Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

José Saramago : A Maior Flor do Mundo : livro & filme animado

 

 

saramago.jpg

 

José Saramago, Prémio Nobel de Literatura

http://i.s.sl.pt

 

Foram muitas as gerações que leram comigo Saramago! Por missão, por gosto. A isso juntámos a admiração, mais tarde, quando foi laureado com o Prémio Nobel da Literatura em 1998.

 

"Começar a ler foi para mim como entrar num bosque pela primeira vez e encontrar-me, de repente, com todas as árvores, todas as flores, todos os pássaros. Quando fazes isso, o que te deslumbra é o conjunto. Não dizes: gosto desta árvore mais que das outras. Não, cada livro em que entrava, tomava-o como algo único."

 

José Saramago, El País Semanal, Madrid, 29 de Novembro de 1998

 

 

saramago2a.jpg

 

 

Saramago

Lisboa, 2010

https://en.wikipedia.org/

 

Saramago foi muito controverso nas suas ideias. Mas para nós, o importante era o estudo e o debate crítico do valor inestimável da sua obra reflectida na literatura contemporânea portuguesa.

 

Apesar de não se cingir às regras morfossintácticas da norma padrão da língua, a sua escrita, talvez por isso mesmo, atraía as novas gerações.

 

No entanto, José Saramago defendeu o valor da língua portuguesa no momento em que se discutia o Acordo Ortográfico.

 

"A Língua Portuguesa é um 'bem precioso' e os portugueses devem tratá-ls melhor."

 

José Saramago, 23.04.2008

 

 

 

 

 

A Maior Flor do Mundo

José Saramago

edições Caminho

https://www.josesaramago.org/

 

José Saramago não escreveu muito para crianças e adolescentes! Não que considerasse a literatura infantil e juvenil um género menor da Literatura. Pelo contrário! Pela dificuldade que sentia, como ele próprio escreveu no livro A Maior Flor do Mundo que assim começa:

 

Livro & Filme animado:

 

 

saramago-livro.jpg

 

A Maior Flor do Mundo

filme animado

José Saramago

https://www.josesaramago.org/

 

"As histórias para crianças devem ser escritas com palavras muito simples, porque as crianças, sendo pequenas, sabem poucas palavras e não gostam de usá-las complicadas.

 

Quem me dera saber escrever essas histórias, mas nunca fui capaz de aprender, e tenho pena."

 

José Saramago, A Maior Flor do Mundo, Ed. Caminho, Dezembro 2002, 1ª edição

 

 

 

 

"Teenho muita pena de não saber escrever histórias para crianças" e continua, desafiando a criatividade dos seus jovens leitores " Quem sabe se um dia virei a ler outra vez esta história, escrita por ti que me lês, mas muito mais bonita?..."

 

José Saramago, A Maior Flor do Mundo,

Ed. Caminho, Dezembro 2002, 1ª edição

 

 

saramago-livro1.jpg

 

A Maior Flor do Mundo

filme animado

José Saramago

https://www.josesaramago.org/

 

 

Um livro escrito com uma grande simplicidade, para melhor chegar aos leitores mais jovens. Os alunos gostaram muito de ler. 

 

tem também uma vertente ecológica que muito nos agrada, dado que somos 'ambientalistas' assumidos.

 

A função dos escritores, poetas e prosadores não é mesmo abrir caminho para o sonho através da criatividade?!

 

 

saramago-livro2.jpg

 

 

La Flór Más Grande del Mundo

filme animado (versão língua espanhola)

http://estaticos.elmundo.es/

 

 

Actividades:

 

  • Solicitar aos alunos que leiam o livro.
  • Aceder ao filme animado via online (computadores na sala) e deixar que os alunos o visionem.
  • Alertar para o facto de existir a versão em língua espanhola.
  • Abrir debate na sala de aula sobre a importância do livro impresso e do filme animado como recursos pedagógicos.
  • Em grupo, os alunos poderão redigir um pequeno texto comentando os dois recursos pedagógicos.
  • Solicitar o apoio de professores curriculares Educação Visual para uma possível ilustração elaborada pelos alunos.

 

 

A Professora GSouto

 

19.06.2010

 

 Licença Creative Commons

 

 

Cidadania : 60 Anos Direitos Humanos

 

 

 créditos: Marcos Pereira

https://mapereira.wordpress.com/

 

Paris, 8 dez 2008 (AFP) - Há 60 anos, no dia 10 de dezembro de 1948, a Assembleia Geral das Nações Unidas adoptava em Paris a Declaração Universal dos Direitos Humanos, texto fundador que rege o direito internacional desde a Segunda Guerra Mundial, embora seus ideais nem sempre sejam praticados. 

 

Várias manifestações estão previstas para esta comemorativa, principalmente em França. Uma cerimónia será organizada no Palácio Chaillot, em Paris, onde o texto foi ratificado.

 

Estarão presentes representantes da ONU, da Comissão Europeia e de organizações de defesa dos direitos humanos.

 

Saber +

 

Inspirada na declaração francesa dos direitos humanos e do cidadão de 1789, e na declaração de Independência dos Estados Unidos de 1776, a Declaração Universal dos Direitos Humanos tem na sua origem o flagelo causado pela Segunda Guerra Mundial e pelo genocídio dos judeus.

 

"Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direito", proclama o primeiro artigo da Declaração, que em trinta artigos enumera os direitos humanos, civis, económicos, sociais e culturais "inalienáveis" e "indivisíveis".

 

O texto foi adoptado pelos então 58 Estados membros da Assembleia Geral da ONU, com excepção da União Soviética, dos países do Leste europeu, da Arábia Saudita e da África do Sul, que se abstiveram.

 (...)

 

As convenções internacionais para banir a discriminação contra as mulheres (1979), contra a tortura (1984) e pelos direitos das crianças (1990), são fruto da DUDH.

 

direitoshumanos.jpg

 

Ir + longe:

 

Em Portugal, dois acontecimentos para celebrar 60 Anos dos Direitos do Homem chamaram a minha atenção!

 

 

José Saramago

créditos: autor não idenficado

http://www.ochaplin.com/

 

O escritor José Saramago, afirmou hoje, em Lisboa, passados dez anos de receber o Nobel da Literatura, em Estocolmo, que o galardão "significou uma responsabilidade importante do ponto de vista cívico e político".

 

Lusa/Visão 

 08.12.2008

 

A Fundação de José Saramago vai oferecer nesta quarta-feira, por ocasião do 60º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, 200.000 cópias do texto, anunciou nesta segunda-feira o escritor português.

 

José Saramago, 86 anos, prémio Nobel de Literatura em 1998, decidiu distribuir o texto aos leitores de dois jornais portugueses.

 

"Esta declaração não está sendo respeitada. Ela existe, mas ninguém quer aplicá-la, nem os governos, nem as populações, que são difíceis de mobilizar pela defesa dos direitos humanos", lamentou o escritor durante um encontro com jornalistas.

 

AFP

 

bombeiros1.jpg

 

 Bombeiros Portugueses 

http://www.tvi24.iol.pt/

 

A Assembleia da República vai entregar quarta-feira aos bombeiros voluntários portugueses o Prémio Direitos Humanos 2008, assinalando o ano nacional do voluntariado nos bombeiro

 

 

 

 

Direitos Humanos - Voluntariado

http://img.photobucket.com/

 

 

Informação:  

 

Direitos Humanos: Artigo 29.º

 

O indivíduo tem deveres para com a comunidade, fora da qual não é possível o livre e pleno desenvolvimento da sua personalidade.

 

 

Eu escolhi o 29º artigo por o considerar muito importante  no desenvolvimento da vossa educação!

 

 

A comunidade escolar é o melhor ambiente de aprendizagem para os prinicipais artigos consignados nos Direitos Humanos! E o voluntariado um dos mais nobres valores.

 

A Professora GSouto

 

10.12.2008

 

Licença Creative Commons

.


Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor

 

http://3.bp.blogspot.com
 

" A Língua Portuguesa é um "bem precioso" e os portugueses devem tratá-la melhor."

 

 José Saramago, 23.04.08

 

 Fundo do mar

 

 No fundo do mar há brancos pavores,

Onde as plantas são animais

E os animais são flores.

 

Mundo silencioso que não atinge

A agitação das ondas.

Abrem-se rindo conchas redondas,

Baloiça o cavalo-marinho.

 

Um polvo avança

No desalinho

Dos seus mil braços,

Uma flor dança,

Sem ruído vibram os espaços.

 

Sobre a areia o tempo poisa

Leve como um lenço.

 

Mas por mais bela que seja cada coisa

Tem um monstro em si suspenso.

 

Sohia de Mello Breyner-Andresen, Obra Poética I, Caminho

 

Actividades:

 

  • Leitura de vários autores de língua portuguesa e não portuguesa;
  • Estudo dos direitos de autor e das regras de utilização de textos e/ou imagens
  • Transcrição e publicação nesta postagem, de poemas seleccionados pelos alunos das várias turmas.

 

Mas acima de tudo, leiam, leiam livros que vos agradem, parilhem opiniões. 

 

A Professora GSouto

 

24.04.2008

 

 Licença Creative Commons