Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

O Príncipezinho em mirandês?

 

 

 

 Le Petit Prince

Antoine de Saint Exupéry

http://www.gallimard-jeunesse.fr/

 

Pois é verdade! O clássico de Antoine de Saint-Exupéry, Le Petit Prince (1943), já vendeu mais de 50 milhões de exemplares em todo o mundo. E, segundo a editora francesa Gallimard, é "o livro mais traduzido em todo o mundo depois da Bíblia". Tem já traduções em cerca de 200 línguas,  incluindo dialectos europeus, asiáticos e africanos.

 

Ora talvez não saibam que O Príncipezinho tem uma edição em mirandês, desde Abril 2011. O objectivo da edição de "L Princepico" é dar a conhecer a língua mirandesa escrita, já oficialmente reconhecida desde 1998, que as pessoas falam e ouvem, mas que raramente lêem. 

 

Saber +

 

O mirandês é falado por cerca de 15 mil pessoas numa "área de aproximadamente 500 quilómetros quadrados, a sudeste do distrito de Bragança, ao longo da fronteira com a Espanha, abrangendo o concelho de Miranda do Douro e uma parte do de Vimioso."

 

É óbvio que a edição em mirandês desta obra mundialmente conhecida tem um público reduzido, interessados e coleccionadores. No entanto, é interessante saber que a ASA já editou há alguns anos dois  álbuns do Astérix em mirandês.

 

 

 

 

Asterix L Goulés

Editora ASA

https://1.bp.blogspot.com/

 

 

Asterix L Galaton

Editora ASA

https://1.bp.blogspot.com/

 

A língua mirandesa, segunda língua em Portugal, tem uma forte tradição oral que foi passando de pais para filhos, ao longo dos tempos. Só em 1882 começou a ser investigada por José Leite de Vasconcelos, filólogo, arqueólogo e etnógrafo português, e depois fixada na escrita.

 

Le Petit Prince foi traduzido para mirandês por Ana Afonso e Domingos Raposo. Ana Afonso falou no momento da apresentação à Lusa do “desafio” de traduzir um clássico “cheio de valores” para a sua língua materna. 

 

Esta foi a primeira tradução para mirandês de Ana Afonso, a convite do cônsul de França no Porto, que, em cada lugar que passa, procura línguas ou dialectos para os quais possa traduzir “o seu livro preferido”.

 

 

 

L Princepico, edição em mirandês

Antoine de Saint Exupéry

http://www.leyaonline.com/

 

A edição mirandesa de “L Princepico” foi apresentada publicamente no dia 15 de Abril 2011, no Instituto Franco-Português, em Lisboa, pelo  estudioso Domingos Raposo.

 

Na mesma ocasião, foi apresentada uma exposição de livros e objectos associados ao universo de O Principezinho, pertencentes ao actor e apresentador Pedro Granger, coleccionador e fã do clássico da literatura francesa.

 

E agora, leiamos um excerto de O Principezinho em mirandês:

 

 ·XVIII·

 
L princepico atrabessou l dezerto i só ancuntrou ua flor cun trés folhicas, ua florica ruinica...
- Dius mos dé nuonos dies, dixo l princepico.
"Buones dies mos dé Dius, dixo la flor.
- Adonde stan ls homes?" preguntou l princepico mi educado.
La flor biu, un die, ua recla de giente a passar:
- Ls homes? Hai-los, parece-me, seis ou siete. Abistei-los hai uns anhos, mas nun se sabe adonde stán. L aire lhieba-los dun lhado para outro. Nun ténen raízes i isso trai-le muitos porblemas.
- Adius, dixo l princepico.
- Adius, dixo la flor.

 

Antoine de Saint-Exupéry, L Princepico, ASA

 

Actividades:

 

Será interessante, apresentar na aula de Lingua Portuguesa, um ficha pedagógica com excerto de L Princepico e o Principezinho para que os alunos possam fazer um exercício de comparação entre as duas linguas.

 

Os alunos compreenderão certamente a lingua escrita. No entanto, alertar para o facto de ser mais difícil de entender ao ouvir um falante mirandês.

 

Se houver a possibilidade de convidar um especialista ou falante mirandês para um pequeno workshop sobre o mirandês, seria uma excelente aprendizagem para os alunos.

 

Esperemos que o mirandês possas chegar mais escolas do país.

 

A Professora GSouto

 

21.01.2013

 

Licença Creative Commons

 

Outras leituras : Lá no Cimo das Nuvens de Paul MacCartney

 

 paul-maccartney-livro3.jpg

 

 

Lá no Cimo das Nuvens

Paul McCartney

Geoff Dunbar & Philip Ardagh

http://www.editorilapresenca.pt

  

 "Este livro é dedicado a todos aqueles que amamos."

 

Paul McCartney

 

 

 

 

Paul McCartney lê para crianças

Lá no Cimo das Nuvens

Paul McCartney

Geoff Dunbar & Philip Ardagh

 http://mccoyphotos.photoshelter.com/

 

O célebre cantautor ex-Beatle, Paul McCartney escreveu agora uma história para os mais jovens. Trata-de de um livro que tenta alertar os jovens para os problemas ambientais. O título é Lá no Cimo das Nuvens ,tradução de High in the Clouds e tem a parceria de Geoff Dunbar & Philip Ardagh

 

 

paul-maccartney-livro.jpg

 

 

High in the Clouds

Paul McCartney

Geoff Dunbar & Philip Ardagh

 http://mccoyphotos.photoshelter.com/

 

 

Excerto:

 

Guilhilo, o esquil, está deitado no seu ramos favorito, a mastigar bolotas de um saco, enquanto ouve a mãe a contar uma das suas histórias. É como comer pipocas enquanto se vê um bom filme.

 

Espalhadas nos ramos das árvores, como notas numa pauta de música, estão as criaturas da Bosquelândia, todas hipnotizadas pelas palavras de Docecauda. Quer dizer, todas menos Ressonas, o mocho, que está a fazer o que melhor sabe fazer de dia. Ressonar baixinho. Mas não é por mal. É que ele é uma ave nocturna.

 

Desde que é gente, quer dizer, esquilo, que Guilhilo se lembra de a mãe ser a contadora de histórias oficial da Bosquelândia e que sempre preferiu as histórias acerca de Animália.

 

Além, pintada no céu nocturno, há o que parece a imagem de um esquilo de cauda farfalhuda, feita de um pó branco e brilhante. Como açucar.

 

(texto com supressões)

 

Paul McCartney, Geoff Dunbar e Philip Ardagh, Lá no Cimo das Nuvens

Editorial Presença, 2005

 

 

paul-maccartney-livro1.jpg

 

 

High in the Clouds (leitura digital)

High in the Clouds

Paul McCartney

Geoff Dunbar & Philip Ardagh

https://www.paulmccartney.com/books/high-in-the-clouds

 

Para os alunos que têm facilidade de ler em língua inglesa, aqui está o livro para leitura digital! Uau! Já sabia que iriam ficar contentes!

 

Ir + longe:

 

Lá No Cimo das Nuvens é um verdadeiro acontecimento literário destinado a tornar-se num clássico da literatura infanto-juvenil.

 

Traduzido em 15 países, é um autêntico sucesso de vendas nos Estados Unidos, com uma tiragem inicial de 500.000 exemplares, prometendo revelar-se em Portugal como um sucesso editorial.

 

Movido por questões ecológicas e pela defesa dos direitos dos animais, Paul McCartney juntou-se a dois artistas para criar um livro dirigido a crianças sendo as personagens baseadas no filme de animação Tropic Island Hum.

  

 

 

 

  

 

Informação | Actividades

 

Paul McCartney fez parte dos Beatles, a banda rock que revolucionou o panorama musical dos anos 60.

 

Links úteis: 

 

http://www.beatles.com/ 

http://pt.wikipedia.org/wiki/The_Beatles

 

 Actualmente Paul McCartney desenvolve a sua carreira a solo:

 

http://www.paulmccartney.com/ 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Paul_McCartney

 

 

 

 

 Paul McCartney & High in the Clouds

Lá no Cimo das Nuvens

https://www.paulmccartney.com/books/high-in-the-clouds

 

{#emotions_dlg.meeting}

 

Sobre o livro:

 

High in the Clouds

 https://www.paulmccartney.com/books/high-in-the-clouds 

 

Desde criança,Paul  foi um apaixonado pelos cássicos de Walt Disney. Criou vários filmes animados em colaboração com  Geoff Dunbar, entre os quais Rupert and the Frog Song, Tropic Island Hum, Tuesday.

 

 

 

 

 

Aqui têm então vários links para poderem conhecer melhor o cantor. E descobrir o escritor. Espero que se divirtam ao aprender. E já sabem. O livro ? Vamos continuar a ler nas nossas aulas curriculares de Língua Portuguesa.

 

A Professora GSouto

 

 05.03.2006 

 

Licença Creative Commons