Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Maria Keil

 

 

 

 

 

Maria Keil 1914-2012

 

http://purl.pt/708/1/

 

Maria Keil, a ilustradora de tantos dos livros  infantis e juvenis que lemos em aulas curriculares de Língua Portuguesa, morreu.  

 

Maria Keil nasceu em Silves no dia 9 de Agosto de 1914. Frequentou o curso de Pintura da Escola de Belas Artes de Lisboa.

 

Deixou uma obra vasta e multifacetada: pintura, sobretudo retratos, publicidade, decoração de interiores, cartões para tapeçarias, pinturas murais a fresco, cenários e figurinos para bailados. selos.

 

São célebres os seus azulejos  que podem ser admirados no Metropolitano de Lisboa, Av. Infante Santo, TAP de Paris e Nova Iorque, União Eléctrica Portuguesa, e em outros locais, um deles em Angola.

 

 

 

 

Sophia Mello Breyner | Maria Keil

ed. Ática

 

http://purl.pt/708/1/

 

Foi também uma ilustradora. E é neste campo que melhor a conhecemos. Ilustrou numerosos livros para crianças: "A Noite de Natal" de Sophia de Mello Breyner Andresen "O Livro de Marianinha" de Aquilino Ribeiro;

 

Ilustrou os livros infantis e juvenis de Matilde Rosa Araújo: "O Cantar da Tila", "As Botas de meu Pai", "O Cavaleiro sem Espada", "História de um Rapaz", "Joana Ana", "O Palhaço Verde" e "Segredos e Brinquedos".

 

"O Lago dos Cisnes" e "A Banhoca da Baleia", de Alexandre Honrado e "Lote 12 2.º frente", de Alice Vieira.

 

Ilustração Maria Keil | ed. Caminho

 http://purl.pt/708/1/

 

 

Maria Keil também escreveu e ilustrou três livros para crianças, "O Pau-de-fileira", "Os Presentes" e "As Três Maçãs"; e dois para adultos, Árvores de Domingo e Anjos do Mal.

 

 

 Maria Keil, escritora| ilustradora

ed. Livros Horizonte

http://purl.pt/708/1/

 

E outros, como Histórias da minha casa, Histórias da minha rua e Histórias de pretos e brancos, de Maria Cecília Correia; ; A Primavera é o tempo a crescer, O Outono é o tempo a envelhecer, O Verão é o tempo grande, O Inverno é o tempo já velho, de Maria Isabel César Anjo; A abelha Zulmira, de Teresa Balté; ; e Do lado de cá das fadas, de Graça Vilhena. 

 

A Biblioteca Nacional consagrou uma mostra à faceta de ilustradora de Maria Keil, numa exposição em 2004 que se desenvolveu em dois espaços distintos. Hoje consta fa Biblioteca Virtual da BN e poderá ser consultada aqui

 

 

 (...) Maria, que suas mãos continuem, por muito tempo, a voar. Menina sábia em sua varanda.

Matilde Rosa Araújo 

 Maria Keil, escritora| ilustradora

ed. Livros Horizonte

http://purl.pt/708/1/images/obras-thumbs/30-m.jpg

 

Não poderia deixar de homenagear Maria Keil, tal como homenageei Ilse Losa. Duas grandes figuras femininas portuguesas que nos habituámos a admirar ao ler as suas obras nas aulas de Língua Portuguesa. 

 

Como em tantas outras aulas lemos Sophia de Mello Breynner,  Matilde Rosa Araújo, Luisa Dacosta, Maria Teresa Gonzalez e tantas autoras e autores, bem como a ilustradora Cristina Valadas

 

 

A Professora GSouto

 

13.06.2012

 

Licença Creative Commons

 

 

Referências:

 

Maria Keil, Ilustradora na Biblioteca Nacional

António Gedeão : Centenário do poeta 1906-2006

 

 

Antonio-Gedeao2.jpg

 

António Gedeão/ Rómulo de Carvalho/ BN

http://purl.pt/

 

 

Eles não sabem que o sonho

é uma constante da vida

tão concreta e definida como outra coisa qualquer.

 

António Gedeão, Pedra Filosofal

 

Saber mais:

 

Rómulo Vasco da Gama de Carvalho (1906-1997), insigne investigador da história das ciências, professor e pedagogo tornou-se alvo de reconhecimento do grande público com o pseudónimo literário de António Gedeão, nomeadamente como autor da muito célebre Pedra Filosofal.

 

 

 

António Gedeão/ Rómulo de Carvalho

https://dasculturas.files.wordpress.com/

 

Rómulo de Carvalho começou a revelar pendor poético ainda na infância, conhecendo-se, pelo menos, três composições autógrafas datadas de 1911: as quadras "Era uma vez um menino", Maria é o 1º nome, bem como o poema "Um Casamento".

 

A par da actividade de professor liceal, de divulgador de temas científicos, e de investigador, Rómulo de Carvalho retomou, no início da década de 50 o início da criação poética.

 

 

Antonio-Gedeao1.jpg

 

António Gedeão/ Rómulo de Carvalho

http://guitarradecoimbra.blogspot.pt/

 

 

Segundo o testemunho publicado por Natália Nunes no catálogo da exposição a ideia de adoptar um pseudónimo literário ter-lhe-á surgido em 1954-55.

 

 

gedeao1.jpg

 

António Gedeão

catálogo da Exposição BN

ilustração: André Carrilho

http://purl.pt/

 

0005ydcx

 

 

Rómulo de Carvalho | António Gedeão

caricatura: Anndré Carilho

http://www.bn.pt/agenda/

 

António Gedeão publica aos 50 anos, o seu primeiro livro de poesia: Movimento Perpétuo (1956) a que se seguem Teatro do Mundo (1958) e Máquina de Fogo (1960).

 

Com apenas três livros editados em meia dúzia de anos, ganha rapidamente um lugar de relevo no panorama literário português.

 

Contemporâneo de poetas então já consagrados, como Miguel Torga, Sophia de Mello Breyner, Eugénio de Andrade, entre outros, António Gedeão surgiu como um «poeta novo e diferente»

 

Pedra Filosofal, cantada por Manuel Freire, é bem conhecida dos Portugueses. O poema, escrito por António Gedeão, pseudónimo de Rómulo de Carvalho, publicado em 1961, tornou-se um hino à liberdade e ao sonho.

 

 

 António Gedeão, caricatura

http://ebicuba.drealentejo.pt/

 

Rómulo de Carvalho foi professor de física, pedagogo e autor de manuais escolares, historiador da ciência e da educação, divulgador científico e poeta. Como professor de liceu, marcou os seus alunos durante quatro décadas. Como poeta e autor, publicou entre 1956 e 1990 (Poemas Póstumos e Novos Poemas Póstumos, em 1984 e 1990).

 

O Plano Nacional de Leitura e da Comissão Organizadora das Comemorações do Centenário do Nascimento de Rómulo de Carvalho/António Gedeão com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian em iniciativa conjunta levam a cabo o Concurso Rómulo de carvalho/António Gedeão, o poeta da ciência.

 

"Fiz exame de admissão ao liceu com oito anos e fiquei aprovado. Mas como não tinha idade para frequentar as aulas, continuei na escola primária que era um andar na Travessa do Almada. Ocupava o tempo a ensinar os mais novos. Essa foi a minha primeira experiência como professor. Se calhar, despertou ali a minha vocação…"

 

António Gedeão

 

Ir mais longe:

 

A BNPortugal levou a cabo uma exposição 'António é o meu nome', Rómulo de Carvalho de 12 Outubro 2006 a 20 Janeiro 2007.

 

Actividades:

 

  • Trabalho individual de pesquisa sobre o autor : atenção links assinalados ao longo deste post.

 

Data de entrega:

 

1ª semana de Março *

 

* Consultar Guião "Trabalho de Pesquisa" e ficha "Critérios de Avaliação" (caderno diário, anexos)

 

Qualquer dúvida? É só deixar em Comentários. A resposta será dada no mais breve espaço de tempo.

 

 Bom trabalho!

 

A Professora GSouto

 

28.01.2007

 

Licença Creative Commons

 

Fundação de Serralves - Exposição Anos 80

 

 

00066ehg

 

 

 

Cartaz : Exposição Anos 80: Uma Topologia

http://www.serralves.pt/

 

"Parte do interesse em revisitar os anos 80 resulta de que muita da arte de hoje reflecte esse legado, embora negando ou ignorando esse passado. Reconsiderar os anos 80 pode servir como ferramenta para destacar e reflectir sobre alguma da arte do presente." (...)

 

Serralves

 

Aula no Museu é sempre uma experiência muito enriquecedora em qualquer curriculo. Educa os alunos para o gosto pela cultura. Uma aula curricular apoiada na Exposição Anos 80. Uma Topologia terá necessariamente um forte impacto no ensino e aprendizagens. 

 

É pois com alegria que preparo uma visita de estudo das turmas 6º ano C/I ao Museu de Arte Contemporânea de Serralves, no próximo dia 16 Novembro 2006.

 

 

 

 

Trata-se de uma das maiores exposições apresentadas em Serralves, integrando cerca de 250 obras de referência de setenta e três artistas de todo o mundo.

 

A visita será guiada por Monitores disponibilizados amavelmente pelo Serviço Educativo.

 

Os alunos far-se-ão acompanhar pelos Professores de Língua Portuguesa, Formação Cívica, Educação Visual e Tecnológica, Área de Projecto e Estudo Acompanhado.

 

Actividades de carácter pedagógico e cultural serão desenvolvidas com base nesta Aula prática Exposição Anos 80

 

Exposição Anos 80: Uma Topologia

 

"Porquê os anos 80? Nessa década o mundo assistiu a mudanças significativas nos campos político, social e cultural. Estas geraram novos desenvolvimentos, de grande alcance, cujos desfechos se têm revelado nos anos que agora vivemos. Os anos 80 são o tempo entre a história recente e o presente

(...)

 

A Exposição organiza-se em núcleos geográficos (ex: Düsseldorf, Colónia, Áustria/Países de Leste, Bélgica/Holanda, França, Grã-Bretanha, Península Ibérica, América do Sul, Nova Iorque, Los Angeles, Vancouver, artistas isolados... (...)

 

Serralves

 

Anos80.Livro.jpg

http://www.serralves.pt/

 

 

Saber +

 

Alguns Acontecimentos determinantes para os Anos 80:

 

"No final dos anos 70 alguns acontecimentos devem ser considerados determinantes para o que aconteceu no início da nova década:

  • A eleição de um Papa polaco – passo decisivo que deixava antever o princípio do fim do domínio comunista nos países do Pacto de Varsóvia.
  • A revolução islâmica no Irão – manifestando o surgimento de um novo poder desequilibrante da lógica Leste – Ocidente.
  • O nascimento do primeiro bebé proveta, a 25 de Julho de 1978 – desafio aos procedimentos naturais de gerar vida humana.
  • No final dos anos 80, a queda do muro de Berlim (1989) foi o evento mais visível..."

 

Serralves

(texto com supressões)

 

As expectativas são grandes para todos, alunos e Professores! Estamos convictos que a exposição Anos 80: Uma Topologia nos vai proporcionar aprendizagens no plano estético-cultural de grande impacto nos diferentes curriculos.

 

Partindo desta visita guiada,serão desenvolvidas Actividades no âmbito de um projecto transdisciplinar que, mais uma vez, vai desafiar a nossa criatividade.

 

 

Não esquecer!

  • Bloco de Notas e Caneta. Telemóveis ainda não são permitidos nas salas do Museu.
  • Senha ida/volta Autocarro (deslocação)

 

A Professora GSouto

 

15.11.2006

 

 Licença Creative Commons