Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Escolas : Winnie the Pooh : conheces a verdadeira história ? Recursos

 

 

winnie-the-pooh8a.jpeg

 

 

illustração 'For a long time they looked at the river beneath them'

capítulo 6 do livro 'The House At Pooh Corner'

AA Milne, 1926

https://www.bbc.co.uk/

 

A ilustração 'For a long time they looked at the river beneath them' faz parte do capítulo VI intitulado 'Pooh invents a new game and Eeyore joins in' do livro 'The House At Pooh Corner' do escritor AA Milne,  publicado em 1928. Foi leiloada em 2014.

 

Talvez não saibas que Winnie the Pooh também já completou 90 anos! Mas já foi em 2016. 

 

 

winnie-the-pooh5.jpg

 

 

Winnie

true Story of the Bear who

Inspired Winnie-the-Pooh

Sally M. Walker

illustration: Jonathan D. Voss

https://www.amazon.com.mx/

 

Sabias que Winnie the Pooh foi inspirado numa ursa? Pois é! A revelação é feita por Lindsay Mattick, autora do livro ‘Finding Winnie: The True Story of the World’s Most Famous Bear’ publicado em 2015. Não há publicação traduzida em Portugal. Apenas no Brasil.

 

 

winnie-the-pooh1.jpg

 

 

Finding Winnie: The True Story of the World’s Most Famous Bear

Lindsay Mattick

illustration: Sophie Blackall

https://www.amazon.com/

 

Na obra, a escritora canadiana conta a história do seu bisavô, Harry Colebourn, um veterano da Primeira Grande Guerra que decidiu ir viver para Londres para tratar de cavalos do exército.

 

Quando ia apanhar o comboio, Harry viu uma pequena ursa presa a um poste. O homem decidiu salvá-la, levá-la para Inglaterra e dar-lhe o nome Winnie, o diminutivo de Winnipeg, a sua terra natal no Canadá.

 

 

winnie-the-pooh4.jpg

 

 

Harry Colebourn & real Winnie bear

créditos: Library and Archives Canada

https://en.wikipedia.org/

 

Harry manteve Winnie a ser lado até partir para França. Sabendo que a ursa não podia viajar com ele, o homem decidiu entregar Winnie ao jardim zoológico de Londres.

 

Apesar de Colebourn ter deixado a ursa para trás, Winnie esteve muito pouco tempo sozinha. Um menino chamado Christopher Robin ia várias vezes ao zoo visitá-la. Gostava tanto do animal que até decidiu mudar o nome do seu urso de peluche de Edward para Winnie.

 

 

winnie-the-pooh3a.jpg

 

 

 AA Milne/ Christopher Robin & Pooh Bear, 1926

créditos: Alamy

https://www.theguardian.com/books/

 

Quem era o pai de Christopher Robin? O escritor A. A. Milne, autor das histórias que se ‘vividas’ no Bosque dos 100 Acres por Winnie the Pooh, Piglet e os seus amigos. 

 

 

winnie-the-pooh7.jpg

 

 

Harry Colebourn & a ursa Winnie

Winnie-the-Bear statue in Assiniboine Park Zoo

 Winnipeg, Manitoba, Canada

https://en.wikipedia.org/wiki/

 

No Canadá existe mesmo a estátua em tamanho real de Harry Colebourn e a ursa Winnie no Park Zoo Winnipeg.

 

Em Agosto 2018, segundo um jornal inglês, ficamos a saber que os fãs de Winnie the Pooh podem explorar os locais reais que inspiraram as histórias de A.A. Milne. Wow!

 

Milne começou a escrever livros infantis depois de ver o filho, Christopher Robin, a brincar na floresta perto da sua casa de campo em Ashdown Forest, em East Sussex, Inglaterra.

 

 

winnie-the-pooh-film1.jpg

 

 

Ashdown Forest, East Sussex, Inglaterra

Goodbye Christopher Robin

Simon Curtis, 2017

https://www.imdb.com/

 

Para aqueles que querem participar na aventura, o jornalista recomenda caminhar a partir da aldeia de Nutley.

 

Os locais nessa área que inspiraram lugares dos livros incluem o Bosque dos Quinhentos Acres (conhecido como o Bosque dos Cem Acres no mundo de Pooh) e o Gill’s Lap (conhecido como Galleon’s Lap nas histórias).

 

 

 

 

Ir + longe:

 

Em 2017 o filme Goodbye Christopher Robin, foi baseado na relação do escritor AA Milne e seu filho, Christopher Robin, e como tudo isso se tornou inspiração para Wnnie the Pooh.

 

Goodbye Christopher Robin é um filme baseado na verdadeira história do escritor que criou o Winnie the Pooh, um dos mais apreciados contos infantis.

 

 

winnie-the-pooh-film.jpg

 

 

Goodbye Christopher Robin

Simon Curtis, 2017

https://www.imdb.com/

 

Sinopse:


O filme tem lugar depois da 1ª Guerra Mundial e acompanha a vida de A.A. Milne e do seu filho, enquanto criam o mundo encantado do Winnie the Pooh, que ajudou a afastar a tristeza do pós-guerra.

 

Não sei passou em Portugal. Quem sabe poderás descobrir?

 

Actividades:

 

“A day without a friend is like a pot without a single drop of honey left inside.”


Winnie-the-Pooh

 

  • Ver o vídeo do filme em sala de aula e explorar com apoio de fichas pedagógicas;

 

  • Ler citações dos livros de Winnie the Pooh (Inglês) aqui e soliciar aos alunos a tradução em Português.

 

  • Seleccionar as melhores traduções e fazer um Jornal de Parede.

 

A Professora GSouto

 

29.01.2019

 

Licença Creative Commons

 

Eh ! Esta madrugada muda a hora

 

http://9.fotos.web.sapo.io/

 

Esta madrugada muda a hora. Quando forem 2:00 horas, vais ter que atrasar o relógio uma hora, isto é, passa a ser 1:00 hora. Uma mudança que vai tornar os dias mais curtos. Uma lástima.

 

Depois do equinócio de Verão que nos enche de boa disposição, dias mais longos, mais solarengos, volta a Hora de Inverno.

 

Saber +

 

Com a chegada da hora de Inverno, os portugueses do continente e Madeira terão de, na madrugada deste domingo, atrasar os relógios 60 minutos, quando for 02:00 da manhã. Nos Açores, a mudança é feita à 01:00 hora, passando os relógios a marcar 00:00 horas

 

“A génese está relacionada com a poupança de energia, mas hoje já não há grandes poupanças, trata-se de uma questão de comodidade"

 Rui Agostinho. director do Observatório Astronómico de Lisboa (OAL)

 

Rui Agostinho, acrescenta ainda que "as pessoas reajustam a sua actividade à hora do Sol mesmo que o relógio marque uma hora diferente”.

 

Ganha-se uma hora de sono, mas o nosso corpo precisa de cerca de um dia para se reajustar. Claro que “cada caso é um caso”. Há pessoas para quem uma hora não chega para reajustar o corpo à mudança. A maior parte sofre desse mal durante os primeiros dias. E até há que sofra durante todo este tempo sombrio, com menos sol.

 

A mudança da hora acontece em todos os países da União Europeia, ao mesmo tempo, desde 1916, mas há países que não fazem parte dos "UE 28" e escolheram seguir as mesmas normas.

 

Na Europa há no entanto países como a Arménia, a Bielorrússia, a Geórgia e a Rússia que não atrasam os relógios em Outubro nem em Março. Felizardos.

 

 

 

No Brasil, a hora de inverno já foi alterada na noite de sábado, 17 Outubro 2015.

 

Em África, a hora é inalterável na maior parte dos países. A Líbia é dos poucos países africanos que muda, alinhando pela lógica europeia, mas a mudança acontece na última sexta-feira dos meses de Março e Outubro e não no último domingo.  

  
Marrocos, Namíbia e Saara Ocidental também têm dois horários, mantendo-se o resto do continente inalterável, o que também acontece com a Ásia, onde apenas cinco países mexem nos relógios: Irão, Israel, Jordânia, Líbano e Síria.  
  
Na Oceânia, apenas a Austrália, Nova Zelândia, Fiji e Samoa têm horários de Inverno e de Verão, embora no continente americano, especialmente na América do Norte e Central, mais países mudem a hora.

 

Só alguns países da região optaram, no entanto, por deixar de ter hora de inverno e de verão em 2010. Concluindo, na América e no mundo, são mais os países que não mudam do que os que mudam.  O director do OAL refere que o “ajustamento é mais sentido de acordo com a latitude em que se está”, razão pela qual nas bandas equatoriais não existe diferença na mudança de horário.

 

 

 

http://static.euronews.com/

 

Portugal continental e a Região Autónoma da Madeira estão no mesmo fuso horário do Reino Unido, Irlanda, Islândia e das Ilhas Canárias, em Espanha.

 

Ir + longe:

 

Na Europa, a mudança da hora começou na I Guerra Mundial e teve como objectivo poupar combustível, numa altura em que este era racionado.

 

Mas a mudança de hora foi falada pela primeira vez há séculos (na altura para poupar velas) e um dos primeiros que a sugeriu foi o cientista, inventor e político americano Benjamim Franklin (1706-1790).

 

Daylight Saving Time é o nome original atribuído a esta mudança de horário. Entre as pessoas que sugeriram esta mudança de horário estão Benjamin Franklin, nos EUA, William Willett, no Reino Unido, e George Vernon, na Nova Zelândia. A medida era aplicada de forma a poder poupar carvão, velas e ajustar os horários de forma a conseguir obter mais luz solar e mais temperatura.

 

Actualmente já não há impacto económico, mas apenas social, já que os horários de trabalho coincidem mais com a luz solar. Mesmo assim, a União Europeia reavalia a manutenção dos horários de Verão e de Inverno de cinco em cinco anos. Para quando a mudança deste sistema?


Em Portugal, em 1992, o governo português adoptou o horário da Europa central, mas a opção foi muito criticada, porque no Inverno, o Sol nascia muito tarde e, no Verão, era de dia até depois das 22:00. Entao, em 1996, o governo repôs a hora antiga, e também foi muito criticado.

 

 

 

Certo é que com estas mudanças da hora, duas vezes por ano, o nosso organismo ressente-se profundamente, reflectindo-se no sono (ou falta dele), sistema nervoso, e ritmo cardíaco, causando stresse. 

 

Sentimo-nos mais cansados, as nossas energias baixam. Há estudos científicos que demonstram bem como é nociva esta mudança bianual para todos nós.

 

Bom, a partir deste domingo, dia 25 Outubro 2015, para a maioria dos portugueses será muito desagradável saltar da cama ainda noite, muito mais para crianças e adolescentes em idade escolar. E muito triste sair da escola ou do trabalho, já noite.

 

Vamos andar todos cansados, resmungões, durante as primeiras semanas até o nosso relógio biológico se adaptar, lá isso vamos.

 

Quando já estivermos bem adaptados, vem a mudança para a hora de Verão. E aí ninguém se queixa de menos uma hora de sono ! É que é tão bom acordar à luz do dia, e ter fins de tarde mais luminosos!

 

Agora é esperar pela próxima mudança de horário que será feita daqui a cinco meses, no último domingo de Março, dia 27 2016.

 

 Haja paciência até lá. 

 

A Professora GSouto

 

24.10.2015

 

Licença Creative Commons