Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

É Natal ! É Natal !

 

 

 

Google Doodle, winter solstice (northerm hemisphere)

 http://www.google.com/logos/doodles/

 

Eis-nos de novo no Natal ! Celebrámos o solstício do Inverno, o dia mais curto do ano, no dia 21 Dezembro. Isto no hemisfério norte. Claramente, no hemisfério sul celebrou-se o solstício de verão, a 22 Dezembro, o dia mais longo do ano.

 

Desde a antiguidade que se celebra o solstício.  A noite mais longa do ano (por oposição ao dia mais curto) era celebrada por muitos povos pagãos, fosse para afastar os espíritos mais negros ou para marcar um renascimento (porque a partir daí os dias começam a ficar maiores).

 

As fogueiras, que iluminavam a longa noite, eram um elemento comum. O cristianismo, aproveitando esta época que simbolizava um novo começo na cultura romana, e terá escolhido celebrar o nascimento de Jesus – visto que não existe, segundo se diz, referências bíblicas ao dia 25 de Dezembro.

 

Apesar de há muito desaparecidos, as tradições dos antigos povos pagãos persistem - no acender das luzes de Natal, nas decorações, ou simplesmente pelas mãos de inúmeros devotos que seguem, ainda hoje, as crenças antigas.

 

Na história há muitas referências ao solstício de Inverno, uma data importante na Roma antiga ou na Europa pré-cristã. E cerimónias para o assinalar esta celebração acontecem na China, países da América do Sul, sobretudo as civilizações Maya e Druidas.

 

Um Cântico de Natal, Charles Dickens

Clube do Autor

https://www.facebook.com/Clube-do-Autor

 

Como sempre, nesta altura de férias escolares, deixo sugestões culturais. Então se não andas nas compras, já foste ver Guerra das Estrelase te apetece agora algumas horas de acalmia, fora do bulício da época, aqui tens a minha sugestão de leitura.

 

O livro «Um Cântico de Natal», de Charles Dickens que fala do verdadeiro espírito da quadra natalícia, foi eleito pelo escritor José Luís Peixoto para integrar a coleção "Os Livros da Minha Vida", do Clube do Autor.


A coleção do Clube do Autor tem destacado livros que, por qualquer razão, se tornaram especiais para determinadas personalidades públicas. Neste caso, nada melhor do que um escritor.

 

Saber +

 

Romancista inglês nascido em 1812, Charles Dickens publicou obras em que denunciava a vida difícil dos operários na sociedade industrial emergente - Grandes Esperanças, Tempos Difíceis - e, em particular, a miséria das classes sociais mais baixas, ou a precaridade da infância - em Oliver Twist, especialmente. Escreveu também um muito popular Conto de Natal.Morreu em 1870.

 

 

Um Cântico de Natal, Charles Dickens

Clube do Autor

http://static.fnac-static.com/

 

"Um Cântico de Natal" é uma das histórias mais famosas da literatura e, sem dúvida, o conto de Natal por excelência.

 

«Um daqueles raros livros que deu expressão a algo enorme. Acredito que a própria vivência do Natal foi tocada por estas páginas.(…) Uma obra que nos faz pensar e que nos faz sentir. É por isso que continuará a ser lida, não importa quantos séculos passem. As questões que levanta nunca perderão atualidade (…).»

 

«A arte de Dickens deu origem a algumas das obras mais marcantes de sempre.»

 

José Luís Peixoto, in Prefácio

 

(The New York Times)

 

A obra de Dickens faz parte da vida de José Luís Peixoto, «uma obra que nos faz pensar e que nos faz sentir. É por isso que continuará a ser lida, não importa quantos séculos passem».


" Quis, neste pequeno conto fantástico, evocar o fantasma de uma ideia que não porá os meus leitores de mau humor nem consigo próprios, nem uns com os outros, nem com a quadra, nem comigo. Possa essa ideia assombrar-lhes agradavelmente as casas e que ninguém deseje excluí-la.


O vosso fiel servidor e amigo,
Charles Dickens"


(Dezembro, 1843)

 

Quero acreditar que esta postagem de férias de Natal vos possa agradar, já que encerra dois assuntos tão ligados ao Natal.

 

 

Santa Tracker 2015, Google

https://santatracker.google.com/#village

 

Ah! Entretanto passem pelo site da Viagem do Pai Natal que propõe a miúdos e crescidos tradições e jogos natalícios. 

 

É como um tradicional calendário de Natal, mas sem chocolates nem doces. Todos os dias há uma surpresa, ao mesmo tempo que faz a contagem decrescente para a grande noite na qual o nosso Pai Natal distribui prendas por todo o mundo.

 

A partir desta noite, podem seguir a viagem quase em tempo real. Vantagens das tecnologias modernas! Não era o que sempre vos falava?


Para todos os que me lêem, mesmo sem deixar comentários (as estatísticas são bem reveladoras do número de leitores)ficam meus votos de um Bom Natal, na companhia de pais, avós e irmãos. 

 

E não esqueçam todas as pessoas, jovens e menos jovens, que estão nesta época a atravessar situações de incerteza, dor, tristeza, falta de emprego e bens essenciais. Estou certa que todos terão feito algo para as apoiar neste momento tão tocante.

 

Feliz Natal!

 

A Professora GSouto

 

23.12.2015

 

Licença Creative Commons

 

Celebrar Bicentenário de Charles Dickens

 

 

 

Charles Dickens

http://timeentertainment.files.wordpress.com/

 

Foi no dia 7 Fevereiro que Charles Dickens nasceu. Este ano celebra-se assim o seu 200º aniverário em todo o mundo, tal como em 2005 se celebraram  os 200 anos do nascimento de Hans Christian Andersen.

 

Google Doodle 200º Aniversário de Charles Dickens

https://www.google.com/doodles/

 

Google celebra com um Doodle o 200º aniversário de Charles Dickens, o grande escritor inglês que conhecemos através dos seus livros. Várias cidades a nível mundial celebraram com palestras, exposições e outros eventos culturais esta efeméride.

 

Charles John Huffam Dickens nasceu em Portsmouth a 7 de Fevereiro de 1812. Experimentou o jornalismo e foi editor de várias publicações periódicas. Para garantir o sustento da família, trabalhou também numa fábrica. 

 

 

Google Doodle 200º Aniversário de Charles Dickens

close-up Doodle

https://www.google.com/doodles/

 

Dickens iniciou a sua carreira com a narrativa breve em 1833  "A Dinner at Poplar's Walk" (em fascículos) no jornal Monthly Magazine  e só depois veio a editar em livro.

 

O mesmo acoteceu com o seu primeiro romance, The Pickwik Papers (1836-1837), e com os seguintes, que foram primeiramente publicados em folhetim mensal ou mesmo semanal. 

 

O Bicentenário do nascimento do escritor Charles Dickens foi assinalado em Portugal com a inauguração de duas exposições e uma palestra que tiveram lugar em Lisboa.

 

 

 

Oliver Twist/ Charles Dickens

http://www.bnportugal.pt

 

Uma das exposições é a mostra que está patente na Biblioteca Nacional desde 7 Fevereiro 2012, e que poderá ser visitada até 10 Março 2012.

 

"Esta iniciativa pretende evocar a recepção de Dickens em Portugal até à actualidade, predominantemente por via da tradução, publicada entre nós, em periódico e em volume, desde 1839, data em que surge a sua primeira obra traduzida."

 

 

Google Doodle 200º Aniversário de Charles Dickens

close-up  Doodle

https://www.google.com/doodles/ 

 

Foi no século XIX  que foram apresentadas ao público leitor as primeiras traduções em língua portuguesa de cinco dos romances de Dickens: Oliver Twist (1837-1839), The Life and Adventures of Nicholas Nickleby (1838-1839), A Tale of two Cities (1859), Great Expectations (1860-1861)  e The Posthumous Papers of the Pickwick Club (1836-1837). 

 

Mas é no final do século XX que se assiste à tradução da narrativa de Dickens dedicada ao público infantil e juvenil.

 

 

  

 

 

David Copperfield/ Charles Dickens

Relógio d'Água (2011) 

http://2.bp.blogspot.com

 

O seu romance favorito, de evidentes traços autobiográficos, David Copperfield (1849-1859), foi traduzido, pela primeira vez, em 1909, sendo retraduzido e publicado em Portugal mais sete vezes. 

 

A última edição é da Relógio D’Água. O romance é uma belíssima obra de inspiração autobiográfica em que se misturam tragédia, esperança, comédia, amor e morte.

 

Suponho que todos leram David Copperfield ou pelo menos viram a adaptação da obra ao cinema.

 

 

 

 

 David Copperfield

Roman Polansky, 2005

http://www.imdb.com/

 

E se não leram David Copperfield, leram Oliver Twist, uma narrativa também de carácter autobiográfico. Charles Dickens teve um infância e adolescência muito difíceis. Abandonou a escola para ajudar a família, dado que o pai estava preso. Mas, isso não o fez desistir de se tornar um célebre escritor.

 

Oliver Twist foi adaptado váras vezes ao cinema. A versão mais actual é a de 2005, dirigida pelo cineasta franco-polaco, Roman Polansky. Ganhou 5 'Oscars'.

 

Oliver Twist retrata uma mera semelhança da real infância de Charles Dickens, pobre e sofrida. Vi o filme e adorei! O filme é excelente em narrativa e interpretações, o  protagonista “Oliver” é cativante, o que fez com que ganhasse milhares de admiradores em todo o planeta.

 

 

 

  

 
Actividades: 
 
  • É pois o momento de ler ou reler as obras mais importantes! Certamente que os vossos professores não deixarão passar esta efeméride sem voltarem à leitura dos belos e emocionantes livros de Charles Dickens.
  • Também as adaptações ao cinema de algumas obras de Dickens são excelentes recursos pedagógicos para explorar em sala de aula.
  • Aproveitem, desde já o fim-de-semana para procurar os filmes em DVD ou então ir à vossa estante e reler um dos livros aqui apresentados. É claro que todos leram "Conto de Natal". E viram em cinema.
 
 
A Professora GSouto
 
 
24.02.2012
 
 
Licença Creative Commons
 
 
Referências: BNP | Expresso