Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Harry Potter e A Pedra Filosofal faz 20 anos ? Livros & recursos

 

 

 

Harry Potter e a Pedra Filosofal

Editorial Presença, 2014 (reedição)

 http://www.presenca.pt/

 

Pois nós não poderíamos deixar de assinalar o 20º aniversário do livro da saga Harry Potter. Foi então há 20 anos - já faz 20 anos que lemos Harry Potter e a Pedra Filosofal ? - dia 26 de Junho de 1997 que a escritora britânica J.K. Rowling publicou o primeiro volume de Harry Potter, depois de ter sido rejeitada por 10 editoras.

 

A primeira edição do primeiro livro teve uma tiragem de 1.000 exemplares - convertidos hoje em tesouros para os colecionadores. Hoje, poucos livros podem ser comparados em termos de popularidade e valor.

 

 

 

Harry Potter e a Pedra Filosofal

Editorial Presença

http://www.presenca.pt/

 

Chamava-se Harry Potter e a Pedra Filosofal e a ele seguiram-se mais seis livros, oito filmes, uma peça de teatro, parques temáticos, um percurso turístico na Escócia, uma exposição permanente em Londres e inúmeros objetos de marketing sobre o jovem bruxo.

 

Para celebrar os 20 anos do lançamento do primeiro livro sobre o jovem feiticeiro, o Facebook criou uma ferramenta "mágica". 

 

Para testar a funcionalidade basta comentar ou partilhar um post e escrever Harry Potter. A "magia" do Facebook também acontece quando fala sobre algumas das personagens ou sobre as escolas de feitiçaria de Hogwarts. Experimentastaram?

 

 

 Harry Potter e a Pedra Filosofal

 

A história nasceu em 1990 na imaginação de J.K. Rowling  durante uma viagem de comboio entre Manchester e Londres.

 

O livro narra as aventuras de um aprendiz de feiticeiro, Harry Potter e dos seus amigos Rony Weasley e Hermione Granger na Escola de Magia e Feitiçaria de Hogwarts, dirigida por Albus Dumbledore.

 

O principal ponto da história gira em torno do combate entre Harry e Lord Voldemort, um bruxo das trevas que busca a imortalidade e que assassinou os pais do menino. Mas isto só iríamos descobrir nos livros seguintes da saga. 

 

J.K.Rowling publicou então sete livros entre 1997 e 2007. Cada um deles passa-se durante um ano escolar. Rowling fez questão que as suas personagens crescessem ao mesmo tempo que os seus leitores.

 

A história começou no verão de 1991, quando Harry Potter recebe a carta para entrar em Hogwarts. E em meados desse ano escolar, estávamos nós a ler o livro nas aulas curriculares de Língua Portuguesa.

 

 

 

Saga Harry Potter

J.K. Rowling

 

Por ordem de  publicação, os livros são: Harry Potter e a Pedra Filosofal, Harry Potter e a Câmara dos Segredos, "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban", Harry Potter e o Cálice de Fogo, "Harry Potter e a Ordem da Fénix", "Harry Potter e o Enigma do Príncipe" e Harry Potter e as Relíquias da Morte.

 

 

Harry Potter e a Criança Amaldiçoada

J.K. Rowling

Editorial Presença, 2016

http://www.fnac.pt/

 

A saga Harry Potter foi traduzida em 79 idiomas e adaptada a oito filmes. Mais tarde, já em 2016, veio a peça de teatro e livro Harry Potter e a Criança Amaldiçoada que teve um enorme sucesso em Londres. Consta-se que vai estrear-se em Nova Iorque no próximo ano.

 

 

 

 

Estúdios, parques temáticos, circuitos

 

Os estúdios de Harry Potter em Leavesden, próximos de Londres, permitem descobrir os cenários e o universo dos filmes em exposição permanente.

 

 

 

The Wizarding World of Harry Potter

Orlando, US

https://orlandoinformer.com/

 

Aberta em 2012, a atracção recebe 6.000 visitantes por ano. Existem também parques temáticos criados pela Universal Studios em Orlando, Hollywood e Osaka.

 

 

 

 

The Elephant House

Edimburgo, UK

http://www.insiders-scotland-guide.com/

 

Em Edimburgo, o café onde Rowling escreveu parte do primeiro livro, o The Elephant House, atrai milhares e milhares de fãs.

 

 

 


Livraria Lello

Porto, Portugal

créditos: RR

http://rr.sapo.pt/

 

Sem esquecer a Livraria Lello, no Porto que foi onde tudo começou. Também atrai milhares de turistas, muitos dos quais, fãs de Harry Potter. J. K. Rowling escreveu parte de Harry Potter e a Pedra Filosofal na cidade do Porto, onde trabalhou alguns anos como professora de Inglês. E foi a livraria Lello que a inspirou em parte do cenário real.

 

 

 

JK Rowling
Jogos Olímpicos de Londres 2012
http://25.media.tumblr.com/
 
 

Em 2012 participou na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Londres  em que leu um excerto de "Peter Pan", de J.M. Barrie.

 

Nesse ano, foi condecorada pela rainha Isabel II. Em 2010 já ganhara o célebre Prémio da literatura infantil e juvenil Hans Christian Andersen.

 

 

 

JK Rowling e o prémio Hans Christian Andersen

créditos : Kim Rune, Fyens Stiftstidende/AP

www.yahoo.com/

 

Rowling também é defensora de causas sociais:

 

"Não precisamos de magia para mudar o mundo, já temos dentro de nós todo o poder de que precisamos, o poder de imaginar melhor",

 

J.K. Rowling, 2008

 

Actividades:

 

Podem explorar, numa visita virtual, os estúdios de Harry Potter em Leavesden. A não perder, sobretudo para os novos leitores.

 

 

 

Harry Potter e a Pedra Filosofal

J.K. Rowling

ilustração Jim Kay, 2016

http://www.revistaestante.fnac.pt/

 

 

E naturalmente, para os mais jovens fãs, deixo esta sugestão : Harry Potter e a Pedra Filosofl, edicção ilustrada por Jim Kay, 2016.

 

Jim Kay baseou-se não apenas no texto de J. K. Rowling mas também na sua própria vida para criar as ilustrações desta edição especial. A personagem de Hermione, por exemplo, é baseada na sua sobrinha. E Dumbledore teve como modelo um amigo seu.

 

 

 

 

Harry Potter e a Pedra Filosofal

J.K. Rowling

ilustração Jim Kay, 2016

http://www.revistaestante.fnac.pt/

 

 

 “As ilustrações criadas por Jim Kay tocaram-me profundamente. Adoro a sua interpretação do mundo de Harry Potter. Sinto-me grata e honrada por ele lhe ter emprestado o seu talento.”

 

J. K. Rowling

 

A Professora GSouto

 

27.06.2017

 

Licença Creative Commons

 

 

Escritores no Palácio de Belém : Encontro (s) com alunos

 

 

escritores-em-Belem1.jpg

 

créditos: Visão

http://images-cdn.impresa.pt/

 

Marcelo Rebelo Sousa, anfitrião da ideia Escritores no Palácio de Belém promovida pela Presidência da República contou no primeiro dia da iniciativa com a presença dos escritores Ana Maria Magalhães, José Jorge Letria e Luísa Ducla Soares. Neste encontro estiveram presentes cerca de 60 alunos da Escola de São João de Deus.

 

Foi o primeiro dia de um programa de promoção da leitura que vai decorrer até 23 de Maio. Marcelo Rebelo de Sousa não faltou ao encontro,como é óbvio. 

 

 

escritores-em-Belem3.jpg

 

Livros infanto-juvenis Luisa Ducla Soares

https://lerparacrer.files.wordpress.com/

 

A escritora Luisa Ducla Soares que tem mais de 150 livros publicados, respondeu durante 30 minutos às questões colocadas pelos pequenos leitores, que estudaram previamente a sua obra em sala de aula.

 

 

escritores-em-Belem2.jpg

 

créditos: RTP

http://www.rtp.pt/noticias/cultura/

 

Escritores no Palácio de Belém tem como objectivo incentivar a leitura, promover o sucesso escolar e dar a conhecer a Presidência da República a alunos do ensino básico e secundário de 250 escolas públicas, privadas e cooperativas de Portugal continental.

 

Nesta primeira ronda, correspondente ao presente ano lectivo, apenas participarão 60 escolas.

 

 

valter-hugo.jpg

 

o nosso reino

Valter Hugo Mãe

 

 

Sinopse:

 

Delicadíssima história de uma criança em torno da ansiedade por uma resposta de Deus. Retrato de um Portugal recôndito ao tempo da Revolução dos Cravos que nos conta como em lugares pequenos as ideias maiores são relativamente intemporais e o que acontece ignora largamente o tempo exato do mundo. O belo livro de estreia de valter hugo mãe é uma fulgurante prova de imaginação e beleza. Entre a profunda ternura e a difícil aprendizagem da vida, cada dia é um esforço para que se prove a existência do milagre de se ser alguém.

 

 Nota: Este livro proposto pelo PNL, 3º ciclo, foi retirado devido agumas expressões e linguagem terem sido consideradas desadequadas, excessivas, para o nível etário.

 

Assim, os educadores devem previamente ler o livro, analisando se, apesar do excesso de informação a que os alunos estão habituados, serve o interesse literário e temáticas como a sexualidade, ao perfil do grupo/turma que leccionam.

 

 

lidiajorge.jpg

 

O Vale da Paixão

Lídia Jorge

Livro PNL/ Ensino Secundário

http://www.fnac.pt/

 

Sinopse:

 

O retrato de uma família, por uma mulher da qual nunca saberemos o nome. "Como na noite em que Walter Dias visitou a filha, de novo os seus passos se detêm no patamar, descalça-se rente à parede com a agilidade duma sombra, prepara-se para subir a escada, e eu não posso dissuadi-lo nem detê-lo, pela simples razão de que desejo que atinja rapidamente o último degrau, abra a porta sem bater e entre pelo limiar apertado, sem dizer uma palavra. E foi assim que aconteceu." (...)

 

A iniciativa presidencial vai decorrer às terças-feiras, até 23 de Maio. Dela constarão 30 autores de literatura infanto-juvenil, tais como António Torrado, Miguel Sousa Tavares, Alice Vieira, Valter Hugo Mãe ou Lídia Jorge.

 

 

 

O Velho que esperava por D. Sebastião

Encontro com António Manuel Venda

http://fragmentosvirtuaisdumaprofessora.blogspot.pt/

 

 

Alguns pensamentos:

 

Excelente inciativa. Os alunos adoram estar em contacto com os autores dos livros quel lêm.

Prática muito corrente, desde há muito anos, nas nossas escolas.

 

 

 

Pó de Estrelas

Jorge de Sousa Braga

ilustradora: Cristina Valadas

 http://blogdoscaloiros.blogs.sapo.pt/

 

Eu própria tive essa actividade como recurso educativo ao longo de vários anos. Seleccionávamos, alunos e professora, os livros de determinado autor ou autora, líamos nas aulas curriculares e depois partíamos para o convite do respectivo autor para uma Conversa com Escritores ou Ilustradores (dos livros lidos).

 

 

 

O Inventão

Manuel António Pina

http://blogdoscaloiros.blogs.sapo.pt/

 

Foram casos de sucesso o Encontro com um Jovem Escritor com António Manuel Venda ou Sessão Livros de Ilustradora com Cristina Valadas, entre outros, como Manuel António Pina.

 

Esssas conversas, para além do estudo prévio dos livros (texto/ ilustração) desenvolvido na área curricular de Língua Portuguesa, secundado pelas áreas curriculares de Educação Visual, Música e outras, deram origem a projectos transcurriculares com a participação de diferentes áreas curriculares e desenvolvimento de actividades pedagógicas que muito alargaram as competências e aprendizagens dos alunos.

 

Congratulo-me assim com esta iniciativa do Presidente da República Prof. Marcelo Rebelo de Sousa de abrir o Palácio de Belém aos alunos das escolas de todo o país, assim espero, através da leitura.

 

A Professora GSouto

 

18.01.2017

 

Licença Creative Commons

 

Celebrar Miguel de Cervantes, 400 Anos após sua Morte

 

 

 

 Dom Quixote

Miguel de Cervantes

Clássicos da Literatura em Quadradinhos

apoio: UNESCO

http://4.bp.blogspot.com/

 

“El que no sabe gozar de la ventura quando le viene, no se debe quejar si se le pasa.”
 
Miguel de Cervantes,Capítulo V, El ingenioso hidaldo Dom Quijote de la Mancha

Miguel de Cervantes, um dos maiores vultos da literatura mundial celebra em 2016, 400 anos após a sua morte. Espanha e o mundo preparam múltiplas actividades para esta efeméride.
 
 

 

Google Doodle Aniversário Miguel de Cervantes

https://www.google.com/doodles/

 

Em 2008, Google homenageou Miguel de Cervantes com o Doodle no dia do seu aniversário em 28 de Setembro.
 

dom_quixote.jpg

 

O Meu Primeiro Dom Quixote

adaptação Alice Vieira

ilustração: Mingote
Publicações Dom Quixote
http://www.dquixote.pt/

 
Saber +
 
Em 2005 celebrámos o IV Centenário da 1ª edição do seu livro Dom Quxote. Os alunos leram a obra O Meu Primeiro Dom Quixote numa adaptação infanto-juvenil de Alice Vieira, ilustrada pelo humorista espanhol Mingote e editada por Publicações Dom Quixote, 2005.
 
Demos então início a um projecto transcurricular Língua Portuguesa/ EVT que entusiasmou alunos e professores.
 
Para a maioria dos alunos foi a descoberta de Cervantes através dos seus hérois, o cavaleiro Dom Quixote e seu escudeiro Sancho Pança.
 
 
 
 

 

 

Fomos desenvolvendo várias actividades depois da leitura de O Meu Primeiro Dom Quixote. Visitámos a exposição virtual Ilustradores de Quixote que continua patente na Biblioteca Virtual. Os alunos pesquisaram, complementando a leitura do livro em sala de aula. A leitura saiu muito enriquecida com o facto de ter introduzido as TIC nos currículos de Língua Portuguesa. Isto já desde 1998.
 
 

 Ilustradores de Quixote

Exposição BN Portugal/Biblioteca Virtual

http://purl.pt/

 

Foi uma excitação! Criarem textos em prosa e em verso ilustraram o Meu Primeiro Dom Quixote motivados pela leitura do livro  Meu Primeiro Dom Quixote e pela exposição digital.
 
 
Uma das mais deliciosas actividades foi em escrita criativa, as cartas a Dulcineia e Quixote. Eu própria fiquei encantada com as missivas.


No final fez-se uma exposição onde os alunos expuseram todos os trabalhos elaborados ao longo do projecto. Exposição que foi aberta a pais, alunos e professores.
 
 

  

 

Miguel de Cervantes 400

400 Anos da Morte de Miguel Cervantes

http://www.notimex.com.mx/

 
 Ir + longe:
 
 
Mas agora trata-se do IV Centenário da morte de Miguel Cervantes. Espanha celebra com o site oficial 400Cervantes
 
 
Em 2016, cumprem-se assim 400 anos da morte de Miguel de Cervantes. E com base nesta efeméride é vasto o programa de actividades comemorativas que se sucederão ao longo de todo o ano.
 
 
A Biblioteca Naconal de España tem patente uma exposição Miguel de Cervantes: de la vida al mito (1616-2016) até 25 Maio 2016.
 
 
 

 

D. Quixote de la Mancha

adaptação: Maria Ponce

versão literatura juvenil

http://www.wook.pt/

 

Informação:

 

"Adaptação de Maria Ponce de um dos maiores clássicos da literatura mundial. Sob a influência dos romances de cavalaria D. Quixote faz-se armar cavaleiro e, juntamente com Sancho Pança, seu fiel escudeiro, envolve-se nas mais extraordinárias aventuras. Defensor dos fracos e oprimidos, as suas façanhas mesmo ridículas e disparatadas, traduzem-se afinal numa admirável lição de idealismos e generosidade." 

 

Actividades:

 

Será impensável deixar passar esta efeméride, já que os alunos reagem muito bem a este tipo de motivação. Vamos então introduzir os 400 Anos após a Morte de Miguel de Cervantes para ler o seu aclamado romance, numa adaptação infantil e/ ou juvenil. Deixei propostas de livros para os diferentes níveis curriculares.

 

  • Leitura da adaptação do livro Dom Quixote em versão infantil e juvenil, segundo o nível curricular e/ou etário dos alunos.
  • Pesquisa sobre o autor na Biblioteca Virtual, Wikipédia, e outros recursos.
  • Elaboração de textos criativos em prosa e/ ou verso
  • Possível ilustração do livro feita pelos alunos.

 

A Professora GSouto

 

08.05.2016

 

Licença Creative Commons 

 

Dia Internacional Livro Infantil 2016

 

 

Dia Internacional Livro Infantil 2016

ilustração: Afonso Cruz

http://dglab.gov.pt/

 

"A leitura é uma necessidade biológica da espécie. Nenhum ecrã e nenhuma tecnologia conseguirão suprimir a necessidade de leitura tradicional."

 

Umberto Eco

 

Celebra-se no dia 2 Abril, o Dia Internacional do Livro Infantil, em homenagem à data de nascimento do nosso querido autor Hans Christian Andersen

 

A partir de 1967, este dia passou a ser designado por Dia Internacional do Livro Infantil, chamando-se a atenção para a importância da leitura e para o papel fundamental dos livros para a infância.

 

Para assinalar o Dia Internacional do Livro Infantil 2016, a 2 de Abril, a DGLAB convidou o ilustrador Afonso Cruz, vencedor do Prémio Nacional de Ilustração do ano passado, para ser o autor da imagem do cartaz. 

 

 

internationalchildrenscancerday3.jpg

 

International Children's Book Day 2016

illustration: Ziraldo (Brasil)

http://www.ibby.org/

 

A celebração deste dia é uma iniciativa do IBBY (International Board on Books for Young People). Tem como principal objectivo promover o livro infantil e o prazer da leitura nas crianças.

 

Este ano, o patrocinador oficial do Dia Internacional do Livro Infantil é a secção do Brasil que convidou duas entidades importantes de seu país, a escritora de livros infantis, Luciana Sandroni que escreveu a mensagem sob o tema "Once upon a time..."e o ilustrador Ziraldo (designer do poster)

 

Mensagem: Era uma vez...

 

“Era uma vez”… “Era uma vez uma… Princesa? Não. Era uma vez uma biblioteca. E também era uma vez a Luísa que foi à biblioteca pela primeira vez. A menina andava devagar, puxando uma mochila de rodinhas enoooorme. Ela olhava tudo muito admirada: Estantes e mais estantes recheadas de livros. Mesas, cadeiras, almofadas coloridas, desenhos e cartazes nas paredes. – Eu trouxe a foto – disse timidamente para a bibliotecária. – Ótimo, Luísa! Vou fazer sua carteira de sócia. Enquanto isso pode escolher o livro. Você pode escolher um livro para levar para casa, tá? – Só um?! – perguntou desapontada. De repente, tocou o telefone e a bibliotecária deixou a menina com aquela difícil tarefa de escolher somente um livro diante daquela infinidade de estantes. Luísa puxou a mochila e procurou, procurou até que achou o seu favorito: Branca de Neve. Era uma edição de capa dura, com lindas ilustrações. Com o livro na mão, puxou a mochila novamente e, quando já saía, alguém bateu no seu ombro. A menina se virou e quase caiu para trás de susto: era nada mais, nada menos que o Gato de Botas com o livro dele nas mãos, quer dizer, nas patas! (...)

Ler mensagem integral (tradução portuguesa) aqui

 

 

Este ano, Bologna Children's Book Fair vai decorrer de 2-7 Abril 2016. Falamos pois da Feira do Livro Infantil de Bologna. Em 2015, apresentámos duas autoras/ilustradoras portuguesas galardoadas. 

 

A lista de escritores e ilustradores portugueses que representam e divulgam a nossa Literatura Infantil e Juvenil é extensa. Aguardemos então.

 

Mas como estamos a celebrar o Dia Internacional do Livro Infantil, deixo duas ou três sugestões de livros de literatura infantil e juvenil:

 

  

 

Gato Procura-se

Ana Saldanha

ilustração Yara Kono

Caminho, 2016

http://www.caminho.leya.com/pt/

 

Um gato desaparecido serve de tema ao livro que tenta explicar aos mais novos o sentimento de perda. O livro "Gato procura-se”, foi distinguido com o Prémio Bissaya Barreto de Literatura para a Infância 2016, e é, na opinião do júri, 'um livro que aborda de forma delicada e sensível o tema da perda.'

 

 

Gato Procura-se

Ana Saldanha

ilustração Yara Kono

Caminho, 2016

http://www.caminho.leya.com/pt/

 

"Gato procura-se" é mais um livro que ajuda a ultrapassar a tristeza ou a aliviá-la quando se perde um animal de estimação querido. Uma espécie de consolo sobre a inevitabilidade. Mas Ana Saldanha não esquece, através da enumeração, de nos descrever a vida boa que este gato teve.

 

 

 

Gato Procura-se

Ana Saldanha

ilustração Yara Kono

Caminho, 2016

http://www.caminho.leya.com/pt/

 

Sinopse:

 

"O que terá acontecido ao gato? O gato, na realidade, morreu. Esta é uma bela história que pode muito bem servir para contar às crianças, de uma forma sensível, o problema da morte."

 

A obra apresenta um “texto inteligentemente simples, trazido até ao leitor pela voz da criança” e “ encontra, na ilustração, os prolongamentos discretos que refletem o processo de descoberta e crescimento proporcionado pelas vivências do quotidiano” segundo o júri.

 

 

 

O dono da lua

texto e ilustração : Carlos J. Campos

Edição Verso da História, Brasil

https://www.versodahistoria.pt/543-infantil/o-dono-da-lua

 

Sinopse:

 

"Gastão Latife é um rapaz como outro qualquer, apesar do incidente que fez com que ficasse com cara de coelho (ou de rato, as opiniões variam). Por ser muito trapalhão e distraído Gastão acaba por ser expulso da Grande Escola de Magia onde estudava e parte sozinho e sem rumo pela floresta. Não tarda a encontrar novos amigos, Cão Pulguento e Pirí, o pirilampo que trocou a capacidade de dar luz pela capacidade de falar, nem consegue evitar meter-se em sarilhos. Ao sair da floresta, Gastão é preso por um rei que pensa ser dono da lua. Para se salvar, assim como a todos aqueles que são vítimas da tirania do rei, o ex-aprendiz de feiticeiro vai ter de provar aquilo que vale."

 

Uma criatura estranha dentro de uma masmorra mal iluminada e cheia de ratos é a primeira imagem que este livro nos oferece.

 

Resumo:

 

“Olá, o meu nome é Gastão. Gastão Latife. Pode não parecer, mas sou um menino como qualquer outro”, apresenta-se o protagonista, que tem cara de coelho (ou de rato, segundo alguns). A acompanhá-lo está um cão cheio de pulgas e um pirilampo apagado (preferiu ter voz a ter luz).

 

Nas páginas seguintes ficamos a saber que o rapaz-coelho-rato foi expulso da Grande Escola de Magia por se revelar desajeitado demais para ser feiticeiro. É Gastão quem vai contando a sua própria história, mas sempre contrariado. “Se julgam que eu vou explicar porque um menino como qualquer outro tem esta cara de coelho, desistam. Hoje não me apetece… Ainda por cima, é uma longa história. Fica para outra oportunidade”, diz no início. Estado de espírito que se repete mais adiante: “Esqueçam! Eu já disse que esta é uma longa história, e eu não vou contar. OK?!”

 

Mas lá vai dando conta das suas vicissitudes e descrevendo como iludiu um rei que se julgava dono da lua. Pelo meio, este feiticeiro falhado descobre o que é o esforço, o crescimento, a amizade e a cooperação.

 

Carlos J. Campos assina a colecção "A Vida Difícil de Gaston Latife", que já tem o segundo título editado, "A Rainha Linguaruda". A seguir virá "A Galinha do Inferno". Uma subversão divertida do universo dos contos infantis clássicos aliada a imagens que remetem para o cinema de animação. Resultado: um bom feitiço… para conquistar jovens leitores. 

 

 

 

O Veado Florido

António Torrado

ilustração: Cristina Valadas

ASA editores, 2016

 

O Veado Florido de António Torrado e Cristina Valadas, dois autores que tão bem conhecemos e com privámos de perto, em conversas informais com os alunos, em Sessões de Livros e Autores.

 

Sinopse:

 

“A história que vou contar passou-se há muito e muito tempo, numa terra que muitos arados revolveram, muitos pés pisaram, muitos rios sulcaram, muitas árvores cobriram, muitas secas secaram.

 

Era uma vez um senhor muito rico que possuía nos jardins do seu palácio os mais exóticos animais. Para que nunca esses jardins ficassem vazios, o senhor enviava para todas as terras, conhecidas ou desconhecidas, criados seus, em busca de novos animais. Um deles, o mais experiente, encontrou um veado com hastes adornadas com as mais belas e delicadas flores. Consegue atraí-lo e levá-lo para o palácio do seu senhor. Mas, chegado lá, o veado deixa de ser florido…"

 

 

O Veado Florido

António Torrado

ilustração: Manuela Bacelar

Civilização Editora, 1972

http://www.catalivros.org/

 

Uma parte da 1ª edição poderá ser lida online (leitura digital) no site Cata Livros. É este o delicioso estilo de António Torrado, «Honour List» do Prémio Hans Christian Andersen (1974), e nomeado para o Prémio Hans Christian Andersen 2014, conto que foi publicado pela primeira vez em 1972. Agora, acompanhado pela beleza e sensibilidade das ilustrações de Cristina Valadas, também ela com um estilo que a diferenciae lhe dá um destaque único na ilustração contemporânea.

 

Cristina Valadas foi vencedora do Prémio Nacional de Ilustração 2007 pelo trabalho em "O rapaz que sabia acordar a Primavera", com texto de Luísa Dacosta que lemos nos currículos de Língua Portuguesa e foi um dos livros que fez parte da nossa Conversa Livros de Ilustradora: Cristina Valadas

 

O Veado Florido é uma história sobre a liberdade, escrita numa época em que só pronunciar a palavra era perigoso. Um senhor rico estava rodeado de “uma colecção singular de animais nunca vistos”. Trazidos pelos criados, habitavam gaiolas douradas. Um dos exploradores que forneciam os animais ao palácio descobriu um veado de hastes floridas e logo o caçou, na mira de avultada recompensa. Mas não teve sorte.

 

Assim que se sentiu preso, o veado perdeu as flores. Mesmo na Primavera, “as hastes continuaram secas como raízes arrancadas da areia”. Só quando o homem rico desistiu de todos os animais e libertou também o veado, é que as hastes de novo se “cobriram de folhas luzidias, quase transparentes, e de flores muito brancas”. O homem rico nunca as viu. Ainda bem.

 

Actividades:

 

  • Vão até à biblioteca ler um livro, ou requisitarem para ler em casa. Também poderão ler ou requisitar para ler um ebook, se tiverem um kindle. Há bibliotecas escolares que já têm alguns para poderem ser requistados pelos alunos.
  • Passem numa livraria, já que estão de férias, (isso mesmo, depois de saírem da sessão de cinema) para comprar um novo livro a juntar à vossa biblioteca. Mas antes, é preciso lê-lo... não esqueçam.

 

A Professora GSouto

 

02.04.2016

 

Licença Creative Commons

Ler : Quando Hitler Roubou o Coelho Cor-de-Rosa

 

 

 

judith-kerr2.jpg

 

Judith Kerr

Quando Hitler Roubou o Coelho Cor-de-Rosa

http://diariodigital.sapo.pt/

 

Há muito esgotado em Portugal, Quando Hitler Roubou o Coelho Cor-de-Rosa, de Judith Kerr, regressa agora às livrarias sob a chancela Booksmile.

 

O livro, publicado originalmente em 1971, conta a história de uma família judia que se vê forçada a abandonar a Alemanha em 1933, na véspera das eleições que deram a vitória a Adolf Hitler. A narrativa acompanha o percurso desta família de refugiados, que passou pela Suíça e por França até se fixar em Inglaterra.

 

 

http://www.sitiodolivro.pt/

 

Depois de uma primeira edição portuguesa em 1990, o livro tem agora uma nova tradução, da escritora Carla Maia de Almeida, que assina o prefácio: "Não sei em que dia vais começar a ler este livro, mas, quando o traduzi do inglês, no verão de 2015, a Europa estava a braços com a maior vaga de refugiados deste o tempo da Segunda Guerra Mundial, quando o regime nazi arrancou milhões de pessoas das suas casas, judeus e não só".

 

Considerado um clássico da literatura juvenil, é inspirada na vida da própria autora. Esta envolvente obra fala da Segunda Guerra Mundial numa perspectiva diferente, isto é, com algum humor.

 

 

 

Judith Kerr

http://i.telegraph.co.uk/

 

Biografia:

Actualmente a viver em Londres, Judith Kerr nasceu em Berlim em 1923, filha de Alfred Kerr, um ensaísta alemão, que se viu obrigado a sair da Alemanha por ter criticado o regime nazi, que chegou a queimar muitos dos seus livros.

 

Fixou-se com a família em 1936 em Londres, onde Judith Kerr ainda hoje vive.

 

Antes de se dedicar por completo à escrita, Judith Kerr trabalhou na Cruz Vermelha e foi argumentista para a BBC.

 

http://www.kalandraka.com/

 

A estreia literária deu-se em 1968, com O tigre que veio tomar chá, a partir de uma história que contou à filha depois de uma visita a um jardim zoológico.

 

É considerado um clássico da literatura para a infância e está publicado em Portugal.

 

 

 http://ecx.images-amazon.com/

 

É autora de mais de vinte livros para crianças e adolescentes entre os quais se destaca a série ‘Mog’, muito conhecida no Reino Unido, mas inédita em Portugal.

 

 

 http://ecx.images-amazon.com/

 

Apesar dos 92 anos, Judith Kerr mantém-se activa na escrita e na ilustração. O mais recente livro, ‘Mr. Cleghorn's Seal’, inspirado em factos reais, foi publicado em Setembro 2015.

 

 

mog-seal.PNG

 

Mr. Cleghorn's Seal/ Judith Kerr

 créditos: Judith Kerr

http://www.lovereading4kids.co.uk/

 

Sinopse:

 

Vive-se o ano de 1933. Anna tem apenas nove anos e anda demasiado ocupada com a escola e com os amigos para reparar nos cartazes políticos espalhados pela cidade de Berlim com a suástica nazi e a fotografia de Adolf Hitler, o homem que muito em breve mudaria a face da Europa. Ser judeu, pensa ela, é apenas algo que somos porque os nossos pais e avós são judeus.

 

Mas um dia o pai dela desaparece inexplicavelmente. E, pouco tempo depois, ela e o irmão, Max, são levados pela mãe com todo o sigilo para fora da Alemanha, deixando para trás a sua casa, os amigos e os amados brinquedos. Reunida na Suíça, a família de Anna embarca numa aventura que vai durar anos.

 

Judith Kerr viveu essa experiência de refugiada na infância, embora tenha admitido em entrevistas que, protegida pelos pais, não se apercebeu completamente dos perigos que passou por ser judia.

 

 

 

 

O livro relata toda a travessia da família do ponto de vista de Anna, uma menina de nove anos que tenta perceber por que razão não pode continuar em Berlim e que um dia desejou ser tão famosa como o pai.

 

Judith Kerr publicou este livro quando já tinha quase 50 anos, pouco depois de ter escrito o álbum ilustrado ‘O tigre que veio tomar chá’, um dos seus maiores sucessos literários.

 

Além de Quando o Hitler roubou o coelho cor-de-rosa, Judith Kerr publicou dois outros livros semi-biográficos e inspirados nesse passado familiar e no período da segunda Guerra Mundial: ‘Bombs on aunt Dainty’ (1975) e ‘A small person far away’ (1987).

 

 

http://d.gr-assets.com/

 

Saber +

 

Quando Hilter Roubou o Coelho Cor-de-Rosa de Judith Kerr remete-nos para uma escritora que viveu no Porto, Ilse Losa e o seu livro autobiográfico O Mundo em que Vivi que lemos nos curriculos de Língua Portuguesa.

 

 

http://www.edicoesafrontamento.pt/

 

Ilse Losa refugiada alemã, também da 2ª Guerra Mundial, adquiriu a nacionalidade portuguesa, depois de ter casado com um português.

 

Foi candidata portuguesa ao "Prémio Hans Christian Andersen". Tem vários livros publicados na Alemanha. e também em França.

 

Em 2013, a Biblioteca de Esposende comemorou o centenário da escritora (1913-2013), iniciativa que visou recordar a conceituada escritora, de origem alemã, que manteve forte ligação a Esposende, recordando assim a sua obra.

 

Actividades:

 

Sobre a mesma temática, os alunos poderão fazer uma pesquisa neste blog: O Diário de Anne Frank;, O Rapaz do Pijama às Riscas.

 

Também encontrarão outros posts sob a temática da guerra e da perseguição nazi : 70 Anos Libertação Prisioneiro do Campo de Auschwitz; Dia Internacional da Memória do HolocaustoExposição Anne Frank em Westerbork

 

Proposta de Leitura de Quando Hitler Roubou o Coelho Cor-de-Rosa : ficha leitura, entre outras ferramentas de apoio.

 

Depois da leitura, por que não comparar O Mundo em que Vivi de Ilse Losa ? Preparar e adaptar ao nível de ensino fichas pedagógicas. Dar a palavra aos alunos para que expressem seus sentimentos face a infâncias bem diferentes das suas.

 

A Professora GSouto

 

18.11.2015

 

Licença Creative Commons

 

Hélia Correia: Sugestões de leitura

heliacorreiac.jpg

 Hélia Correia | Youtube

http://cache-img1.pressdisplay.com/

 

"Em minha casa os livros habitavam como presenças vivas."

Hélia Correia

A escritora Hélia Correia acaba de receber o Prémio Camões 2015, o mais prestigiado atribuído no espaço da língua portuguesa.

 

O Prémio Camões consagra a obra de um autor e não uma qualquer obra em particular. Já foi atribuido a vários autores de língua portuguesa.

 

Entre os escritores portugueses, lembremos Manuel António Pina que foi galardoado com o Prémio Camões 2011.  E que nós tão bem conhemos, quer pela leitura em sala de aula de livros seus, quer pela sua vinda à escola mais do que uma vez.

 

Outros autores portugueses? A nossa querida Sophia Mello Breyner - Prémio Camões 1999 - que tanto gostávamos de ler. Histórias encantadoras. Ou Miguel Torga (1989), José Saramago (1995), o nosso Prémio Nobel da Literatura em 1998.

 

Saramago que começamos a conhecer em A Maior Flor do Mundo, uma das raras obras de literatura infantil e juvenil do escritor.

 

Mas voltemos a Hélia Correia. Hélia Correia nasceu em Lisboa e passou a infância e a juventude em Mafra, onde frequentou o ensino primário e liceal. Era conhecida na sua infância como 'a menina dos gatos'.

 

Licenciada em Filologia Românica, foi professora do ensino secundário.

 

Hélia Correia

 http://ionline.pt/


Poetisa, contista e dramaturga, foi enquanto romancista que Hélia Correia se revelou como um dos nomes mais importantes e originais surgidos durante a década de 80, ao publicar, em 1981, O Separar das Águas.

 

Seguiram-se romances e novelas como Montedemo, Insânia, A Casa Eterna (Prémio Máxima de Literatura, 2000), Lillias Fraser (Prémio de Ficção do PEN Clube, 2001, e Prémio D. Dinis, 2002), Bastardia (Prémio Máxima de Literatura, 2006), e Adoecer (Prémio da Fundação Inês de Castro, 2010).

 

Hélia Correia é também contista, tendo publicado uma antologia dos seus contos em Novembro de 2008. E ano passado, 'Vinte Degraus e Outros Contos', que recebeu o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, atribuído pela Associação Portuguesa de Escritores e pela Câmara Municipal de Vila Nova da Famalicão.

 

O Prémio Camões reconhece assim a imaginação, o poder de criação de personagens, e o invulgar modo de trabalhar a língua portuguguesa que Hélia Correia tem revelado.

 

Então, neste post dedicado a Hélia Correia, gostaria de deixar duas sugestões de leitura de livros de literatura infantil e juvenil escritos pela autora.

 

 A Ilha Encantada. Hélia Correia

versão portuguesa para jovens

http://relogiodaguaeditores.blogspot.pt/

 

Começo pela 'A Ilha Encantada', versão para Jovens da obra de Shakespeare, A Tempestade (2008). Faz parte do Plano Nacional de Leitura, 8º ano.

 

Como escreve Hélia Correia, na introdução da sua adaptação da peça de William Shakespeare (1564-1616

 

«Compare-se esta peça com um sol. O poder dos seus raios tem gerado um sem-número de novas criações. Porém o centro permanece opaco e arde a temperatura inacessível. É o mais enigmático dos textos do mais enigmático dos autores. (…)

 

Sobre esta A Tempestade há que dizer que permanece estranha aos nossos olhos e aos nossos ouvidos. E, no entanto, as suas personagens vão, com outras, no jorro da popularidade, passando pelo tempo e pelas culturas, tratadas como gente da família, com ternura e com falta de respeito.

 

E ainda, um outro livro encantador, 'A Chegada de Twainy'. A sua obra infanto-juvenil mais recente (2011). Com ilustrações de Rachel Caiano.

 

 

A Chegada de Twainy | Hélia Correia

Ilustrações Rachel Caiano

http://relogiodaguaeditores.blogspot.pt/

 

Em jeito de apresentação deste livro com fadas, leiamos o que Hélia Correia respondeu numa entrevista, à pergunta “Como nasceu a Twainy?”:

 

«A Twainy existiu primeiro como nome, porque um priminho meu, um dos meus meninos – tenho muitos meninos, muitos amiguinhos –, muito pequenino, a primeira vez que veio ver-me, achou que eu era tia, e chamou-me Twainy, que era o nome que ele dava às tias. E eu achei que o nome era muito bonito e fiquei com o nome. Não só a Twainy dele, como pensei: este nome é muito bonito, este nome vai existir de qualquer modo. Depois, numa loja que eu frequento muito e que também tem assim muitas coisas invulgares, encontrei uma bonequinha com asas de tule. Esta bonequinha, com um aspecto muito, enfim, antifeérico, quando a vi pensei, olha aquela é a Twainy

 

Bom, em tempo de férias para alguns, aqui deixo sugestões de leituras de verão para ocupar tempos livres.

 

Para os que andam em exames, bons resultados, pois deles dependderão o vosso futuro no Secundário, ou no Ensino Superior.

 

Deixarei sempre que me for possível, sugestões de actividades de lazer, desde cinema, leitura, curiosidades culturais ou desportivas, antes de fazer uma pausa, como sempre, em Agosto.

 

A Professora GSouto

 

19.06.2015

Licença Creative Commons

 

Pausa Páscoa : Dia Internacional do Livro Infantil

Capture d’écran 2014-06-16 à 22.01.11.png

 

dessin : Soledad Bravi

http://www.blogdesoledadbravi.com/

 

 Tempo de férias de Páscoa. A Primavera de volta, e os dias mais longos tornam esta pausa de ainda mais apetecível.

 

Não vou falar da Páscoa. Poderão  ler em posts anteriores, as tradições do país nesta época pascal. E neles encontrarão informações necessárias à compreensão das festividades religiosas, bem como algumas tradições relativas aos costumes, e às doçarias da época.

 

Vou sim relembrar que hoje, dia 2 Abril, se celebra o Dia Internacional do Livro Infantil, em homenagem à data de nascimento do nosso querido autor Hans Christian Andersen

 

livo-infantil2015.jpg

 Ilustrador António Jorge Gonçalves,

vencedor do Prémio Nacional de Ilustração 2014

http://livro.dglab.gov.pt/

 

Desde 1967 que este dia passou a ser designado por Dia Internacional do Livro Infantil, chamando-se a atenção para a importância da leitura e para o papel fundamental dos livros para a infância.

 

A celebração deste dia é uma iniciativa do IBBY (International Board on Books for Young People). Tem como principal objectivo promover o livro infantil e o prazer da leitura nas crianças.

 

Este ano, o patrocinador oficial do "Dia Internacional do Livro Infantil" é a secção dos Emirados Árabes Unidos (UAE) que convidou duas entidades importantes de seu país, a escritora infantil Marwa Al Aqroubi que escreveu a mensagem sob o tema "Many Cultures One Story", e o ilustrador Nasim Abaeian (designer do poster)

 

Hoje, dia 2 Abril, também foi o encerramento da célebre Feira do Livro Infantil de Bologna que, este ano, premiou dois livros portugueses.

 

Uau! Sabemos que temos bons escritores na área da literatura infantil e juvenil, e também excelentes ilustradores.

 

lafora_1.jpg

 http://www.planetatangerina.com/

 

Lá Fora, das biólogas Maria Ana Peixe Dias e Inês Teixeira do Rosário, ilustrações de Bernardo P. Carvalho foi o vencedor do Ragazzi Award, na área Prima Opera.

 

"Muitas vezes andamos tão distraídos ou apressados que nem nos apercebemos dos andorinhões que passam a gritar nos céus ou dos morcegos a esvoaçar a redor de um candeeiro ao lusco-fusco..." Não reparamos nas minhocas no jardim, nas abelhas a cirandar à nossa volta, nos sapos que coaxam no lago, nas flores que despontam nos canteiros da janela. "O que podemos aprender lá fora não tem limites"

 

Ana Peixe Dias e Inês Teixeira do Rosário.

 

Foi  a razão que as levou  a fazer um "guia para descobrir a natureza", com dicas e sugestões para ficarmos mais despertos para a natureza que nos rodeia, belíssimamente ilustrado por Bernardo P. Carvalho, editado em 2014 pela Planeta Tangerina,

 

O prémio deixou as autoras bastante surpreendidas. "Se calhar começa a haver uma mudança, as pessoas estão cada vez mais interessadas na natureza", admite Maria Ana.

 

hoje-sintome.jpg

 

http://www.orfeunegro.org/

 

Hoje sinto-me... texto e ilustrações de Madalena Moniz recebeu uma Menção Especial - Special Mention, Ragazzi Award, na mesma área Prima Opera

 

Livro com ilustrações a aguarela a tinta-da-china, e texto de Madalena Moniz que “reinventa as ligações entre palavra e imagem”.
 
 
Ao longo deste abecedário, acompanhamos a nossa pequena personagem e o que ela vai sentindo letra a letra: Audaz, Baralhado, Curioso... Leve, Torto... E tu como te sentes?
 
 
Deixamos aqui a todos os autores premiados, muitos parabéns. E felizes por vermos a sua criatividade e mérito premiados num certame internacional que é uma verdadeira referência.
 
 
Para todos, Boa Páscoa. E bons livros !
 
 
Até breve!
 
A Professora GSouto 
 
 
02.04.2015
Licença Creative Commons
 

Dia Internacional da Língua Materna : Luisa Dacosta

 

luisa-dacosta.jpg

 

Luisa Dacosta

http://www.sitiodolivro.pt/

 

 "A nossa língua é espantosa. Acho que temos uma língua privilegiada."

Luisa Dacosta in Expresso

 

Luisa Dacosta morreu. Imperdoável seria não escrever sobre esta contadora de histórias maravilhosa, doce e afectuosa. Professora de Lingua Portuguesa, e escritora reconhecida no mundo da literatura infantil e juvenil em língua portuguesa.

 

Um tributo merecido para celebrar o Dia Internacional da Língua Materna. O Dia Internacional da Lingua Materna celebra-se a 21 de Fevereiro desde 2000.

 

luisadacosta-livro3.jpg

 Edições ASA

http://www.sitiodolivro.pt/

 

Luisa Dacosta que, depois de se retirar do ensino, visitava com frequência a escola, aceitava com alegria os convites que alguns professores lhe fizeram para participar em Conversas com os alunos que adoravam ler os seus livros. Eu fui uma delas. Os alunos gostavam de conversar com os autores dos livros que liam, queriam saber como escreviam, e no caso de Luisa Dacosta, de onde lhe vinha a inspiração para escrever histórias tão encantadoras.

 

Luísa Dacosta, completaria 88 anos no dia 16 de Fevereiro.Morreu na véspera de seu aniversário. Nasceu em Vila Real, Trás-os-Montes. Morreu em Matosinhos.

 

Licenciou-se em  Histórico-Filosóficas, na Faculdade de Letras de Lisboa. Iiniciou a sua acitividade literária em 1955 com a publicação de um livro de contos intitulado "Província".

 

luisadacosta-livro1.jpg

 Edições ASA

 http://www.asa.leya.com/

 

"Sou um pouco irrequieta. Um dos desgostos grandes que tive foi deixar de subir às árvores. Subi às árvores até talvez aos 50 anos. Não era pessoa de estar muito sossegadinha. O facto de viver na província teve uma vantagem, porque, embora naquele tempo não se usasse, eu tive sempre uma educação mista. Na província há turmas tão pequenas que nem podia ser de outra maneira. No meu sétimo ano creio que éramos apenas sete em Letras."

Luisa Dacosta in Expresso

 

Natural de Vila Real, Luísa Pinto dos Santos, nome de baptismo de Luísa Dacosta, publicou pela primeira vez em 1955 com o volume de contos "Província".

 

Entre os seus livros contam-se, além de “Província”, “A Menina Coração de Pássaro”, “Sonhos Na Palma da Mão”, “O Valor Pedagógico da Sessão de Leitura”, “A-Ver-O-Mar” ou “Nos Jardins do Mar”. Dois destes livros, “A Menina Coração de Pássaro”, “Sonhos Na Palma da Mão”, fazem parte da sua vasta obra de literatura infantil e juvenil. E tantos outros.

 

luisadacosta-livro4.jpg

 

http://static.fnac-static.com/

 

Foi a partir de 1972 que começou a escrever livros de literatura juvenil. E são muitos os livros que os alunos leram nos curriculos de Língua Portuguesa, a maior parte com ilustrações lindas de Cristina Valadas com quem tivemos uma sessão de muito sucesso, Livros de Ilustradora aberta não só às minhas turmas, como a toda a comunidade escolar.

 

luisadacosta-livro5.jpg

 

Todos liam com encantamento, tocados pela sensibilidade da escritora. Liamos os livros nas aulas, e também depois da escola, quando deixava neste blogue de apoio às actividades curriculares, sugestões de leituras : Leituras em final de tarde, com o livro O Perfume do Sonho da Tarde ou Plano Nacional de Leitura , com um excerto de Sonhos na Palma da Mão, ou ainda no Dia do Mundial do Livro e dos Direitos de Autor

 

"Era professora, algo que me dá muito gosto. É uma forma privilegiada de relação humana. Ainda hoje gosto muito de estar com os alunos. Tive crianças que passaram por dificuldades extraordinárias, mas a determinada altura vi que era capaz de escrever para eles."

Luisa Dacosta in Expresso

 

 

http://feiradolivrodoporto.pt/blog

 

Na 79ª edição da Feira do Livro do Porto foi homenageada. Luísa Dacosta, escritora, pedagoga e símbolo maior do gosto pela leitura e pela palavra escrita.

 

A escritora recebeu várias distinções, entre os quais o Prémio Vergílio Ferreira, em 2010, atribuído pela Universidade de Évora. 

 

 

luisa-dacosta.jpeg

 

 

Luisa Dacosta na capa da Revista Correntes d'Escritas

Póvoa de Varzim 2011

 

Foto: Rosa Matos

http://www.cm-pvarzim.pt/

 

Em 2011, a décima edição da revista Correntes, publicação associada ao Festival Correntes d’Escritas, na Póvoa de Varzim, homenageou a autora, que, na sessão de abertura do certame, se mostrou satisfeita por ter tanta gente a “ouvir uma escritora pouco lida”.

 

 

Luisa Dacosta 1927-2015

 

fotografia : Pedro Correia | Global Imagens

http://www.jn.pt/Storage/JN/2015/medium/ng3954872.jpg

 

"Fui sempre mais homenageada como professora do que como escritora», comentou, confessando que a sua obra -- «autobiográfica» - era pouco compreendida."

 

Luisa Dacosta

 

 

Luisa Dacosta, lançamento livro

 

http://www.cm-pvarzim.pt/

 

A apresentação, na Biblioteca Municipal da Póvoa de Varzim, do livro O Rapaz que sabia Acordar a Primavera foi escolhida por Luísa Dacosta para oficializar a oferta do seu espólio à Câmara Municipal da Póvoa, em 2007.

 

luisadacosta-livro6.jpg

 

http://www.asa.leya.com/

 

A ligação afectiva desta figura infantil ao universo natural, reflectida na sua paixão por pássaros, dominam a narrativa, escrita numa prosa poética, tão característica da autora, num apelo à liberdade, ao sonho e à capacidade da imaginação infantil. Como sempre expressivamente ilustrada por Cristina Valadas.

 

"As coisas mais gratificantes que tive na vida vieram dos afectos. Por exemplo, cartas que tive dos alunos."

Luisa Dacosta

 

Obrigada querida Luisa Dacosta por todos os momentos que partilhou com meus alunos e comigo, e pelas histórias tão sensíveis que deixavam os alunos suspensos do encantamento de seus livros. E pelo contributo imenso que deu à Lingua Portuguesa.

 

Nada mais justo do que dedicar o Dia Internacional da Lingua Materna a esta escritora que tanto dignificou o ensino e criatividade da Lingua Portuguesa, quer como pedagoga, quer como escritora.

 

A Professora GSouto

 

19.02.2015

 

 Licença Creative Commons

 

A Casa da Pradaria : Laura Ingalls Wilder

 

 

doodle-laura-ingalls-wilders-148th-birthday.jpg

 

Google doodle Laura Ingalls Wilder

www.google.pt

 

Pois, eu sei que não fazem a mínima ideia da série de televisão A Casa da Pradaria. Mas se perguntarem aos vossos pais, melhor, sobretudo às mães, elas vão dizer-vos como gostavam e seguiam com apreço e emoção esta série de televisão tão célebre como hoje é Violeta, para as vossas irmãs mais novas. Certo?

 

Pois verdade, esta série que fez tanto sucesso na infância de vossos pais, foi adaptada de um livro da escritora norte-americana Laura Ingalls Wilder que hoje Google homenageia com um doodle estranho, mas original o seu 148º aniversário.

 

Saber +

 

Laura Ingalls Wilder foi uma escritora norte-americana de livros infanto-juvenis. Escreveu a série Os Pioneiros onde conta a história de sua família.

 

 

doodle-laura-ingalls-wilders-house2.jpg

 

Laura Ingalls Wilder (1867-1957)

Author of Little House on the Prairie 

Photo: Corbis

http://i.telegraph.co.uk/

 

Laura nasceu, a 7 de Fevereiro de 1867, em uma pequena cabana de troncos, à beira da Grande Floresta do Winsconsin, viajava com a família de carroça através do Kansas, Minnesota e, finalmente, do Território de Dakota, onde conheceu e casou com Almanzo Wilder

Laura e Almanzo foram pais de Rose Wilder Lane, uma escritora de viagens, novelista também. 

A escritora morreu em 10 de fevereiro de 1957.

 

 

doodle-laura-ingalls-wilders-house.jpg

 

Casa de Laura Ingalls Wilder author of Little House on the Prairie 

Photo: Alamy

http://i.telegraph.co.uk/

 

Ir + longe:

 

Estava-se em 1878, a corrida à terra era grande e, entre os muitos que partiram em busca de uma nova vida na nova terra, Estados Unidos, estavam os Ingalls: Charles, a sua jovem mulher Caroline e as três filhas Mary, Laura e Carrie.

 

Colocandos os seus poucos pertences numa carroça, despediram-se dos amigos e da família e seguiram o trilho do Oeste que os conduziria à sua nova casa em Plum Creek, nas planícies do Minnesota.

 

 

doodle-laura-ingalls-wilders-book.jpg

 

 

Little House on the Prarie

Uma casa na Padraria

Laura Ingalls Wilder

 http://www.harpercollins.com/

 

Os Ingalls, em busca do sonho Americano, chegam à conclusão de que têm que lutar por cada centímetro de terra em que tocam, por cada pedaço de terra que plantam. Lutar contra a doença, a natureza, os preconceitos locais, os rigores de um clima hostil.

 

doodle-laura-ingalls-wilders-serie.jpg

 

 

Casa da Pradaria | série de televisão anos 78-84

http://imgs.sapo.pt/

 

Os episódios de aventuras da família são baseados nas memórias da própria Laura Ingalls Wilder, cuja colecção dedez livros "Little House" descrevem um retrato realista da vida dos pioneiros nas longínquas terras do Oeste americano há mais de 100 anos atrás.

 

 

doodle-laura-ingalls-wilders-book2.JPG

 

Livros de Laura Ingalls Wilder

http://i.ebayimg.com/

 

As obras são as seguintes : 

 

1º: Uma Casa na Floresta

2º: Uma Casa na Campina

3º: O Jovem Fazendeiro (Ou O Rapaz da Quinta) 

4º: A Beira do Riacho

5º: Às Margens da Lagoa Prateada

 

 

doodle-laura-ingalls-wilders-book3.JPG

 

 Livros de Laura Ingalls Wilder

 http://i.ebayimg.com/

 

 

6º: O Longo Inverno

7º: Uma Pequena Cidade na Campina

8º: Anos Felizes

9º: Os Quatro Primeiros Anos

10º: O Longo Caminho de Casa (publicado postumamente pela fillha)

 

A série de 10 livros sobre a família Ingalls escrita e publicada por Laura Ingalls Wilder entre 1932 e 1943 contava com um estilo romantizado a vida do que hoje é o oeste americano.

 

Adaptação para televisão

 

Uma Casa na Pradaria estreou na NBC a 11 de Setembro de 1974. Baseada no best-seller de Laura Ingalls Wilder, esta clássica série de televisão foi nomeada 17 vezes para os "Prémios Emmy" e por 3 vezes para os "Golden Globes". 

 

A série foi adaptada pela escritora, Laura Ingalls Wilder e pelo actor e produtor Michael Landon que interpretava o papel de pai, Charles.

 

 

 

 

Esta história dramática e apaixonante da luta de uma jovem família de pioneiros para construir uma nova vida na fronteira Americana dos anos de 1870, prendeu os corações dos telespectadores por todo o mundo.

 

No entanto, historiadores tiveram algumas reacções contra a série televisiva por a considerar demasiado romanceada omitindo factos históricos reais.

 

Mas o que é certo é que esta série de livros e de televisão foi a mais famosa da época. O sucesso dos livros e da série foi mudial.

 

Em Portugal, foi emitida pela RTP entre 1978 e 1984, e a série marcou muitos dos jovens espectaddores nesse período.

 

 

 

http://static.fnac-static.com/

 

Na segunda série completa - 1975-1976 - Charles tem de trabalhar em várias actividades, para pagar as suas dívidas enquanto toda a família põe mãos à obra. Laura faz um novo amigo e ajuda-o a ultrapassar o seu desgosto. 

 

As causas do sucesso de "Pioneer Girl" deve-se principalmente à boa recepção que teve entre os fãs dos romances e da série, já que muitos cresceram a ler os livros ou a ver os episódios da série de televisão.

 

Actividades:

 

  • Pesquisa sobre a autora e sua obra
  • Visita online da Casa Museu da escritora
  • Pesquisa e visionamento de alguns clips de video da série televisiva
  • Ler um ou mais livros desta colecção intemporal

 

Actividadea +

 

  • Ler artigos online sobre a série em Português e línguas estrangeiras (Inglês; Francês)
  • Questionar pais e/ou avós sobre suas experiências juvenis ( livros; série televisão)
  • Elaborar textos escritos sobre as obras (texto narrativo)

 

Links apoio:

 

Casa Museu Laura Ingalls Wilder

http://www.lauraingallswilderhome.com/

Reunimos a família da Casa da Pradaria, trinta anos depois

http://expresso.sapo.pt/reunimos-a-familia-da-casa-na-pradaria-30-anos-depois=f752192

Lembra-se de "Uma Casa na Pradaria" ? Conheça a verdadeira história

http://tv.sapo.pt/noticias/lembra-se-de-uma-casa-na-pradaria-conheca-a-verdadeira-historia

 

 

doodle-laura-ingalls-wilders-serie3.jpg

 

 

Uma Casa na Pradaria

série juvenil de televisão

 http://expresso.sapo.pt/

 

A verdadeira história recém-lançada na biografia de Laura Ingalls, a personagem principal. O livro 'Pioneer Girl' é um primeiro rascunho escrito por Laura Ingalls Wilder, incentivada pela filha Rose, que agora foi editado e romanceado", explicou à AFP Nancy Tystad Koupal, directora da editora Sociedade Histórica da Dakota do Sul.

 

Mas, toda esta realidade não minimiza em nada o iimenso sucesso dos livros e da série de televisão..

 

"Para muita gente, Laura e a família Ingalls fazem parte da sua juventude"

 

Nancy Tystad Koupal

 

A Professora GSouto

 

07.02.2015

 

Licença Creative Commons

Obama escreve para adolescentes

 

 

 

 A Letter to My Daughters

Barak Obama

ilustrações : Loren Long

http://static.guim.co.uk

 

 O Presidente dos Estados Unidos Barak Obama acaba de publicar um livro para adolescentes. É a primeira vez que Obama se aventura na literatura infantil e juvenil.

 

O livro é inspirado nas duas filhas do Presidente - Malia e Sasha - e presta homenagem a 13 figuras importantes da história dos Estados Unidos.

 

 

 A Letter to My Daughters

Barak Obama

ilustrações : Loren Long

https://i.guim.co.uk/

 

De George Washington a Martin Luther King, passando por Albert Einstein ou Helen Keller, é deste modo que a história americana é dada a conhecer aos mais jovens.

 

O responsável pela publicação de livros infantis da editora Random House diz que a obra "celebra as características que unem todos os americanos, o potencial para realizar os sonhos e construir os próprios caminhos".*

 

 

 A Letter to My Daughters

Barak Obama

ilustrações : Loren Long

 https://i.guim.co.uk/

 

A ilustração é de Loren Long, que já todos conhecemos do livro infantil de Madonna, "As Maçãs do Sr. Peabody".

 

Na capa do livro vê-se uma ilustração das duas filhas de Obama com o seu cachorro Bo (um labrador de origem portuguesa).

 

 

 

 A Letter to My Daughters

Barak Obama

ilustrações : Loren Long

 http://static.guim.co.uk

 

Meio milhão de exemplares está desde hoje disponível nas livrarias norte-americanas. As receitas resultantes da venda dos livros serão doadas para bolsas de estudo destinadas a filhos de soldados americanos, feridos ou mortos.

 

 

 

 

O livro foi escrito ainda antes de Barak Obama ter tomado posse como Presidente dos Estados Unidos, em 2009.

 

Obama não é o primeiro presidente americano a escrever para crianças e adolescentes. Antes dele, Hillary Clinton com "It Takes a Village" e Laura Bush com "Read All About It!" tinham já escrito livros infantis.

 

Não sei quando chegará a Portugal, mas não me admiraria muito que a versão portuguesa fosse editada antes de Natal. Estou certa que vai ser um sucesso nas livrarias e comprá-lo serve uma nobre causa: apoiar os estudos de jovens.

 

 A Professora GSouto

 

16.11.2010

 

Licença Creative Commons

fontes: Expresso.pt

Guardian.co.uk/Books