Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Voltando a Anne Frank : novos dados históricos ?

 

 

 

créditos: Casa Anne Frank

 http://annefrank.org

 

 

 Documento autêntico: diário e foto de Anne Frank

créditos: Casa Anne Frank

 http://annefrank.org

 

Anne Frank é um rosto que todos nós conhecemos. Lemos o seu Diário de Anne Frank, fizemos investigação de informação sobre a II Guerra Mundial e perseguição aos Judeus feita pelo regime hitleriano.

 

Visitámos o seu museu virtual, a Casa de Anne Frank e lemos tantos outros livros relacionados com famílias de origem judaica que foram perseguidos, uns baseados em factos verídicos, como Quando Hitler me Roubou o meu Coelho Cor-de-Rosa de Judith Kerr, O Mundo em que Vivi de Ilse Losa, e outros ficcionados, mas muito perto da realidade O Rapaz do Pijama às Riscas, A Menina que Roubava Livros, entre outros.

 

 

 

Família Anne Frank & amigos esconderijo

http://o-diario-de-annefrank.tumblr.com/historia

 

Saber +

 

Anne Frank, pais, irmã e alguns amigos de origem judaica, viveram durante cerca de dois anos, escondidos num exíguo anexo na cidade holandesa de Amesterdão, sabendo que qualquer passo em falso seria fatal.

 

O esforço seria em vão. No dia 4 de Agosto de 1944, as autoridades descobriram o esconderijo e prenderam todos os residentes.

 

 

Família Frank

créditos: Casa Anne Frank

 http://annefrank.org

 

Dos oito detidos, sete acabariam por morrer em campos de concentração, incluindo Anne. Durante anos, Otto Frank, o pai de Anne, o único sobrevivente do grupo, tentou descobrir quem teria traído a família, denunciando o local onde se encontrava.

 

Agora, passados setenta e dois anos, um grupo de investigadores parece sugerir uma outra teoria: afinal, os agentes podem ter descoberto o local por pura coincidência.

 

 

 

Entrada para o Anexo

créditos: Casa Anne Frank

 http://annefrank.org

 

A investigação é da autoria do próprio Museu Anne Frank. Ainda que não afastem totalmente a hipótese de a família ter sido traída por algum informador ao serviço do regime, como tem sido defendido, os investigadores acreditam que as autoridades nazis encontraram a família de Anne Frank de forma completamente fortuita.

 

Na verdade, quando entraram no número 263 da Prinsengracht, as secretas alemãs podiam estar a investigar um caso de fraude envolvendo cupões de racionamento ou até um caso de trabalho ilegal.

 

 

Casa Anne Frank

créditos: Casa Anne Frank

 http://annefrank.org

 

“Nas actividades diárias, os investigadores [da divisão de Haia] frequentemente encontravam esconderijos de judeus por acaso”, pode ler-se no estudo.

 

O pai de Anne, Otto Frank, sugeriu sempre que a família tinha sido traída, e apontou alguns possíveis responsáveis. o que influenciou durante décadas as investigações dos historiadores.

 

O estudo agora divulgado vem acrescentar uma nova perspectiva histórica. vamos continuar a acompanhar.

 

 

 

Diário Anne Frank

créditos: Casa Anne Frank

 http://annefrank.org

 

 

Campo de concentração Bergen-Belsen

créditos: Casa Anne Frank

 http://annefrank.org

 

Anne Frank, como sabemos morreu no campo de concentração alemão Bergen-Belsen aos 15 anos, poucos dias antes da libertação de todos os prisioneiros com a derrota dos Alemães e o final da Guerra 14-18.

 

O seu diário escrito antes da prisão e deportação, onde retrata o terror que viveu durante aqueles anos, tornou-se um dos relatos mais marcantes sobre esse tenebroso período da história da Europa.

 

 

  

The Diary of Anne Frank, 1959

O Diário de Anne Frank

http://www.imdb.com/

 

 

 

The Diary of Anne Frank/ DVD

O Diário de Anne Frank

http://www.imdb.com/

  

 

Actividades:

 

  • Pesquisa neste blogue sobre os vários posts dedicados a Anne Frank;
  • Ler o Diário de Anne Frank. Está incluido no PNL. Mas mais do que isso. Há momentos históricos que não devem ser esquecidos;
  • Explorar recursos na biblioteca/mediateca da escola:  livros, DVD, ebooks sobre o tema;
  • Visita virtual à Casa de Anne Frank;
  • Propôr uma visita escolar - férias Páscoa, final ano lectivo - a Amesterdão para visitar a Casa Anne Frank com os alunos..

 

A Porofessora GSouto

 

06.02.2017

 

Licença Creative Commons

Referências:

 

Casa Anne Frank/ Anne Frank House/ New Perspectives Arrest

Observador/ Holocausto

 

O Rapaz do Pijama às Riscas : livro e filme

 

 

 http://static.fnac-static.com/

 

"As barreiras poem dividir-nos... mas a esperança vai unir-nos."

 

Baseado no livro de John Boyne, o filme O Rapaz do Pijama às Riscas estreou em 2009.

 

Há quem tenha considerado o livro de má qualidade literária. Não vou contestar! Depende do ponto de vista e da qualidade da leitura.

 

No entanto, é um livro que teve imenso sucesso! E que continua a apaixonar jovens  em todo o mundo.

 

Publicado no Reino Unido em 2006, simultâneamente em edições para jovens e para adultos, O Rapaz do Pijama às Riscas encontra-se actualmente traduzido em 32 línguas, e tem suscitado o interesse da crítica e dos leitores jovens e adultos, um pouco por todo o mundo.

 

A provar, está a sua adaptação ao cinema em 2008, pelo realizador Mark Herman, conhecido realizador inglês. 

 

 

O Rapaz do Pijama às Riscas 

ediçõe Asa

 

 

Vencedor de dois prémios literários na Irlanda "Children's Book of the Year" e "Listener's Choice Book of the Year",  bem como "Bisto Children's Book Award".

 

Foi nomeado para mais de 15 prémios literários internacionais, entre os quais "British Book Award" (Reino Unido), "Premio Paolo Ungary" (Itália), "Prix Farmiente" (Bélgica), e "Borders Original Voices Award" (Estados Unidos). Foi ainda nomeado para a "Carnegie Medal" de 2007.

 

(fonte bookingcross.com)

 

 

O Rapaz do Pijama às Riscas

John Boyne

http://www.bulhosa.pt/

 

Na contracapa pode ler-se:

 

"Esta é uma história especial e muito difícil de descrever. Embora fosse normal incluir aqui algumas pistas sobre o conteúdo, entendemos que neste caso isso iria prejudicar a experiência da leitura.

 

Pensamos, de facto, que é importante começar a ler esta obra sem saber do que ela trata e, para os mais curiosos, avançamos apenas isto: quem ler este livro vai embarcar numa viagem com um rapaz de nove anos chamado Bruno; e, mais cedo ou mais tarde, vai chegar com o Bruno a uma vedação...

 

Vedação como essa, existem um pouco por todo o mundo. Oxalá o leitor nunca encontre nenhuma igual."

 

Edições Asa, contracapa

 

Repito as palavras finais. Espero sinceramente que nunca mais na vida de nenhuma criança hajam vedadções. E parte alguma do mundo.

 

Deixo o trailer do filme para que possam relembrar as nossas aulas, ou então ver pela primeira vez, quem sabe. Um livro que devem ler, e um filme que vale a pena ver, mesmo em DVD.

 

  

 

 

Lemos o livro nas aulas curriculares de Língua Portuguesa em 2009. Os alunos que viram o filme com os pais ou amigos ficaram muito impressionados e pediram para lermos o livro nas aulas de Língua Portuguesa.

 

O debate e todas as actvidades inerentes, desde a investigação, ao termo de comparação com o livro já lido Diário de Anne Frank bem como as propostas de escrita criativa tornaram o tema muito envolvente, visto por jovens que desconhecem o que pode ser uma infância ou juventude atravessada pela guerra, pior ainda, por campos de concentração. 

 

Só mais tarde, O Rapaz do Pijama às Riscas foi incluido no programa Ler + . E para relembrar todas as  crianças e adultos que morreram em campos de concentração, o mundo hoje relembra:

 

auschwitz2.jpg

 

Auschwitz

 http://wmtheboyinthestripedpajamas.files.wordpress/

 

Faz hoje 70 anos que o Campo de Concentração de Auschwitz foi libertado por tropas russas no final da 2ª Guerra Mundial.

 

A Professora GSouto

 

27.01.2015

 

 

 Licença Creative Commons

Dia Internacional da Memória do Holocausto

 

 

http://www.un.org/holocaustremembrance

  

Em 1 de Novembro 2005, a Assembleia-Geral das Nações Unidas estabeleceu o dia 27 de Janeiro como o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

 

Hoje, dia 27 Janeiro, assinala-se assim o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto que coincide com os 65 anos sobre a libertação do campo de extermínio de Auschwitz.

 

Estima-se que seis milhões de pessoas tenham sido exterminadas na Europa durante a Segunda Guerra Mundial, às mãos do regime hitleriano.

 

Quantas leituras fizemos sobre este tema tão lancinante da História da Humanidade! E como todos aderiram com empenhamento, para saber mais sobre esta época histórica que não passou assim há tanto tempo.

  

annefrank-diary_avatar-usa.jpg

 

Manuscrito de Diário de Anne Frank

http://cdn.radionetherlands.nl

 

Relembremos o Diário de Anne Frank que lemos : PNL - Diário de Anne Frank que foi adaptado ao cinema e a uma série de televisão

 

"A curta-metragem sobre a Anne Frank mostra mesmo o que aconteceu. É quase tão triste como o livro. Talvez seja mais, porque no livro nós podemos imaginar as imagens de uma maneira que não seja tão violenta como o filme retratava, e muito bem, o holocausto. Os milhares de judeus a entrarem em camiões e em comboios para irem directos aos campos, dizendo de outra forma, iam directos à morte. Mas apesar de tudo gostei do filme, das imagens, de tudo. Eu gostei muito do "Diário de Anne Frank ", e vou começar a ler "O Mundo em que Vivi", de Ilse Losa . Penso que se trata do holocausto e das próprias experiências por que a escritora judia (penso que antes era alemã, mas nacionalizou-se portuguesa e viveu cá) passou."

 

José Diogo Alves, 11 anos, 2009

 

E ainda a leitura de O Rapaz dos Pijama às Riscas:

 

rapaz-pjama-riscas.jpeg 

O Rapaz do Pijama às Riscas | John Boyne

http://www.imdb.com/

 

Rapaz do Pijama às Riscas de John Boyne foi adaptado ao cinema por Mark Herman (2008).

 

"Já li o livro e aconselho a todos! É deveras espantoso... Não sei em que sentido é que outras pessoas não gostaram... Mas, bem, gostos não se discutem!

 

Estou muito ansiosa para ver o filme, e espero poder lembrar-me de cada momento do livro e associá-lo a esta nova estreia!"

 

Joana Pinto, 11 anos, 2009

 

E O Mundo em que vivi de Ilse Losa:

 

 

ilse-losa-livro.JPG

Ilse Losa | O Mundo em que vivi

Edições Afrontamento

 

Ilse Losa, O Mundo em que vivi no blogue de intercâmbio escolar com os nossos colegas franceses em FrancêsLE. 

 

Lemos pois os três livros e estudamos os efeitos terríficos da 2ª Guerra Mundial nas aulas curriculares de Língua Portuguesa.

 

"Gosto das histórias de Ilse Losa. Já visitei a exposição que está patente na Biblioteca da escola. Os relatos de vida da autora são impressionantes. E saber que agora mora aqui tão perto da escola!

 

Teve muita sorte em conseguir fugir da perseguição nazi. Anne Frank não foi tão feliz...!"

 

Inês Gil, 11 anos, 2006

 

"Gosto muito dos livros da Ilse Losa. É talvez uma das minhas escritoras favoritas!"

 

Cláudia Carneiro, 11 anos, 2006

 

Lemos ainda outros livros, como por exemplo a A Menina que Roubava Livros de Mark Zusak.

 

Impossível não relembrar leituras tão marcantes que nos levam a olhar com muito respeito para este dia de memória histórica.

 

  Saber mais:

 

Poderão ainda visitar online os seguintes sítios web:

 

 

Relembro então um dos mais belos excertos de "Diário" de Anne Frank:

 

"Se Deus me deixar viver, hei-de ir mais longe de que a mãe. Não quero ficar insignificante. quero conquistar o meu lugar no Mundo e trabalhar para a Humanidade.

O que sei é que a coragem e a alegria são os factores mais importantes na vida!

 

Tua Anne

 

A Professora GSouto

 

27.01.2011

Licença Creative Commons

 

O Rapaz do Pijama às Riscas : livro e filme

 

 

 http://static.fnac-static.com/

 

«As barreiras podem dividir-nos… mas a esperança vai unir-nos.»

 

 Baseado no livro de John Boyne, estreou esta semana o Rapaz do Pijama às Riscas.

 

Há quem tenha considerado o livro de má qualidade literária. Não vou contestar! Depende do ponto de vista e da qualidade da leitura.

 

Mas é um livro que teve imenso sucesso! E que continua a apaixonar jovens  em todo o mundo.

 

Publicado no Reino Unido em 2006, simultaneamente em edições para jovens e para adultos, O Rapaz do Pijama às Riscas encontra-se actualmente traduzido em 32 línguas e tem suscitado o interesse da crítica e dos leitores um pouco por todo o mundo.

 

A prová-lo está a sua adaptação ao cinema, num filme dirigido por Mark Herman, conceituado realizador inglês.

 

 

Edições Asa

 

Vencedor de dois prémios literários na Irlanda “Children’s Book of the Year” e o “Listener’s Choice Book of the Year”, bem como do “Bisto Children’s Book Award”. 

 

Foi nomeado para mais de 15 prémios literários internacionais, entre os quais o “British Book Award” no Reino Unido, o “Premio Paolo Ungary” em Itália, o “Prix Farmiente” na Bélgica, e o “Borders Original Voices Award” nos Estados Unidos. Foi ainda nomeado para a “Carnegie Medal” de 2007.

 

fonte bookingcross.com

 

Na contracapa pode ler-se:

 

"Esta é uma história especial e muito difícil de descrever. Embora fosse normal incluir aqui algumas pistas sobre o conteúdo, entendemos que neste caso isso iria prejudicar a experiência da leitura.

 

Pensamos, de facto, que é importante começar a ler esta obra sem saber do que ela trata e, para os mais curiosos, avançamos apenas isto: quem ler este livro vai embarcar numa viagem com um rapaz de nove anos chamado Bruno; e, mais cedo ou mais tarde, vai chegar com o Bruno a uma vedação...

 

Vedação como essa, existem um pouco por todo o mundo. Oxalá o leitor nunca encontre nenhuma igual."

 

Edições Asa

 

Também eu! Espero sinceramente que nunca nas vossas vidas encontrem vedações destas! Em parte alguma do mundo.

 

Deixo o vídeo para que possam começar a saborear a próxima ida ao cinema.

 

Mas, não deixem de ler o livro...

  

 

 

E lemos depois o livro. Os alunos que viram o filme com os pais ou amigos ficaram muito impressionados e pediram para lermos o livro nas aulas de Língua Portuguesa.

 

O debate e todas as actvidades inerentes, desde a investigação, ao termo de comparação com o livro já lido Diário de Anne Frank bem como as propostas de escrita criativa tornaram o tema muito envolvente, visto por jovens que desconhecem o que pode ser uma infância ou juventude atravessada pela guerra.

 

Mais tarde, O Rapaz do Pijama às Riscas foi incluido no programa Ler + .

 

A Professora GSouto

 

02.02.2009

 

 Licença Creative Commons

PNL - A Ilha na Rua dos Pássaros - 6I

 

 

 

Uri Orlev, A Ilha na Rua dos Pássaros

www.ambar.pt

 

 "A nossa rua não foi baptizada por causa das aves que andavam no quarto piso, mas a minha mãe disse-me donde lhe viera o nome. Há muito, muito tempo, antes de haver automóveis, havia uma avenida de árvores no meio da rua debaixo de cujos ramos as carruagens puxadas por cavalos passavam. Já fora há tanto tempo que a minha mãe não se lembrava disso. Só a avó se recordava. Ela dizia que essas árvores estavam carregadas de pássaros. Milhares e milhares deles. Por isso deram à rua o nome de Rua dos Pássaros." (...)

 

 Uri Orlev, A Ilha na Rua dos Pássaros, Âmbar Editora

(excerto)

 

Livro do Plano Nacional de Leitura

 

Sabes que o livro A Ilha na Rua dos Pássaros aborda o acontecimento histórico Holocausto que já trabalhámos no livro O Mundo em que Vivi de Ilse Losa.

 

No próximo dia 27 Janeiro é Dia Internacional da Memória do Holocausto.

 

 

slide: Ana Paula Oliveira

http://image.slidesharecdn.com/

 

 Ficha Digital

 

A. Leitura

 1. Comenta a leitura feita em sala de aula, ao longo dos vários dias.

2. No final da leitura integral, regista neste post um curto excerto que mais te tenha impressionado.

 

B. Expressão escrita

 

 1. Dá um final diferente

2. Cria um novo capítulo (trabalho de grupo)

 
C. Comentário final

Comenta o horror que adolescentes d tua idade viveram durante a 2ª Guerra Mundial
(máximo 8 linhas)



 A Professora GSouto

 

 21.01.2007

 

Licença Creative Commons