Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

E veio o Outono ! E com poesia !

 

 

 Google Doodle Equinócio de Outono

https://www.google.com/doodles/

 

E lentamente o Outono chegou. Começa hoje quinta-feira, dia 22 Setembro às 15:21 horas, e, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, 'as temperaturas máximas não devem subir acima dos 28 graus e o vento soprará fraco, com alguma nebulosidade'.

 

Bem aqui na cidade do Porto, estão muito abaixo dos 28 graus. Estamos com 19 graus, embora o dia se mantenha lindo, e sem vento... para já.

 

Esta quinta-feira, segundo a página do Observatório Astronómico de Lisboa, o sol nasceu às 7:25 e põe-se às 19:33 horas, o que faz com o dia tenha as mesmas horas que a noite.

 

Bom, a partir de agora, os dias irão encurtando, trazendo a noite mais cedo, e as noites vão crescendo até ao solstício do Inverno, em Dezembro.

 

Solstícios:

 

Duas vezes por ano, nos equinócios da Primavera e do Outono, os dias são iguais às noites.

 

Para saber mais, basta leres o post Outono chegou hoje: traz sol e poesia no solstício do Outono 2015.

 

Etimologia:

 

O Latim que está na origem da palavra 'dia igual à noite' : aequus (igual) e nox (noite). 

 

 

  

Parque Serralves | Outonp

créditos: JoãoP74, Flickr

https://www.flickr.com/

 

É a preparação para o Inverno, esse a chegar às 10:44 horas do dia 21 de Dezembro. Hoje, o dia já é demontrativo da estação que vai entrar. Céu um pouco enevoado, solinho menos brilhante e intenso.

 

A natureza transforma-se, aparecem os primeiros sinais das cores outona dia típico de Outono ao início da tarde, quando chega a estação associada aos amarelos e castanhos das árvores, à queda das folhas, aos primeiros frios e chuvas, às noites mais longas.

 

Como sabemos das aulas de Língua Portuguesa, ao estudar o Texto Poético, o Outono aparece muitas vezes associado à melancolia e à nostalgia.

 

Então vamos lá à procura de um poema lindo que nos leve a Outono. Fernando Pessoa, que tal?

 

Uma névoa de Outono o ar raro vela

Uma névoa de Outono o ar raro vela,
Cores de meia-cor pairam no céu.
O que indistintamente se revela,
Árvores, casas, montes, nada é meu.

Sim, vejo-o, e pela vista sou seu dono.
Sim, sinto-o eu pelo coração, o como.
Mas entre mim e ver há um grande sono.
De sentir é só a janela a que eu assomo.

Amanhã, se estiver um dia igual,
Mas se for outro, porque é amanhã,
Terei outra verdade, universal,
E será como esta [...]

 

Fernando Pessoa, (5-11-1932)

 

Lindo, mas melancólico, não é? Dá bem para analisar nas aulas curriculares de Língua Portuguesa. Saudade das nossas aulas de Português, das sessões de leitura em que a poesia tinha sempre um lugar muito especial.

 

Actividades:

 

Como  o ano lectivo já começou, aqui deixo algumas propostas para desenvolver...

  • Analisar o excerto do poema de Fernando Pessoa acima transcrito, sem esquecer de solicitar aos alunos que façam a pesquisa do poema integra. Turmas 3º ciclo, 8º ou 9º anos.
  • Solicitar aos alunos uma curta selecção de poemas sobre o Outono (literatura portuguesa, ou não). Cada aluno poderá dizer um poema da sua escolha em voz alta.
  • Escrita criativa : alunos serão convidados a criar poemas alusivos ao Outono que poderá ser ilustrado também pelo aluno. Apoio do currículo de Educação Visual.
  • Programar um jornal de parede na sala de aula - Turmas 2º ciclo e 7º ano 3º ciclo. Os alunos procederão então à elaboração de um Poemário que poderá ser enriquecido ao longo de 15 dias.

 

Bom Outono  para todos ! E bom ano lectivo !

 

A Professora GSouto

 

22.09.2016

 

Licença Creative Commons

Bom Dia de S. Valentim !

 

valentines-day10.jpg

 

Peter H. Reynolds

 https://www.facebook.com/PeterHamiltonReynolds/

 

Ups! Quase ia esquecendo, de novo, que hoje é um dia muito especial para os meus jovens leitores! Seria imperdoável da minha parte. Até porque já não escrevo no dia dos Namorados desde 2012. Pelo menos neste blogue de Língua Portuguesa. 

 

No nosso blogue de Francês Língua Estrangeira, escrevi em 2013.

 

Comecemos então com o Doodle interactivo que Google publicou para o Dia de São Valentim:

 

 

 

 

Google Doodle animado Dia São Valentim

https://www.google.com/doodles/

 

Bom, Google mais uma vez nos brindou com a publicação, na sua página principal, de um Doodle interactivo, em cinco versões que tem como objectivo, em gestos muito subtis, a importância das tecnologias na relação entre as pessoas.

 

Verdade! Nunca estivemos tão perto (mas por vezes, tão longe) daqueles que nos são queridos, amigos, familiares, e hoje namorados. É através do telemóvel, ou de um tablet, via wireless que podemos muitas vezes exprimir afectos, quando as pessoas estão afastadas.

 

 

 

 

Price and Prejudice/ Jane Austen

https://www.buzzfeed.com/

 

Deixo algumas sugestões! Passem por 16 Pefect Valentine's Day Gifts For Book Nerds e escolham. Estou certa que vão encontrar o presente ideal para a pessoa que anda no vosso pensamento.

 

 

 

William Shakespeare

https://www.buzzfeed.com/

 

Bom, mas há mais! Que tal agora irem até Literary Valentine's For the Romantic Reader in All of Us? Divertido utilizar caricaturas de alguns dos nossos escritores favoritos e frases de algum dos seus livros em cartões personalizados para enviar ao namorado ou à namorada. Adorei esta ideia.

 

 

 

 

E agora, que tal um poema de amor do nosso grande escritor Fernando Pessoa?

 

 

pessoa-vento.jpg

 

Fernando Pessoa

 

Não digas nada

 

Não digas nada!
Nem mesmo a verdade
Há tanta suavidade em nada se dizer
E tudo se entender —
Tudo metade
De sentir e de ver...
Não digas nada
Deixa esquecer

 

Talvez que amanhã
Em outra paisagem
Digas que foi vã
Toda essa viagem
Até onde quis
Ser quem me agrada...
Mas ali fui feliz
Não digas nada.

 

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

 

 
Estou mesmo a ver que estão a pensar sorrindo: "A professora não ia esquecer de nos falar de literatura! ". 
 
 
Pois não. Adoro livros. E adoro poesia. E temos poemas de amor tão belos na nossa literatura! Este, por exemplo, de grande subtileza! Bem característico de Fernando Pessoa. Um dos nossos maiores poetas, hoje conhecido mundialmente.
 
 
E finalmente, um vídeo de alerta para a violência no namoro que tem aumentado perigosamente. Está em espanhol, mas muito fácil de entender. Vê então " No es amor! "
 
 
 
 

 

 

Espero que tenham gostado das várias sugestões para este dia de S. Valentim e que passem momentos ternurentos, mas muito divertidos, e com respeito pela vossa integridade.

 

Afinal, o amor só é bom quando divertido e respeitador. Faz-nos sentir bem felizes.

 

Bom Dia de S. Valentim ! Sejam felizes! 

 

A Professora GSouto

 

14.02.2015

 

Licença Creative Commons

 

Referências : BlogTailors (site Buzz Feeds Books)

Texto Poético : Parabéns Fernando Pessoa !

 

doodle-fernandopessoa.jpg

 
Google doodle - Fernando Pessoa
 

 

 
 
 
Google doodle Aniversário de Fernando Pessoa
 

No dia em que nasceu Fernando Pessoa, Google não esquece de lhe dedicar um doodle, e a Casa Pessoa propõe-se a comemorar o 123º ano do nascimento do poeta com visitas guiadas, exposições, oficinas criativas para crianças, lanche na Biblioteca e um concerto com Mariano Deidda.
 
 
Saber +
 
 
Não é minha intenção realçar o significativo número de poemas para a infância na obra de Fernando Pessoa, mas sim relembrar o modo como o poeta  promove, por meio da tematização do quotidiano infantil o encontro entre a poesia e a criança.
 
 
 

fernandopessoa-fadas.jpg

 

 

Poema de Fernando Pessoa

ilustração António Modesto (?)

 https://farm8.staticflickr.com/

 


E lembram, certamente, as nossas aulas, os poemas de Fernando Pessoa que líamos e analisávamos, e depois divulgámos no nosso blogue. Lembro a propósito de férias, o poema Liberdade. Ou  o poema As Fadas .
 
Também não podemos esquecer Fernando Pessoa a propósito do acordo ortográfico em A minha Pátria. Ou Língua Portuguesa: 800 Anos.

 
Então este doodle deu-me uma motivação para dedicar este post ao lado da poesia de Fernando Pessoa menos explorado. Poesia para crianças.
 
 
Quando as crianças brincam
 
 
Quando as crianças brincam
Eu as oiço brincar,
Qualquer coisa em minha alma
Começa a se alegrar.

 

E toda aquela infância

Que não tive me vem,

Numa onda de alegria

Que não foi de ninguém.

 

Se quem fui é enigma,

E quem serei visão,

Quem sou ao menos sinta

Isto no meu coração

 

Fernando Pessoa, 05.09.1933

 

 

fernandopessoa-retrato.jpg

 

 

Fernando Pessoa

créditos: Autor não identificado

http://lounge.obviousmag.org/

 
 
Como no início do post me referi às comemorações da Casa Fernando Pessoa, deixo a sugestão: 
 
Actividades:
 
  • Visitar o Banco de Poesia e ler poemas, não só de Fernando Pessoa e de seus heterónimos, mas também os de muitos outros poetas portugueses. Um excelente recurso digital online.

  • Fazer pesquisa de blogues que hoje dedicam posts a Fernando Pessoa.
  • Ler notícias alusivas. Seleccionar temas de debate. 

 

Atenção: Não esquecer referências e/ou fontes para confirmarmos em sala de aula.

 
 
Ah! Acima de tudo, leiam por gosto. É tão bom ler poesia! Ou até escrever... sim porque eu sei quantos gostam de escrever poesia! Pelo menos, todos os alunos que se destacaram nas aulas sobre Texto Poético. E não foram assim tão poucos!
 
 
Quem sabe um dia não verei um livro publicado por mais um aluno meu numa das livrarias da cidade que gosto de percorrer?
 

 A Professora GSouto
 
 
13.06.2011
 
 

Licença Creative Commons

 

  

Dia da Criança : Havia um menino

 

 

 

 

Havia um menino

que tinha um chapéu

para pôr na cabeça

por causa do sol.

 

Em vez de um gatinho

tinha um caracol.

Tinha o caracol

dentro de um chapéu;

fazia-lhe cócegas

no alto da cabeça.

 

Por isso ele andava

depressa, depressa

pra ver se chegava

a casa e tirava

o tal caracol

do chapéu, saindo

de lá e caindo

o tal caracol.

 

Mas era, afinal,

impossível tal,

nem fazia mal

nem vê-lo,

nem tê-lo:

porque o caracol

era do cabelo.

 

Fernando Pessoa, Havia um menino

 

Dedicado a todas as  crianças que não têm o direito de sonhar, nem sabem o que é o «Dia da Criança»!

 

 A Professora GSouto

 

1 Junho 2006

 

Licença Creative Commons