Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Língua Portuguesa, a nossa !

 

 

acordo4.jpeg

 

 

Sabem que sempre fui contra o Acordo Ortográfico. Conhecem bem a minha posição em relação ao que considero um atentado à raiz latina da nossa língua.

 

Pois é! Parece que a razão chegou. E do outro lado. O governo brasileiro adiou a aplicação do Novo Acordo Ortográfico segundo podemos ler. E fê-lo com base numa petição que reuniu 20 000 assinaturas

 

 

 

 

Em Portugal, uma petição semelhante reuniu mais de 130 000 mil assinatura e não teve qualquer eco. Assim, o AO entrou de rompante nas escolas portuguesa de um ano lectivo pra outro, em níveis curriculares.

 

 

E agora, como se sentirão os professores, os curriculares de Língua Portuguesa com base em Linguísticas que tanto lutaram para contrariar o absurdo?

 

E que se vêem  constrangidos, mesmo não o aplicando pessoalmente, e nem nos currículos de Língua Portuguesa que leccionam? Impossível induzir os alunos numa grafia que não nos pertence?

 

 

acordo6.png

 

 

via CiberDúvidas da Língua Portuguesa

 

Que argumentos apresentar aos alunos para explicar que a grafia que aprenderam até ao ano lectivo anterior já não é 'correcta'. Mais, como chamar à grafia correcta, 'português antigo' ?! Antigo?!

 

E os pais e educadores que compraram Dicionários de Língua Portuguesa até ao ano transacto e agora se vêem obrigados a gastar mais dinheiro em Dicionários de Língua Portuguesa con AO e manuais novos com AO (quando os manuais do ano lectivo anterior ainda estavam em vigor) para que os seus educandos possam acompanhar as novas normas.

 

 

VascoGraçaMoura.jpg

 

 

Vasco Graça Moura

créditos: Autor não identificado

via Comunidade Cultura e Arte

 

Vasco Graça Moura, um dos mais conceituados escritores portugueses, muito se opôs, no alto do seu repertório literário. ao surgimento do Acordo Ortográfico, reivindicando a autonomia identitária da Língua Portuguesa, para além de denunciar os interesses geopolíticos e empresariais de origem brasileira. Esta visão é sustentada no seu escrito “A Perspetiva do Desastre”.

 

E tão coerente foi que, ao assumir a presidência do Centro Cultural de Belém, decidiu que o CCB usasse de novo as regras ortográficas que são devidas ao bom uso da Língua Porguesa.

 

acordo5.jpg

 

 

“O Brasil vai rever o acordo, portanto é completamente delirante nós ficarmos para trás. Agora vamos ter três grafias: a brasileira actual, a africana, porque Angola mantém e muito bem as regras ortográficas que estão em vigor e não as do acordo, e a portuguesa, que é uma coisa sem pés nem cabeça."

 

Vasco Graça Moura.

 

Já em Setembro 2012, o PEN Internacional condenara por unanimidade o AO. E desde sempre vozes se fizeram ouvir contra. Escritores, professores, e pessoas de todos os quadrantes da sociedade e da cultura.

 

"Sim, porque a orthographia também é gente. A palavra é completa vista e ouvida. E a gala da transliteração greco-romana veste-m'a do seu vero manto régio, pelo qual é senhora e rainha."

 

Fernando Pessoa

 

Não poderia estar mais de acordo! Absolutamente delirante!

 

A Professora GSouto

 

09.01.2013

 

Licença Creative Commons

 

José Saramago : A Maior Flor do Mundo : livro & filme animado

 

 

saramago.jpg

 

José Saramago, Prémio Nobel de Literatura

http://i.s.sl.pt

 

Foram muitas as gerações que leram comigo Saramago! Por missão, por gosto. A isso juntámos a admiração, mais tarde, quando foi laureado com o Prémio Nobel da Literatura em 1998.

 

"Começar a ler foi para mim como entrar num bosque pela primeira vez e encontrar-me, de repente, com todas as árvores, todas as flores, todos os pássaros. Quando fazes isso, o que te deslumbra é o conjunto. Não dizes: gosto desta árvore mais que das outras. Não, cada livro em que entrava, tomava-o como algo único."

 

José Saramago, El País Semanal, Madrid, 29 de Novembro de 1998

 

 

saramago2a.jpg

 

 

Saramago

Lisboa, 2010

https://en.wikipedia.org/

 

Saramago foi muito controverso nas suas ideias. Mas para nós, o importante era o estudo e o debate crítico do valor inestimável da sua obra reflectida na literatura contemporânea portuguesa.

 

Apesar de não se cingir às regras morfossintácticas da norma padrão da língua, a sua escrita, talvez por isso mesmo, atraía as novas gerações.

 

No entanto, José Saramago defendeu o valor da língua portuguesa no momento em que se discutia o Acordo Ortográfico.

 

"A Língua Portuguesa é um 'bem precioso' e os portugueses devem tratá-ls melhor."

 

José Saramago, 23.04.2008

 

 

 

 

 

A Maior Flor do Mundo

José Saramago

edições Caminho

https://www.josesaramago.org/

 

José Saramago não escreveu muito para crianças e adolescentes! Não que considerasse a literatura infantil e juvenil um género menor da Literatura. Pelo contrário! Pela dificuldade que sentia, como ele próprio escreveu no livro A Maior Flor do Mundo que assim começa:

 

Livro & Filme animado:

 

 

saramago-livro.jpg

 

A Maior Flor do Mundo

filme animado

José Saramago

https://www.josesaramago.org/

 

"As histórias para crianças devem ser escritas com palavras muito simples, porque as crianças, sendo pequenas, sabem poucas palavras e não gostam de usá-las complicadas.

 

Quem me dera saber escrever essas histórias, mas nunca fui capaz de aprender, e tenho pena."

 

José Saramago, A Maior Flor do Mundo, Ed. Caminho, Dezembro 2002, 1ª edição

 

 

 

 

"Teenho muita pena de não saber escrever histórias para crianças" e continua, desafiando a criatividade dos seus jovens leitores " Quem sabe se um dia virei a ler outra vez esta história, escrita por ti que me lês, mas muito mais bonita?..."

 

José Saramago, A Maior Flor do Mundo,

Ed. Caminho, Dezembro 2002, 1ª edição

 

 

saramago-livro1.jpg

 

A Maior Flor do Mundo

filme animado

José Saramago

https://www.josesaramago.org/

 

 

Um livro escrito com uma grande simplicidade, para melhor chegar aos leitores mais jovens. Os alunos gostaram muito de ler. 

 

tem também uma vertente ecológica que muito nos agrada, dado que somos 'ambientalistas' assumidos.

 

A função dos escritores, poetas e prosadores não é mesmo abrir caminho para o sonho através da criatividade?!

 

 

saramago-livro2.jpg

 

 

La Flór Más Grande del Mundo

filme animado (versão língua espanhola)

http://estaticos.elmundo.es/

 

 

Actividades:

 

  • Solicitar aos alunos que leiam o livro.
  • Aceder ao filme animado via online (computadores na sala) e deixar que os alunos o visionem.
  • Alertar para o facto de existir a versão em língua espanhola.
  • Abrir debate na sala de aula sobre a importância do livro impresso e do filme animado como recursos pedagógicos.
  • Em grupo, os alunos poderão redigir um pequeno texto comentando os dois recursos pedagógicos.
  • Solicitar o apoio de professores curriculares Educação Visual para uma possível ilustração elaborada pelos alunos.

 

 

A Professora GSouto

 

19.06.2010

 

 Licença Creative Commons

 

 

A minha Pátria... Não, ao Acordo Ortográfico

 

 

 

 

 

Fernando Pessoa 1888-1935

créditos: VL 2002

 

Patriota? Não: só portuguez.

 

Alberto Caeiro, 1º vol.

 

"Eu queria dizer-lhe que vi na RTP que está a ser aprovado o acordo de ortografia entre os países da Língua Portuguesa. Dizem que o português genuíno vai-se tornar abrasileirado. Por exemplo, óptimo vai ser ótimo ...

 

Eu só lhe queria dizer, Professora, que defendo que o Português não seja alterado, já basta na Internet!"

  

José Diogo Alves, 10 anos, 5º Ano

 

A Professora GSouto

 

17 Maio 2008

 

Licença Creative Commons