Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Vamos ler ? A Luz de Newton de Hélia Correia

 

 

A Luz de Newton

Hélia Correia

Relógio D'Água, 2015

https://relogiodagua.pt/

 

Hélia Correia é uma escritora que muito admirámos. Já lhe dedicámos um post em Junho 2015 Hélia Correia : Sugestões de Leituras onde propusemos várias obras de literatura juvenil que aconselhamos vivamente para os currículos de Língua Portuguesa.

 

helia-correia1.png

 

Hélia Correia

créditos: Autor não identificado

Prémio Camões 2015

 

Desta vez, vimos complementar a listagem já apresentada  com uma outra obra. A Luz de Newton, Hélia Correia (2.ª edição, revista e aumentada), com ilustrações de Susana Oliveira publicada em Dezembro de 2015.

Hélia Correia transforma em ficções a refração da luz no prisma. O vermelho, o amarelo, o laranja, o verde, o azul, o lilás, e o violeta são agora outras tantas histórias.

 

 

heliacorreia-luznewton2.JPG

 

A Luz de Newton (contracapa)

Hélia Correia

Relógio D'Água, 2015

https://relogiodagua.pt/

 

Sinopse:

 

«O Vermelho fechou o livro com violência. E encarou severamente o Amarelo. As outras cores, em volta, suspiraram. Adivinhava‑se um momento desconfortável. Direi mais: um momento de tensão. Direi mais: um momento de combate. O Amarelinho tentou cruzar as pernas para tornar a posição mais consistente, mas não tinha joelhos para dobrar. As cores olhavam para o Vermelho, à espera. Ele fora eleito para as representar. E o Vermelho estava mesmo muito vermelho sob o efeito da cólera:
— Estamos à espera de uma explicação.
— Explicação… — repetiu o Amarelinho, para fazer tempo.
— Explicação de quê?
As cores pigarrearam e mexeram-se. Começaram até a segredar. Mas o Vermelho impôs a sua autoridade.
— Não te faças de parvo. Sabes bem.
Tirou de um saco um livro muito fino e exibiu-o a todos, como vira fazer num filme com uma prova em tribunal.
— A Luz de Newton, primeira edição. As sete cores do arco-íris: somos nós.
— Sim, somos todas nós — disse Liliana.
— E ocupamos — afirmou o Verde — praticamente o mesmo espaço cada uma.»

 

Há ainda outro aspecto que vai motivar os alunos para a leitura deste livro. A leitura digital. É verdade!

 

A editora Relógio D'Água disponibiliza online um excerto que pode ser lido aqui. 

 

 

 

Isaac Newton

créditos: Sem identificação

via BBC News

"Era uma vez um homem que nascera para sábio. Ora, às vezes, tal facto aborrecia‑o muito. Sempre com o nariz enfiado em livros velhos, sempre a escrevinhar relatórios para enviar aos outros sábios que moravam longe — naquele tempo não havia telefone —, sempre a pensar e a repensar, a fazer contas, a espreitar para os céus e para os caldeirões, que coisa! Então não tinha direito a descansar?

 

Parou e foi abrir uma janela. O sol — se bem que fosse um sol inglês, estava cheio de força naquele dia — entrou por ali dentro, todo entusiasmado, porque era muito raro permitirem‑lhe fazer uma vi‑ sita àquele laboratório. Com a pressa, tropeçou contra um prisma de vidro e desfez‑se nas suas sete cores. Surgiu um arco‑íris na parede.

 

O sábio percebeu tudo o que se passara e ficou ainda mais aborrecido:

 

— Pronto! Agora estraguei o mistério que havia no Arco‑Íris do céu! Não passa de um espectro da luz solar que se refrata nas gotinhas de água. Acabaram‑se as histórias sobre as panelas de ouro escondidas no lugar em que ele toca na terra. Ninguém mais verá nele a túnica de Íris, mensageira dos deuses, nem o sinal da paz entre Jeová e os homens. Mas que grande chatice!

 

Para desanuviar, foi dar um passeiozinho. Mas, como estava pouco habituado a andar, depressa se cansou. Sentou‑se à sombra de uma macieira. E vai, caiu‑lhe um fruto em cima da cabeça. Estava a saboreá‑lo com delícia quando gritou de novo:

 

— Que chatice!

 

Descobrira, ali mesmo, as leis da gravidade."

 

in A Luz de Newton, Hélia Correia, Relógio D'Água (online, retirado actualmente)

 

Wow! É mesmo bom, ter acesso às tecnologias, não é mesmo? É o que sempre dizia aos alunos quando os iniciei nas Tecnologias Educativas nos currículos de Língua Portuguesa e Francês LE corria o ano de 1998.

 

 

Google Doodle 367º Aniverário de Isaac Newton (2010)

https://www.google.com/doodles/

 

Como descobriram de imediato é história efabulada de Isaac NewtonIsaac Newton a que m a Google dedicou um Doodle interactivo em 2010. Estejam atentos porque a maçã cai mesmo!

 

Hélia Correia transforma em ficções a refracção da luz no prisma. O vermelho, o amarelo, o laranja, o verde, o azul, o lilás, e o violeta são agora outras tantas histórias, apoiadas nas ilustrações de Susana Oliveira.

 

 

heliacorreia7.jpg

 

 

A Luz de Newton, 1ª edição

Hélia Correia

ilustrações Alice Aurélio

Relógio D'Água, 1988

http://www.bibliotecasobral.com.pt/

 

A Luz de Newton de Hélia Correia teve uma 1ª edição em 1988, ilustrações de Alice Aurélio. É natural que muitas bibliotecas escolares tenham esta primeira edição.

 

Actividades:

 

  • Pesquisar sobre Isaac Newton e a sua teoria das cores.
  • Requisitar  o livro (1ª edição) na Biblioteca da escola para possível apreciação das diferenças (ilustrações, outros).
  • Ler a edição que for mais acessível aos alunos (compra ou requisição biblioteca escola).

 

A  Professora GSouto

 

10.03.2016

Actualizado 04.01.2020

 

Licença Creative Commons

Livros : Agostinho da Silva, O Português dos 3 M . conto juvenil

 

 

livro-agostinho.jpg

 

Agostinho da Silva,  O Português dos 3 M

conto juvenil

Fátima Murta

editora Zéfiro

https://zefiro.pt/

 

O livro de Fátima Murta Agostinho da Silva, o Português dos 3M é um conto juvenil  em que os adolescentes são convidados a deixarem-se iniciar na vida, no pensamento e na obra de uma das mais significativas figuras da cultura portuguesa e da sua dimensão universalista.

 

 

Excerto:

 

Deixo um excerto que fala da Primavera e nada melhor do que ter uma perspectiva mais aprofundada sobre esta estação do ano:

 

"A temperatura está primaveril, sabe bem estar na rua e apanhar a brisa sobre o rosto e sentir os cabelos que, ao de leve, estão vivos. Estou sentada na esplanada do outro lado do jardim contrário ao ponto onde se encontra o cedro e, no seu regaço, um banco que sempre tem alguém sentado. Ou quase sempre.

 

A longo de gerações e gerações, sentaram-se nele velhos e novos, crianças e jovens, anónimos e conhecidos. Reclinados num cais de águas paradas, sonharam poetas e navegadores, marinheiros e doutores, almas apaixonadas e guerreiras, sábios e conhecedores de coisa nenhuma.

 

Neste momento, não está ninguém sentado e, no entanto, posso jurar que ainda há pouco tempo, lá vi ser escrito um dos mais belos poemas em língua portuguesa e pensados um dos mais profundos pensamentos que nos fizeram prosseguir, quero dizer, continuar na arte dos descobrimentos, do que é, do que significa ser português. Sim, porque o siginificado mais simples 'aquele que nasceu em Portugal', não é o mais verdadeiro, dizem os entendidos..."

 

Fátima Murta, Agostinho da Siva, O Português dos 3

(texto com supressões)

 

agostinho da silva.jpg

 

Agostinho da Silva

créditos: Autor não identificado/ RTP Arquivos

https://arquivos.rtp.pt/

 

Por que razão Português dos 3M?

 

Partindo da tríplice condição de Agostinho da Silva – que gostava de se apresentar como marinheiro, como mestre e como monge –, a autora conta uma história a que os mais jovens serão sensíveis e, ao mesmo tempo, desafia-os ao exercício do pensamento assente na interrogação filosófica.

 

Autora: Fátima Murta

 

Fátima Murta, escritora, e actriz profissional, é divulgadora da poesia portuguesa. Dedica-se ainda à pintura e à tapeçaria.


Com formação na área da Filosofia, tem leccionado Teatro e Artes, nomeadamente, para crianças e adolescentes

Publicou em 2002 o seu primeiro conto infantil A Avó Natalina, e em 2004, O Jantar de Natal do Coelhinho Branco.

 

Jefferson Market Garden

via Facebook

 

Numa tarde agradável, sabe bem ler num jardim da cidade... talvez até ler este livro que encerra ensinamentos acerca do Professor Agostinho da Silva contados numa linguagem acessível aos mais jovens.

 

Uma boa sugestão de leitura para comentar na aula curricular?

 

A Professora GSouto

 

14.03.2007

 

Licença Creative Commons