Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Dia Mundial da Criança : A Minha Vida de Courgette : explorar em sala de aula

 

 

 

 

 

A Minha Vida de Courgette

Claude Barras, 2016

http://cinecartaz.publico.pt/ 

 

A Minha Vida de Courgette está nas salas portuguesas. Um filme de animação do suiço Claude Barras. Foi nomeado para os Oscars 2017, na categoria de Melhor Filme de Animação.

 

No Dia Mundial da Criança, um fime que fala de algumas crianças em perigo, vítimas de maus tratos, mas com uma ternura que tocará os alunos. 

 

 

courgette2.jpg

 

 

A Minha Vida de Courgette

Claude Barras, 2016

http://www.rts.ch/fiction/

 

 

Sinopse

 

Courgette é uma alcunha curiosa para um rapaz de nove anos. Porém, a sua história única é surpreendentemente universal. Após a morte acidental da sua mãe, uma alcoólica violenta, Courgette torna-se amigo do polícia Raymond, que o acompanha ao orfanato, cheio de outros jovens da sua idade. Crianças vindas de famílias desfeitas pela droga, pela violência, pelo abandono ou pelo desleixo.

 

No início, tem de lutar para encontrar o seu espaço nesse ambiente estranho e por vezes hostil. Mesmo assim, com a ajuda de Raymond e dos seus novos amigos, Courgette acaba por aprender a confiar e pode ser que encontre o verdadeiro amor.

 

 

courgette4.jpg

 

 

 Claude Barras

A Minha Vida de Courgette, 2016

http://www.c7nema.net/

 

"Quando tinha 10 anos li um livro o qual achei muito bom (Autobiographie d'une courgette), que me remetia às séries de órfãos como Nobody's Boy: Remi ou a Heidi. Hoje em dia há menos diversidade de filmes para crianças, não há muitos filmes realistas ou que simplesmente falam da realidade para os mais novos. Foi por isso que decidi adaptar o livro.

 

Courgette é um pouco diferente dos outros filmes. Em vez de ser um filme para crianças, é um filme sobre crianças.

 

É uma abordagem realista sobre a infância na animação, a dirigir-se também às crianças e com a estrutura de um conto."

 

Claude Barras, excerto entrevista C7nema

 

 

courgette3.jpg

 

A Minha Vida de Courgette

Claude Barras, 2016

http://www.rts.ch/fiction/

 

Saber +

 

Não parece ser tema para um filme de animação, mas é. Fala de coisas muito sérias que implicam os adultos e as crianças, sem perder humor e ternura.

 

A Minha Vida de Courgette, é uma produção franco-suíça, a primeira longa-metragem do realizador suíço Claude Barras, escrito pela também realizadora e argumentista francesa Céline Sciamma, com base no livro Autobiographie d’une Courgette, de Gilles Paris.

 

 

courgette-livre.jpg

 

 

Autobiographie d'une Courgette
Giles Paris, 2001
http://livre.fnac.com/

 

Foi nomeado para o Óscar de Melhor Filme de Animação (longa-metragem). Ganhou, entre muitos outros prémios, o Cristal de Prata e o Prémio do Público do Festival de Annecy,  Festival d'Angoulême, o Prémio de Cinema Europeu para a Melhor Animação, o César da respectiva categoria em Les César, bem como a Monstra 2017 (programação Pais e Fillhos).

 

 

 

 

Claude Barras neste filme inventivo, subtil, melancólico e afetuoso, que pega no que é delicado e complexo e o troca – literalmente — por miúdos de forma simples e eficaz, conseguindo tocar e envolver os mais pequenos e os mais crescidos. Mostra com poesia o dia-a-dia de um orfanato.

 

 

courgette6.jpg

 

 

A Minha Vida de Courgette

Claude Barras, 2016

http://www.rts.ch/fiction/

 

Educadores:

 

A Minha Vida de Courgette é, sem dúvida, um recurso digital extremamente rica no processo de aprendizagem para a vida sob e ponto de vista pedagógico. 

 

Uma reflexão sobre sentimentos e afectos crianças em perigo e perante situações adversas - sem pais para os acarinhar, e a viver em casas de acolhimento que, algumas vezes não oferecem as melhores condições estruturais. Uma importantee comovedora históra de aprendizagem.

 

Adoro filmes de animação. Eu muitas vezes integro-os como recursos educacitovos nos currículos escolares. 

 

Lembro mais recentemente, As Memórias de MarnieO Conto da Princesa Kaguya entre outros (currículos Língua Portuguesa, currículos Língua Francesa LE).

 

Os resultados pedagógicos junto dos alunos são magníficos. Dão uma certa frescura aos programas curriculares imprimindo uma dinâmica viva e criativa.

 

 

courgette7.jpg

 

A Minha Vida de Courgette

Claude Barras, 2016

http://www.rts.ch/fiction/

 

Actividades: 

 

  • Rever género literário: a Narrativa;
  • Fazer estudo comparado da literatura infantil e juvenil;
  • No caso de aluno/aluna que já ultrapassaram situações de perigo e/ou orfandade, apelar para o um testemunho (mediante conversa prévia para saber se os alunos estáo disponíveis para o fazer) em sala de aula.
  • Exprimir por escrito (diário) sentimentos de solidão, abandono, orfandade, maus tratos, por parte dos alunos.
  • Antes ou depois da exploração de algumas destas actividades, segundo o tempo de exibição em salas de cinema, agendar uma visita de estudo: ida ao cinema verA Mnha Vida de Courgette.
  • Posterior debate em sala de aula. 
  • Possível projecto transcurricular: Lingua Portuguesa, Educação Visual, Música, Tenologias.

 

Nota: Não aconselhável a alunos cujo nível etário seja inferior a 9/10 anos se não forem previamente preparados para a temática do filme.

 

A Professora GSouto

 

102.06. 2017

 

Licença Creative Commons

 

Alice Vieira... 30 anos de livros!

 

 

 

 

Alice Vieira

Rosa minha irmã Rosa

http://1.bp.blogspot.com/

 

Quem não leu Rosa minha irmã Rosa? Quase todos os professores curriculares de Língua Portuguesa fizeram a leitura orientada desta obra de Alice Vieira, ou então deram indicação aos aos alunos para lerem o livro e e depois fez o contrôlo com uma ficha de leitura.

 

É uma das obras recomendada pelas Metas Curriculares de Português para o 6º ano de escolaridade.

 

"Mariana, filha única, tem dez anos quando Rosa nasce. Agora vai partilhar tudo com a irmã: o quarto, o tempo dos pais, o afecto da família - incluindo a Avó Elisa que desconfia do progresso, e a Tia Magda, que tem um dente de ouro, uma fala que mete medo e só gosta de estrelícias e antúrios. Mas pelo menos a recordação da Avó Lídia e a amizade de Rita ela não quer dividir com mais ninguém. Será que Rosa vai continuar a ser "uma intrusa"?"

 

 

Lote 12, 2º Frente

Alice Vieira

 http://www.caminho.leya.com/

 

Este primeiro romance de Alice Vieira inaugura assim a trilogia constituída também por Lote 12, 2º Frente (1980) e Chocolate à Chuva (1982). 

 

alicevieira-rosa_minha_irma_rosa.jpg

 

Alice Vieira

Rosa minha irmã Rosa

 http://www.caminho.leya.com/

 

Foi com Rosa minha irmã Rosa que Alice Vieira começou a sua carreira de escritora de livros infantis e juvenis. Faz agora 30 anos! Imaginem!

 

A efeméride "Alice Vieira 30 Anos de Livros" decorrerá até final de 2009 com uma megacampanha com logótipo próprio e muitos brindes gratuitos para distribuição em centenas de livrarias, bibliotecas e escolas de todo o país.

 

 

Alice Vieira

Contos de Grimm para Meninos Valentes

https://www.leyaonline.com/

 

Em Contos de Grimm para Meninos Valentes poderás conhecer histórias de encantar que o tempo trouxe de longe e que Alice Vieira escolheu e escreveu: Onde Está o Medo? Os Sapatos Estragados São José e as Três Irmãs Os Doze Corvos Onde Estão os Tolos deste Mundo?

 

Diverte-te a ler e a descobrir a sabedoria que cada conto tem para te dar!

 

 

Alice Vieira

Vinte cinco a 7 vozes

http://www.caminho.leya.com/

 

"Que foi que aconteceu no dia 25 de Abril de 1974? Aparentemente a resposta é fácil. Mas só aparentemente, pois tudo vai depender da idade que têm os que a ela respondem...

Para os mais novos, aqueles a quem 1974 é a Pré-História, 25 de Abril, 10 de Junho, 5 de Outubro ou 1.º de Dezembro é tudo o mesmo, ou seja, é feriado e isso é que importa. Mas para os mais velhos, as coisas não são assim tão simples.

Do conjunto de sete vozes diferentes se faz esta história - com um final feliz, já que a liberdade também se pode festejar de mãos dadas num centro comercial da cidade..."

 

Eis apenas alguns dos livros de Alice Vieira na sua longa vida de escritora, muito apreciada na literatura juvenil.

 

Celebram-se pois três décadas da autora, cuja obra está actualmente publicada em cinco editoras do grupo: Leya: Texto, Caminho, Dom Quixote, Oficina do Livro e Casa das Letras.

 

Desde 1979, Alice Vieira escreveu mais de 70 livros para crianças e adolescentes, vendeu cerca de dois milhões de exemplares e ganhou alguns dos mais significativos prémios em Portugal e no estrangeiro. 

 

 

Este Reu Que Eu Escolhi

Alice Vieira

http://www.caminho.leya.com/

 

Recebeu em 1979, o Prémio de Literatura Infantil Ano Internacional da Criança com Rosa, Minha Irmã Rosa, em 1983, com Este Rei que Eu Escolhi, o Prémio Calouste Gulbenkian de Literatura Infantil, e em 1994 o Grande Prémio Gulbenkian, pelo conjunto da sua obra.

 

Foi indicada, por duas vezes, como candidata portuguesa ao Prémio Hans Christian Andersen. Trata-se do mais importante prémio internacional no campo da literatura para crianças e jovens, atribuído a um autor vivo pelo conjunto da sua obra.

 


 

 A campanha tem também uma vocação solidária: dentro dos livros encontra-se um postal que deverá ser enviado à escritora com uma mensagem ou um desenho de parabéns, revertendo depois o valor em favor das bibliotecas de Timor. Ou seja: por cada postal recebido, a Leya oferece um livro ao país com o qual Alice Vieira “tem uma relação especial”, segundo comunicado de imprensa.

 

Todos os pormenores da campanha, bem como notícias e entrevistas, podem ser acompanhados no novo blogue aqui.

 

 

Alice Vieira

Flor de Mel

http://www.caminho.leya.com/

 

 De assinalar que a escritora obteve em 20 de Julho último a  Estrela de Prata do Prémio Peter Pan, atribuída pela International Board on Books for Young People (IBBY) e pela Feira do Livro de Gotemburgo pelo seu novo livro "Flor de Mel".

 

 

Alice Vieira : Flor de Mel

tradução sueco: Lusima Böcher

 http://diariodigital.sapo.pt/

  

 "Honungsblomma" na tradução sueca, "Flor de Mel" foi publicado na Suécia pela Lusima Böcker em 2008. O prémio, sem dotação pecuniária, consta de um diploma para o autor, o ilustrador, o tradutor e o editor sueco.

 

Publicado pela Lusima Böcker em 2008, o lançamento do livro contou com a presença da autora, que se deslocou especialmente para a ocasião. As suas obras foram traduzidas para várias línguas, como o alemão, o búlgaro, o basco, o castelhano, o galego, o catalão, o francês, o húngaro, o holandês, o russo, o italiano, o chinês, o servo-croata. 

 

O "Prémio Peter Pan" foi instituído em 2000 pelo IBBY da Suécia e pela Feira do Livro de Gotemburgo, sendo atribuído anualmente a um livro infantil ou juvenil, de autor estrangeiro, atendendo ao tema tratado e à qualidade literária da obra. A entrega do prémio terá lugar agora em Setembro.

 

Alice Vieira é hoje uma das mais importantes escritoras portuguesas para jovens, tendo ganho grande projeção nacional e internacional.

 

 

Merecidíssimo, este galardão!

 

A Professora GSouto

 

06.09.2009

 

 Licença Creative Commons

 

Manoel de Oliveira... 100 anos!

 

 

 
 
 Manoel de Oliveira
 
 


 

Manoel de Oliveira

 
 
Quer se goste ou não da sua arte, Manoel de Oliveira é um conceituado cineasta português nas comunidades intelectuais mundiais, ligadas à arte cinematográfica e não só.
 
Pois bem! Manoel de Oliveira acaba de celebrar o seu 100º aniversário... a filmar! Já imaginaram?
 
 
Este nome não deve dizer nada à maioria dos meus jovens alunos. Mas Manoel de Oliveira é uma das mais importantes personalidades contemporâneas portuguesas.
 
E os jovens devem conhecer os valores do seu país. Para mais nascido na sua cidade, o Porto.
 
Manoel de Oliveira nasceu no Porto, em 1908, no seio de uma família da alta burguesia nortenha, com origens na pequena fidalguia.
 
 

"Manuel de Oliveira é internacionalmente reconhecido há muito tempo. Penso que é um dos maiores cineastas do século XX. Ele ajudou a projectar Portugal no Mundo, a dar a conhecer a nossa cultura, a nossa história, as nossas gentes."

 

Presidente da República Portuguesa

 

 

Manoel de Oliveira, 2008

 

http://www.festicinehuelva.com/

 

Além de diversos prémios e distinções cinematográficas, no plano oficial, Manoel de Oliveira recebeu em 1982 a Comenda da Ordem de Mérito da República Italiana e, no ano seguinte, foi condecorado Comendador da Ordem de Artes e letras de França.

 

 
Em 1989, recebeu a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique e em 1997 foi distinguido como Grande Oficial de Mérito pela República e do Governo Francês. 
 
 
Recebeu no dia 11 de Dezembro de 2008 a Grã -Cruz da Ordem do Infante Dom Henrique.
 
 
in Público
 
 
É fabuloso ver uma pessoa de 100 anos, a trabalhar, mostrando a sua arte e criatividade. E saber como está  bem consciente, e crítico do seu próprio mérito.
 
 
"Estou muito sensibilizado e emocionado. Não sei se mereço isto. Suponho que não, até porque não é mérito próprio chegar à idade que cheguei. São caprichos da natureza, mas é agradável!"

 

Manoel de Oliveira

 

manoeldeoliveira-angelique.jpg

 

http://www.imdb.com/

 

Terminado mais  um filme Manoel de Oliveira manifestou vontade de rodar "O estranho caso de Angélica" recuperando um projecto dos anos 50, que o realizador gostaria de estrear em Maio de 2009, no Festival de Cannes, em França!

 

Público, (11.12.2008)

 

Sei que o cinema do cineasta será um pouco complexo para a vossa idade, mas ficam pelo menos a conhecer um pouco de um dos mais célebres e galardoados cinestas mundiais. Daqui por poucos anos, vão querer saber mais e ver até algum dos seus filmes.

 

 

A Professora GSouto

 

14.12.2008

 

 

 

 

Licença Creative Commons