wow!

 

Milne começou a escrever livros infantis depois de ver o filho, Christopher Robin, a brincar na floresta perto da sua casa de campo em Ashdown Forest, em East Sussex, Inglaterra.

 

 

winnie-the-pooh-film1.jpg

 

 

Ashdown Forest, East Sussex, Inglaterra

Goodbye Christopher Robin

Simon Curtis, 2017

https://www.imdb.com/

 

Para aqueles que querem participar na aventura, o jornalista recomenda caminhar a partir da aldeia de Nutley.

 

Os locais nessa área que inspiraram lugares dos livros incluem o Bosque dos Quinhentos Acres (conhecido como o Bosque dos Cem Acres no mundo de Pooh) e o Gill’s Lap (conhecido como Galleon’s Lap nas histórias).

 

 

 

 

Ir + longe:

 

Em 2017 o filme Goodbye Christopher Robin, foi baseado na relação do escritor AA Milne e seu filho, Christopher Robin, e como tudo isso se tornou inspiração para Wnnie the Pooh.

 

Goodbye Christopher Robin é um filme baseado na verdadeira história do escritor que criou o Winnie the Pooh, um dos mais apreciados contos infantis.

 

 

winnie-the-pooh-film.jpg

 

 

Goodbye Christopher Robin

Simon Curtis, 2017

https://www.imdb.com/

 

Sinopse:


O filme tem lugar depois da 1ª Guerra Mundial e acompanha a vida de A.A. Milne e do seu filho, enquanto criam o mundo encantado do Winnie the Pooh, que ajudou a afastar a tristeza do pós-guerra.

 

Não sei passou em Portugal. Quem sabe poderás descobrir?

 

Actividades:

 

“A day without a friend is like a pot without a single drop of honey left inside.”


Winnie-the-Pooh

 

  • Ver o vídeo do filme em sala de aula e explorar com apoio de fichas pedagógicas;

 

  • Ler citações dos livros de Winnie the Pooh (Inglês) aqui e soliciar aos alunos a tradução em Português.

 

  • Seleccionar as melhores traduções e fazer um Jornal de Parede.

 

A Professora GSouto

 

29.01.2019

 

Licença Creative Commons

 

Pausa férias : Vamos ao cinema ? Família Bélier

 

 

 

Chegou a hora de fazer a pausa férias. E, como sempre, aqui deixo uma sugestão. Uma ida ao cinema. Agrada-vos? Sei que sim.

 

Ah! Mas antes, gostaria de lembrar que ontem foi o Dia Internacional dos Esquerdinos. Passem pelo vosso blog de FrancêsLE e espreitem. Têm uma proposta de leitura que vai interessar todos os esquerdinos... e não só.

 

Vamos ao cinema? É a proposta de actividade de férias que quero deixar.

 

bélier2.jpg

 

La famille Bélier, 2014

http://www.imdb.com/

 

Então, nada melhor que um filme que está já nas salas de cinema. "A Família Bélier", título original, La Famille Bélier, de Eric Lartigau, estreou ontem e conta com Louane Emera, Karin Viard, François Damiens, Eric Elmosnino nos principais papéis.

 

Sinopsis

 

A família Bélier é uma simpática família francesa que se dedica à produção de laticínios. Todos são surdos com excepção de Paula, de 16 anos. Ela é a intérprete dos seus pais e um elo essencial, em especial, no que respeita ao funcionamento diário da quinta da família. Um dia, incitada pelo seu professor de música, Paula descobre um talento para cantar e decide preparar-se para a audição da Radio France Choir que poderá fazer com que entre numa escola prestigiada de Paris. Uma escolha de uma vida que irá distanciá-la da sua família e forçá-la a crescer.

 

 

 

 

 

Mas não só. Paula (Louane Emera),uma adolescente que enfrenta todas as questões comuns de sua idade: o primeiro amor, os problemas na escola, as brigas com os pais, a surdez de todos os membros da família, seu pai (François Damiens), sua mãe (Karin Viard) e o irmão são surdos e mudos.

 

 

 

 

Les Bélier/ La famille Bélier, 2014

http://s2.dmcdn.net/

 

Paula é quem administra a quinta da família, e quem traduz a lingua gestual dos pais nas conversas com os vizinhos.

 

Um dia, numa aula de música, o professor descobre que Paula tem um imenso talento para o canto, podendo vir a integrar uma escola prestigiada em Paris. Mas como abandonar os pais e o irmão?

 

 

famille-belier.jpg

 

 

Paula et professeur de musique

La famille Bélier

http://www.francesoir.fr/sites/francesoir/

 

Paula, é interpretada por Louane Emera, uma jovem cantora que participou, na vida real, no concurso de televisão The Voice, (programa que bem conhecem), e que chegou à meia-final demonstrando que tem um timbre de voz excepcional para a sua idade. 

 

O realizador Eric Lartigau descobriu-a nesse programa de televisão e propos-lhe o papel de Paula, no filme La famille Bélier.

 

 

louanne-famillerbelier.jpg

 

 

Paula/ Louane Emera

La famille Bélier

http://www.francesoir.fr/

 

Saber +

 

Sem nada prever, Louane estreou-se como actriz após o programa The Voice, França, o que lhe valeu a atribuição de um César: César du Meilleur jeune espoir féminin (César para a melhor jovem esperança feminina) nos César 2015, o galardão francês que se equipara aos Oscar nos Estados Unidos.

 

 

 

 

 

 

Uma história simples mas com uma essência extraordinária que nos faz rir e também chorar. De destacar a cena em que Paula vai a um concurso proposto pelo professor de Música, e canta uma bonita canção de Michel Sardou "Je vole", começando a interpretar a letra em língua gestual para os pais 'ouvirem', enquanto canta.

 

Mes chers parents je pars
Je vous aime mais je pars
Vous n'aurez plus d'enfants ce soir
Je ne m'enfuis pas je vole."

 

Michel Sardou, Je vole (extrait)

 

Esta música é arrepiante. A letra é fabulosa. Impossível não se ficar com uma lágrima no canto do olho, mesmo que não seja o nosso género de música.  Reflecte a verdade dos jovens quando saem de casa para ingressar numa faculdade mais distante da casa dos pais. E reflecte a dor dos pais quando vos vêem sair de casa.

 

 

familia-belier1.jpg

 

 

La famille Bélier, 2014

https://pmcvariety.files.wordpress.com/

 

Outra cena que me tocou, foi quando Rodolph Bélier pede à filha que cante, enquanto lhe coloca a mão na garganta para sentir as palavras. Momentos lindos, tocantes do filme.

 

Adorei. É lindo, lindo, lindo. É mesmo muito ternurento, encantador. Uma história de família que deveria ser igual a muitas famílias que enfrentem os mesmos problemas e se unem com amor, ternura. Um filme a ver em família.

 

Baseado na história real de uma família de agricultores de  Nord-Mayenne, a família Cousin. A família  Cousin, antiga propritária da quinta do filme. 

 

 

famille-belier2.jpg

 

 

La famille Cousin/ La Famille Bélier

crédits: Ouest-France

https://www.ouest-france.fr/

 

 

Actividades: Professores

  • Um filme a explorar em sala de aula na disciplina de Língua Portuguesa, de modo a introduzir algumas noções de Lingua Gestual.
  • Igualmente interessante para explorar na disciplina de Francês Lingua Estrangeira.
  • Valores : famíla ; direito à diferença (aceitação/compreensão) ; integração.

 

Espero que me contem depois de férias, no início do próximo ano lectivo, lá para meados de Setembro.

 

Boas férias ! Até Setembro ! 

 

A Professora GSouto

 

14.08.2015

 

Licença Creative Commons