Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Noite de São João na cidade do Porto

 

 

 

São João no Porto

autor: não identicado

http://plturismo.com/

 

Portuense/Tripeiro que é portuense só tem uma preocupação. Sair na noite de São João de martelinho na mão, ou o alho-porro, há aqueles que ainda gostam do ramo de erva cidreira para esfregar na cara das gaitas e procurar o bailarico mais animado. Tudo é festa!

 

Percorrem-se as ruas da cidade que se vão enchendo de gente. Os muitos turistas que acorrem à cidade para participar desta festa original, passaram a fazer parte deste ritual bem 'tripeiro'. A maior parte das pessoas não teme a confusão e dirige-se para a Ribeira e para o Cais de Gaia, mas todas as ruas vão dar às festas da noite sanjoanina.

 

Não se sabe quando começou essa tradição.  Aponta-se o século XIV, de na noite de S. João, não se parar por um minuto. Pelo menos, os mais novos, fazem questão de percorrer, depois do fogo de artifício, todos bailaricos da marginal até à Foz do Douro. E a noite, já quase a nascer o dia, acaba nas praias do Porto.

 

Ah! Dessa festa, fazem parte as tradicionais cascatas. E não se esqueça de comprar o manjerico! Diz a tradição que os namorados ofereciam os manjericos às suas amadas. Se for o seu caso, escolha com uma quadra bem romântica.

 

 

Cascata de São João, Porto

créditos. Lusa

http://thumbs.web.sapo.io/

 

As cascatas dos santos começam a ser construídas no início do mês de Junho. As lojas (e também hotéis e restaurantes) decoram as montras com cascatas e há umas maiores montadas junto dos bairros mais típicos da cidade. É interessante verificar as personagens – além dos santos que se celebram neste mês: Santo António, S. João e S. Pedro - que compõem as cascatas, já que geralmente representam antigas profissões.

 

Ainda que se veja cada vez menos essa tradição, saltar às fogueiras é uma das actividades mais primitivas destas festas. Ainda existem em alguns bairros mais típicos. Diz-se que, se saltar três vezes por cima da fogueiras, fica protegido contra o mal durante um ano. Ou seja, até à próxima festa de S. João.

 

 

Cais da Ribeira, noite de São João

autor: não identificado

http://www.tour-portogallo.it/

 

Saber +

 

São João pode ne ser o padroeiro oficial do Porto, mas é ele quem tem direito à maior festa da cidade. Na quinta-feira, quando o sol se começar a pôr, milhares de pessoas vão enchendo o centro histórico da cidade do Porto para dançar nos muitos bailaricos.

 

O cheiro a sardinha assada vai andar no ar e o som dos martelinhos de plástico vai ser a banda sonora que mais se vai ouvir. Só lá perto da meia-noite é que abranda, para se apreciar o espectáculo de fogo-de-artifício. E depois tudo continua pela noite dentro até ao romper do dia.

 

Os símbolos da festa já se conhecem. O espírito festivo apodera-se de nós e, de manjerico ao lado do teclado do telemóvel, partilham-se fotografias com amigos, família numa noite de São João que é sem dúvida inesquecível.

 

 

Porto, noite São João

autor: não identificado

http://portugalconfidential.com/

 

Ir + longe:

 

Apesar de ser o santo mais celebrado da Invicta - a noite de 23 para 24 de Junho é sem dúvida a maior festa da cidade que dá direito a feriado municipal - São João não é o padroeiro do Porto.

 

 

 

 Nossa Senhora da Vandoma

padroeira da cidade do Porto

https://commons.wikimedia.org/

 

Na verdade, a cidade tem uma padroeira, Nossa Senhora da Vandoma. Nos mais antigos brasões da cidade pode ler-se a inscrição latina “civitas virginis”/ cidade da virgem, em referência a Nossa Senhora da Vandoma.

 

O feriado municipal do Porto no dia 24 de Junho foi escolhido por referendo à população em 1911. De acordo com Hélder Pacheco, autor de vários livros sobre o Porto, entre os quais Porto. O Livro do S. João, o Governo Provisório da República impôs a escolha do feriado à cidade.

 

Aquando da aprovação, sabe-se que o feriado foi aprovado “não como dia de São João, mas como de festa da natureza”, mostrando o cuidado dos republicanos em associar a escolha à festa do solstício e não a uma celebração religiosa.

 

 

 

Tradições Festa S. João

autor: não identificado

http://www.portugaltraveltips.co.uk/

 

Tradições:

 

As sardinhas são as rainhas de qualquer festa portuguesa de Santos Populares e, na noite de São João, até nos restaurantes mais in se instala à porta um braseiro para servir o peixe azul, com pimentos a acompanhar.

 

Depois da refeição, o melhor é ficar a ver o fogo-de-artifício, entre os cais da Ribeira e de Gaia, já que o rio e a Ponte D. Luís I estão no horizonte.

 

A maior parte das pessoas não teme a confusão e dirige-se para a Ribeira e para o Cais de Gaia, mas há outras opções.

 

 

 

Fogo pirotécnico

Noite de São João

foto: autor não identificados

http://www.the-yeatman-hotel.com/

 

Quanto ao fogo-de-artifício, ao soar das 12 badaladas, o céu sobre o rio Douro e a Ponte D. Luís I sofre o efeito inverso da Cinderela e torna-se num espectáculo fabuloso.

 

Este ano, o espectáculo piro-musical vai durar 16 minutos. Promete-se uma viagem pelo rock nacional e internacional, começando com “Thunderstruck” dos AC/DC, seguido de Pink Floyd, Scorpions, Guns N’ Roses, Rolling Stones e Queen, terminando com a “Minha Casinha”, dos Xutos e Pontapés.

 

“Ah... quem viu o fogo uma vez já viu todas.” É a mais pura das mentiras! O fogo de artifício do S. João combinado entre as duas cidade, Porto e Gaia, e na Ponte Luís I é um dos mais bonitos espectáculos de pirotecnia do mundo. Não, não é como o fim de ano em Sydney! Também não exageremos... Mas a paisagem do Porto é bem mais bonita.

 

A Ribeira ou o Cais de Gaia são os melhores locais públicos para ver o fogo, a seguir aos barcos que estão no rio. A Sé do Porto vem em terceiro lugar nas escolhas, ideal para quem gosta de ver o espectáculo mais próximo das alturas.

 

As duas margens do rio ficam completamente inundadas de gente. Há ainda quem fique nos dos restaurantes,bares dos cais e até em barcos.

 

 

 Festas musicais na cidade Porto, São João

autor: não identificado

http://radar64.com/

 

Músicas populares na noite de São João, quase ninguém resiste a dançar, ou a entrar no comboio de gente que se forma assim que começa a tocar o acordeão de Quim Barreiros. Há bairros que têm uma banda em palco a tocar, com as Fontainhas à cabeça. 

 

Nos Arcos de Miragaia há sempre festa, assim como em Massarelos e no Largo de Nevogilde. A Praça D. João I tem palco montado e carrinhas de comes e bebes há já alguns dias. Para os preferem sítios mais calmos, há na Rotunda da Boavista uma boa opção, com vários divertimentos para crianças e uma roda gigante que dá uma perspectiva da cidade fantástica. Não que aprecie esse tipo de divertimentos, mas é o que dizem.

 

 

Martelinhos

créditos. Lusa

http://thumbs.web.sapo.io/

 

Seja pequeno, de tamanho respeitável ou assustador, o que interessa é ter um. Os martelos de plástico que as pessoas levam na noite de São João para bater na cabeça de desconhecidos são a imagem de marca da festa no Porto, ainda que não conste que São João Baptista andasse a bater com tal objecto em cabeças alheias.

 

Quem não tem um, não precisa de ir a correr comprar, pois vão estar à venda em cada esquina. O trajecto clássico de batidelas faz-se da Avenida dos Aliados (comemora este ano 100 anos), descendo até à Ribeira. A partir da uma da manhã, é começar a caminhar em direcção à Foz, como fazem milhares de resistentes. Pelo caminho há que contar com algumas marteladas na cabeça, barracas de farturas e música: Há sempre bailarico no coreto do Passeio Alegre.

 

 

Lançamento de balões

S. João no Porto

autor: não identifcado

http://thumbs.web.sapo.io/

 

Este ano, o São João faz-se com temperaturas amenas. Muitos balões a voar nos céus que podem não ser tão visíveis se a noite descer enevoada. No Mercado Bom Sucesso, vai ter lugar uma largada de balões às 23h45 bem como no largo da Casa da Música.

 

Na Avenida dos Aliados, mesmo em frente à CMP há espectáculo musical gratuito com Xutos e Pontapés às 01:00 horas.

 

Dia das Mentiras ! Origem e tradições

 

 

 

Lenbro quando os alunos tentavam contar-me uma mentira neste dia dia 1 de abril? Como já tinha alguma experiência destas partidas, deixa-vos brincar comigo por alguns minutos, fingindo que acreditava.

 

Já na imprensa é um pouco mais difícil distinguir uma notícia falsa de verdadeira. Até porque há jornalistas de qualidade a pregarem-nos algumas partidas... muito a sério.

 

No passado próximo, o "dia das mentiras" chegou a ter honras de primeira página nos jornais mas, nos últimos anos, a imaginação tem escasseado ou os jornalistas sentem-se menos motivados.

 

Houve Autocarros com três pisos que estavam a chegar, o Centro Cultural de Belém estava a afundar ou a Câmara de Lisboa ia mudar-se para um hotel. Mais recentemente foi noticiado que a "troika" exigia que a velocidade da internet baixasse.

 

O motor de pesquisa mais conhecido, o Google, é o que continua a surpreender. Veremos mais abaixo.

 

Saber +

 

Mas qual a origem desta tradição do Dia das Mentiras? 

 

A origem do Dia das Mentiras é incerta. Conta-se que tem origem provável em 1564, quando o rei francês Carlos IX, ou a sua mãe, fez publicar um decreto alterando a data de início do ano civil, que passou de 01 de abril para 01 de janeiro.

 

Isto fez com na Grã Bretanha, as pessoas que acreditaram  passaram a ser 'gozados' e apelidados de «April fools», sendo ainda hoje o Dia das Mentiras conhecido como April Fool’s Day.

 

Como na altura do ano novo se costumavam trocar presentes, os adeptos do novo calendário mudaram a tradição para Janeiro, mas mantiveram subtilmente o costume de Abril, desta vez, porém, com presentes falsos e falsas mensagens de felicitações, que resultaram depois em partidas e mentiras.

 

A tradição foi posteriormente alargada a toda a Europa, com a difusão da cultura francesa, ao continente americano e ao resto do mundo, acabando por se contar mentiras em toda a parte.

 

Há ainda quem associae esta data aos festivais de primavera que assinalavam o fim do inverno, e onde os foliões libertavam alguma da loucura contida durante os meses de frio.

 

O Dia das Mentiras no mundo:

 

São muitos os países que valorizam o Dia das Mentiras, como é o caso da Polónia, da Escócia e até, surpreendentemente, do Irão.

 

 

cartoon Poisson d'avril

 

 

Em França, o dia denomina-se  Poisson d’Avril. Nas escolas, muitos alunos têm o hábito de colar o desenho de um peixe nas costas dos colegas sem que estes se apercebam, rindo-se discretamente deles.

 

Algumas regiões italianas também já adoptaram esta brincadeira. 

 

Na Escócia, a data tem o nome de «Huntigowk Day», sendo «gowk» a palavra usada pelos escoceses para se referirem ao cuco ou a uma pessoa tola. Muitas pessoas aproveitam o dia para passar a tarde no ar livre com amigos, pregando mutuamente partidas.

 

 

Holi summer

http://www.ibizatrendy.com/

 

Na Índia, o festival Holi, a 31 de Março, é a oportunidade ideal para lançar pós coloridos. Festival que se repete hoje em muitos países ocidentais.

 

Em Portugal, antigamente, em algumas regiõs, neste dia 1 Abril atirava-se farinha.Uma prática inspirada no evento indiano.

 

Na Dinamarca, Finlândia, Noruega e Suécia, o Dia das Mentiras é marcado, sobretudo nas zonas mais rurais, com fogueiras, celebrando a chegada da Primavera e a (ligeira) subida nas temperaturas.

 

 

Google, o maior motor de busca do mundo é um perito em pregar mentiras neste dia. Já tem fama e leva-nos sempre a uma vasta lista de mentiras. Ora leiam a lista de partidas da Google 2016

 

 

 

 

Será verdade ou mentira o que se reproduz neste video? Saberemos daqui a uns dias. 

 

Actividades:

 

Estão de férias de Páscoa, Este ano não vai ser possível pregarem partidas aos colegas  ou contar mentiras aos professores.

 

Mas por que não fazer uma pesquisa sobre tradições de 'Dia das Mentiras' em vários países e debatê-las na próxima segunda-feira, primeiro dia de aulas, com amigos e professores?

 

Divirtam-se hoje! E tenham cuidado com as partidas que pregam. É que há pessoas que não aprecian muito...

 

A Professora GSouto

 

01.04.2016

 

Licença Creative Commons

 

Referências DN| Media

 

Dia do Pai ! Vamos oferecer livros ?

 

doodle-dia-pai.jpg

 

Google Doodle Dia do Pai

http://www.google.com/doodles/

 

O Dia do Pai em Portugal é comemorado no dia 19 de Março. Celebra-se no dia de São José, santo popular da igreja católica (pai de Jesus Cristo).Uma tradição que se repete em vários países de religião católica. 

 

A celebração do Dia do Pai no dia 19 de Março tem lugar em Portugal, Espanha, Itália, Andorra, Bolívia, Honduras, Liechstenstein, Croácia. A celebração da data varia de país para país.

 

Em França, o Dia do Pai celebra-se no 3º domingo de Junho.

 

Gogle parabeniza os pais com um o Doodle o Dia do Pai, esqueceu Portugal na lista de países. No entanto, ao acedermos à página principal do motor de busca, é-nos apresentado. Será que se redime dessa falha? Ou confunde Portugal com Espanha?

 

 

 Saber+

 

Origem Dia do Pai : Existem duas histórias sobre a origem do Dia do Pai

 

  • A instauração do Dia do Pai teve origem nos Estados Unidos da América, em 1909. Sonora Louise Smart Dodd, filha de um militar resolveu criar o Dia dos Pais motivada pela admiração que sentia pelo seu pai, William Jackson Smart, pelo facto de este ficar viúvo e educar seis filhos.

 

A festa foi ficando conhecida em todo o país e em 1972, o presidente americano Richard Nixon oficializou o Dia dos Pais.

 

  • Evoca-se também, como origem dessa data a Babilónia, onde, há mais de 4 mil anos, um jovem chamado Elmesu teria moldado em argila o primeiro cartão. Desejava sorte, saúde e longa vida a seu pai, um rei babilónico famoso Nabucodonosor.

 

Em Portugal a festa esteve sempre associada ao Dia de S. José, 19 Março.

 

É prática dar um presente ao Pai, num gesto de carinho. Por que não oferecer um livro? Aqui ficam algumas sugestões para várias idades:

 

 

 

Querido Pai

Orianne Lallemand

ilustrações: Angélique Pelletier

Editorial Presença, 2012

http://www.presenca.pt/livro/querido-pai/

 

Sinopse:

 

Pai Miminhos, Pai Força, Pai Compincha, Pai Cócegas... Descubram o olhar que uma menina lança sobre os estados de alma do seu pai, acompanhados de ilustrações transbordantes de ternura.

Em Querido Pai, todos os pais do mundo são contemplados com palavras amorosas, ternurentas e de grande admiração.

 

 

 

 

 

Querido Pai

Orianne Lallemand

ilustrações: Angélique Pelletier

http://multimedia.fnac.pt/

 

Depois de Mamã Maravilha, é a vez de os pais terem a sua homenagem, num livro que é um presente ideal tanto para os mais pequenos como para os mais crescidos.

 

 

 

O Pai e Eu

Maria Teresa Gonzalez

ilustrações: Carla Nazareth 

 

Começa assim:
 
"Ser santo é viver no mundo real e ir ao encontro
das pessoas que Deus colocou no nosso caminho
e amá-las.
Para muitos de nós, essas pessoas são
a nossa própria família."
 
Irmã Wendy, Livro de Santos

 

 

 

 

 

 

Quando dissemos
a nossa primeira palavra,
o Pai foi logo contar a novidade
a toda a gente que conhecia
(e era a palavra «Mamã»)!

 


 

 

O Pai e Eu

Maria Teresa Gonzalez (excertos)

Ilustrações: Carla Narath

Porto Editora, 2011

http://static.fnac-static.com/

 

Ser Pai não é fácil, sobretudo quando
tem de nos ralhar ou pôr de castigo..."
(...)
 

 

Maria Teresa Gonzalez, O Pai e Eu, Porto Editora

(excertos)

Ilustrações Carla Nazareth

 

Sinopse:

 

Quando dissemos a nossa primeira palavra, o Pai foi logo contar a novidade a toda a gente que conhecia (e era a palavra «Mamã»)!

 

Nota: Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura Educação pré-escolar. Leitura com apoio do educador ou dos pais.

 

 

O meu Pai é grande, é forte, mas...

Coralie Saudo

ilustrações: Kris Di Giacomo

Dinalivro, 2012

http://bibrt.no-ip.biz/

 

Sinopse:

 

Todas as noites é sempre a mesma coisa. Este papá de gravata e com um ar exausto não quer ir para a cama e faz uma grande birra antes de se ir deitar. Por fim, depois de muitas negociações e de voltas e mais voltas pela casa toda, lá se consegue levá-lo. Mas ainda é preciso ler-lhe um livrinho antes da fatídica pergunta do costume: «Alexandre, meu filho, posso dormir na tua cama?» Nesta história contada ao contrário, a inversão dos papéis diz-nos que um pai pode ser realmente grande e forte - como se constata no exercício de puro deleite em que consiste a visualização das ilustrações -, mas nem por isso deixa de precisar de colo ou de ter medo do escuro.

 

O lado mais frágil da idade adulta consumada na paternidade alcança neste livro a doce melancolia de um tom sépia, que nos diz metaforicamente aquilo que poucas vezes deixamos transparecer.

 

 

O Pai no Tecto

Maria Teresa Gonzalez

Verbo, 2003

http://d.gr-assets.com/

 

Sinopse:

 

Encontrado dentro de um cesto, apenas envolto num pano, Tito sempre pensou que o seu pai se chamava Adão e que um dia o iria buscar. Isto porque a avó Lena, a governanta da Casa dos Lírios, uma instituição que acolhe rapazes órfãos ou negligenciados pela família, lhe contou que ele tinha aparecido misteriosamente «à pai Adão». Miúdo dotado de grande inteligência, Tito vai sofrer o primeiro desgosto de uma existência até então vivida praticamente sem sobressaltos: a morte da avó Lena, a pessoa que o criara e o fazia sentir que tinha uma família. No momento em que se sente completamente perdido, o pediatra da instituição, o Dr. Tomás Telles, homem solitário, convida-o para uma viagem a Roma, onde lhe diz ter uma surpresa para lhe mostrar. E é durante esta viagem que Tito encontra finalmente o pai, só que afinal ele não se encontra no tecto da Capela Sistina...

 

 

Florbela.png

 

 

 Florbela Espanca 

http://www.luso-livros.net/

 

Ir + longe:

 

Mas, para os mais velhos, os alunos que estudam literatura portuguesa e os grandes poetas, fica então um poema de Florbela Espanca que dedicou um poema ao pai:

 

Poema para o Dia do Pai


Ter um Pai! É ter na vida
Uma luz por entre escolhos ;
É ter dois olhos no mundo
Que veem pelos nossos olhos!

 

Ter um Pai! Um coração
Que apenas amor encerra,
É ver Deus, no mundo vil,
É ter os céus cá na terra!

 

Ter um Pai! Nunca se perde
Aquela santa afeição,
Sempre a mesma, quer o filho
Seja um santo ou um ladrão ;

 

Talvez maior, sendo infame
O filho que é desprezado
Pelo mundo ; pois um Pai
Perdoa ao mais desgraçado!

 

Ter um Pai! Um santo orgulho
Pró coração que lhe quer
Um orgulho que não cabe
Num coração de mulher!

 

Embora ele seja imenso
Vogando pelo ideal,
O coração que me deste
Ó Pai bondoso é leal!

 

Ter um Pai ! Doce poema
Dum sonho bendito e santo
Nestas letras pequeninas,
Astros dum céu todo encanto!

 

Ter um Pai! Os órfãozinhos
Não conhecem este amor!
Por mo fazer conhecer,
Bendito seja o Senhor!

 

Florbela Espanca, Poesia 1918-1930, 

Dom Quixote, 1992

 

 A Professora GSouto

 

19.03.2016

 

Licença Creative Commons

Cidade do Porto: Topónimos

 

 

Porto, Portugal

http://cmup.fc.up.pt/

 

Viera do rio pela mão de uma criança.

A cidade é  agora de porcelana branca.

 

Eugénio de Andrade, Nevoeiro, Poesia e Prosa (1940-1980), Limiar

 

Saber +

 

Portuscale (do nome romano Portus + Cale), Portucale era de principio o Porto de Cale, que ficava naturalmente, junto do Douro , na foz do rio de Vila. Alguns séculos mais tarde, ( documentalmente desde o 1º quartel do séc. XII, mas na prática já antes) a cidade passou a designar-se por Portus, Porto com o 1º elemento do nome, caindo a parte final.

 

(texto com supressões)

 

 

Porto, Portugal

http://www.pportodosmuseus.pt/

 

 
 
Esta curta introdução poética e histórica sobre a cidade do Porto para responder a uma pergunta sobre o Funcionamento da língua portuguesa:

 

(...) Mas eu tenho uma pergunta.....pq é q se diz "...ao Porto" e para as outras cidade diz-se "...a Coimbra", "...a Lisboa", "a Faro" (...)

 

Carolina Neves, 11 anos (post Até Setembro, comentário 19)

 

 

 Funcionamento da Língua :  Topónimos

 

  • Existe uma norma prática: Se o nome da localidade é simultaneamente um substantivo comum, então o nome da localidade tem o género desse substantivo comum.
 
Exemplos: «Vou ao Porto», «vivo na Guarda», «sou da Figueira da Foz», « fui à Foz do Arelho».
 
  • Se o nome da localidade não corresponde a um nome comum, então a tendência é para não atribuir género.
 
in Ciberdúvidas, Topónimos

 

(consultado em 06.09.2006)

 

Espero, de maneira muito sucinta, mesclada de poesia, ter respondido à questão da Carolina sobre o género gramatical da nossa Antiga muy Nobre, sempre Leal e Invicta Cidade do Porto.

 

 A Professora GSouto

 

6.09.2006

 

Licença Creative Commons