Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Ler para saber : Livros sobre 25 Abril

 

 

abril25-andré-carrilho.jpg

 

25 de Abril

cartoon: André Carrilho

http://www.dn.pt/

 

 

De mãos é cada flor cada cidade.
Ninguém pode vencer estas espadas:
nas tuas mãos começa a liberdade.

 

Manuel Alegre, As Mãos (excerto)

 

Foi há 43 anos que a liberdade se fez em Portugal. Se perguntarmos aos jovens estudantes quem descobriu a Índia ou o Brasil estarão informados, pois é inquestionável o papel da escola e da literatura na transmissão desse saber e desse imaginário.

 

 

abril25d.jpg

 

slideshare aluna 11º ano

Francisca Silva, 2014

https://pt.slideshare.net/

 

 

"Todavia, se perguntarmos sobre 25 Abril de 74 poucos saberão da importância deste acontecimento da História de Portugal que tanto contribuiu para a mudança e para a evolução quer do ponto de vista da condição humana, quer do ponto de vista social."

 

Maria Manuela Cruzeiro/ Augusto José Monteiro

 

 

abril25-cravos1.jpg

 

slideshare aluna 11º ano

Francisca Silva, 2014

https://pt.slideshare.net/

 

E qual a simbologia do cravo ligada a este dia 25 Abril? Há várias versões, mas uma delas pode ser esta.

 

Mas está  nos livros. Faz parte, naturalmente, da nossa história. E, nem que seja só por isso, tem de ser estudada.

 

Deixo então uma sugestão de leitura: Vinte Cinco a sete vozes de Alice Vieira. Já tinha falado neste livro quando dediquei um post aos 30 Anos de livros de Alice Vieira.

 

 

vinte-cinco-sete-vozes.jpg

 

Vinte Cinco

a sete vozes

Alice Vieira

edições Caminho

 

 

Sinopse:

 

Que foi que aconteceu no dia 25 de Abril de 1974? Aparentemente a resposta é fácil. Mas só aparentemente, pois tudo vai depender da idade que têm os que a ela respondem... Para os mais novos, aqueles a quem 1974 é a Pré-História, 25 de Abril, 10 de Junho, 5 de Outubro ou 1.º de Dezembro é tudo o mesmo, ou seja, é feriado e isso é que importa. Mas para os mais velhos, as coisas não são assim tão simples.

 

Do conjunto de sete vozes diferentes se faz esta história - com um final feliz, já que a liberdade também se pode festejar de mãos dadas num centro comercial da cidade...

 

Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para o 6º ano: leitura orientada na sala de aula. Grau de Dificuldade III, currículos de Língua Portuguesa.

 

 

abril25g.jpg

 

A Flor de Abril

uma história da revolução dos cravos

Pedro Olavo Simões 

ilustrações: Abigail Ascenso

http://www.fnac.pt/

 

Sinopse:

 

Um pai, pintor, busca na memória as respostas à curiosidade do filho, que viu um cravo desenhado sobre o cano de uma espingarda.

 

Com a simplicidade dessa conversa a dois, vemos como Portugal despontou para a liberdade numa madrugada de 1974. 

 

O livro conta a história de um quadro pintado numa oficina iluminada por 37 anos de liberdade. A flor no cano de uma espingarda que o pai de João imortaliza no quadro que pinta, explica aos mais novos como um cravo vermelho no cano de uma espingarda se fez símbolo da alvorada de um novo Portugal.

 

Nível etário: 8-12 anos.

 

 

abril25-livro.jpg

 

25 de Abril

Revolução dos Cravos

História de Portugal

Paula Cardoso Almeida
ilustrações: Carla Nazareth, Patrícia Alves & Miguel Gabriel
Quidnovi, 2008

http://bibliofiliajsd.blogspot.pt/

 

Sinopse: 

 

Numa colecção de História de Portugal, este livro centra-se na narrativa da Revolução de Abril propriamente dita, consequência quase natural de várias décadas de opressão, censura, pobreza e guerra colonial.

 

 

abril25-livro1.jpg

 

 História de uma flor

Matilde Rosa Araújo

ilustração: João Fazenda

edições Caminho

https://www.wook.pt/

 

Sinopse:

 

«Nas ruas havia flores vermelhas por toda a parte. No peito das mulheres, dos homens, nos olhos das crianças, nos canos silenciosos das espingardas. Nem era uma guerra, nem uma festa. Era o mundo de coração aberto.»

 

Livro de Matilde Rosa Araújo, publicado em 1983 na colectânea A Velha do Bosque, editado autonomamente em 2008, com ilustrações de João Fazenda. A autora cruza a dimensão simbólica com a histórica, criando uma metáfora particularmente expressiva da libertação ocorrida em Portugal a seguir ao 25 de Abril. 

 

Um livro que é um poema à beleza e à liberdade. Ganha nova dimensão nesta edição autónoma, exemplarmente ilustrada.

 

Disponível em versão impressa e ebook

 

Nível etário: infantil

 

Não devemos descurar a partilha de uma 'memória histórica', que passa testemunhos mais autênticos.  Passaram 43 anos sobre 'esse momento'.

 

“A história é como uma montanha que só de longe se pode admirar na sua grandeza e nos seus abismos”

 

Müller, citado por Torgal, 1989: 214

 

Aqueles que viveram os factos, e que ainda estão entre nós, conseguem revivê-los e reconstruí-los de uma forma mais precisa e eventualmente, já com alguma isenção, por se ter passado o tempo suficiente para sacudir o pó da excessiva emoção.

 

 A Professora GSouto

 

25.04.2017

 

 Licença Creative Commons

Celebrar Miguel de Cervantes, 400 Anos após sua Morte

 

 

 

 Dom Quixote

Miguel de Cervantes

Clássicos da Literatura em Quadradinhos

apoio: UNESCO

http://4.bp.blogspot.com/

 

“El que no sabe gozar de la ventura quando le viene, no se debe quejar si se le pasa.”
 
Miguel de Cervantes,Capítulo V, El ingenioso hidaldo Dom Quijote de la Mancha

Miguel de Cervantes, um dos maiores vultos da literatura mundial celebra em 2016, 400 anos após a sua morte. Espanha e o mundo preparam múltiplas actividades para esta efeméride.
 
 

 

Google Doodle Aniversário Miguel de Cervantes

https://www.google.com/doodles/

 

Em 2008, Google homenageou Miguel de Cervantes com o Doodle no dia do seu aniversário em 28 de Setembro.
 

dom_quixote.jpg

 

O Meu Primeiro Dom Quixote

adaptação Alice Vieira

ilustração: Mingote
Publicações Dom Quixote
http://www.dquixote.pt/

 
Saber +
 
Em 2005 celebrámos o IV Centenário da 1ª edição do seu livro Dom Quxote. Os alunos leram a obra O Meu Primeiro Dom Quixote numa adaptação infanto-juvenil de Alice Vieira, ilustrada pelo humorista espanhol Mingote e editada por Publicações Dom Quixote, 2005.
 
Demos então início a um projecto transcurricular Língua Portuguesa/ EVT que entusiasmou alunos e professores.
 
Para a maioria dos alunos foi a descoberta de Cervantes através dos seus hérois, o cavaleiro Dom Quixote e seu escudeiro Sancho Pança.
 
 
 
 

 

 

Fomos desenvolvendo várias actividades depois da leitura de O Meu Primeiro Dom Quixote. Visitámos a exposição virtual Ilustradores de Quixote que continua patente na Biblioteca Virtual. Os alunos pesquisaram, complementando a leitura do livro em sala de aula. A leitura saiu muito enriquecida com o facto de ter introduzido as TIC nos currículos de Língua Portuguesa. Isto já desde 1998.
 
 

 Ilustradores de Quixote

Exposição BN Portugal/Biblioteca Virtual

http://purl.pt/

 

Foi uma excitação! Criarem textos em prosa e em verso ilustraram o Meu Primeiro Dom Quixote motivados pela leitura do livro  Meu Primeiro Dom Quixote e pela exposição digital.
 
 
Uma das mais deliciosas actividades foi em escrita criativa, as cartas a Dulcineia e Quixote. Eu própria fiquei encantada com as missivas.


No final fez-se uma exposição onde os alunos expuseram todos os trabalhos elaborados ao longo do projecto. Exposição que foi aberta a pais, alunos e professores.
 
 

  

 

Miguel de Cervantes 400

400 Anos da Morte de Miguel Cervantes

http://www.notimex.com.mx/

 
 Ir + longe:
 
 
Mas agora trata-se do IV Centenário da morte de Miguel Cervantes. Espanha celebra com o site oficial 400Cervantes
 
 
Em 2016, cumprem-se assim 400 anos da morte de Miguel de Cervantes. E com base nesta efeméride é vasto o programa de actividades comemorativas que se sucederão ao longo de todo o ano.
 
 
A Biblioteca Naconal de España tem patente uma exposição Miguel de Cervantes: de la vida al mito (1616-2016) até 25 Maio 2016.
 
 
 

 

D. Quixote de la Mancha

adaptação: Maria Ponce

versão literatura juvenil

http://www.wook.pt/

 

Informação:

 

"Adaptação de Maria Ponce de um dos maiores clássicos da literatura mundial. Sob a influência dos romances de cavalaria D. Quixote faz-se armar cavaleiro e, juntamente com Sancho Pança, seu fiel escudeiro, envolve-se nas mais extraordinárias aventuras. Defensor dos fracos e oprimidos, as suas façanhas mesmo ridículas e disparatadas, traduzem-se afinal numa admirável lição de idealismos e generosidade." 

 

Actividades:

 

Será impensável deixar passar esta efeméride, já que os alunos reagem muito bem a este tipo de motivação. Vamos então introduzir os 400 Anos após a Morte de Miguel de Cervantes para ler o seu aclamado romance, numa adaptação infantil e/ ou juvenil. Deixei propostas de livros para os diferentes níveis curriculares.

 

  • Leitura da adaptação do livro Dom Quixote em versão infantil e juvenil, segundo o nível curricular e/ou etário dos alunos.
  • Pesquisa sobre o autor na Biblioteca Virtual, Wikipédia, e outros recursos.
  • Elaboração de textos criativos em prosa e/ ou verso
  • Possível ilustração do livro feita pelos alunos.

 

A Professora GSouto

 

08.05.2016

 

Licença Creative Commons 

 

Dia de São Martinho : tradição e história

 

 

 

O dia de São Martinho é festejado um pouco por toda a Europa, mas as celebrações variam de país para país.

 

Google celebrou esta tradição portuguesa com um doodle alusivo em 11 Novembro 2011, lembram?

 

Em Portugal é tradição fazer-se um grande magusto, beber-se água-pé e jeropiga. Esta é também uma altura em que se prova o novo vinho, produzido com a colheita do ano anterior.

 

Aforismos:

 

  • “No dia de São Martinho, vai à adega e prova-se o vinho”.
  • "Dia de São Martinho, lume, castanhas e vinho."
  • "Mais vale um castanheiro do que um saco de dinheiro."
  • "Se o Inverno não erra caminho, temo-lo pelo São Martinho."
  • "Pelo São Martinho, semeia favas e linho."

 http://image.slidesharecdn.com/

 

Tradições:

 

De acordo com alguns autores, como José Leite de Vasconcelos e Ernesto Veiga de Oliveira, a realização dos magustos remonta a uma antiga tradição de comemoração do Dia de Todos os Santos, onde se acendiam fogueiras e se assavam castanhas. 

 

São Martinho na Europa:

 

O dia de São Martinho  é festejado um pouco por toda a Europa, mas as celebrações variam de país para país.

 

Na Aemanha, acendem-se fogueiras e fazem-se procissões. Em Espanha matam-se porcos, tradição que deu origem ao ditado popular “a cada cerdo le llega su San Martín” (“cada porco tem o seu São Martinho”). No Reino Unido existe a expressão “verão de São Martinho” que, apesar de já raramente utilizada, está também ligada com a crença de que o tempo melhora nos dias que antecedem o feriado.

 

Martin de Tours/ St Martin

https://upload.wikimedia.org/

 

História:

 

São Martinho, ou Martinho de Tours, nasceu por volta de 316 na antiga cidade de Savaria na Panónia, uma antiga província na fronteira do Império Romano, na actual Hungria.

 

Filho de um comandante romano, cresceu na região de Pavia, em Itália, em uma família pagã. Criado para seguir a carreira militar, foi convocado para o exército romano quando tinha penas quinze anos. Viajou por todo o Império Romano do Ocidente.

 

Apesar de ter recebido uma educação pagã, foi em adolescente que Martinho descobriu o Cristianismo. Mas só mais tarde, em 356, é que foi baptizado, depois de ter abandonado o exército.

 

Tornou-se discípulo de Santo Hilário, bispo de Poitiers (na zona oeste da actual França), que o ordenou diácono e presbítero, regressando de seguida a Panónia, onde converteu a mãe. Mudou-se depois para Milão, de onde terá sido expulso juntamente com Santo Hilário. Isolado, terá passado algum tempo na ilha da Galinária, ao largo da costa italiana.

 

 

Abbaye Saint Martin

Ligugé/ França

https://upload.wikimedia.org/

 

De volta à Gália, foi perto de Poitiers que fundou o mais antigo mosteiro conhecido na Europa, na região de Ligugé.

 

Conhecido pelos seus milagres, o santo atraía multidões. Foi ordenado bispo de Tours em 371 e fundou o mosteiro de Marmoutier, na margem do rio Loire, onde vivia na reclusão.

 

 

Abbaye de Marmoutier

Loire/ França

https://upload.wikimedia.org/

 

Pregador incansável, foi também o fundador das primeiras igrejas rurais na região da Gália, onde atendia tanto ricos como pobres.

 

Morreu a 8 de Novembro de 397 em Candes e foi sepultado a 11 de Novembro em Tours, local de intensa peregrinação desde o século V.

 

É nesta data, 11 Novembro, que se comemora o dia de São Martinho. Acredita-se que, na véspera e no dia das comemorações, o tempo melhora e o sol aparece. O acontecimento é conhecido pelo “verão de São Martinho” e é muitas vezes associado à conhecida lenda de São Martinho.

 

 

http://www.maimagazine.net/

 

Lenda de São Martinho:

 

Num dia frio e chuvoso de inverno, Martinho seguia montado a cavalo quando encontrou um mendigo. Vendo o pedinte a tremer de frio e sem nada que lhe pudesse dar, pegou na espada e cortou o manto ao meio, cobrindo-o com uma das partes.

 

Mais à frente, voltou a encontrar outro mendigo, com quem partilhou a outra metade da capa. Sem nada que o protegesse do frio, Martinho continuou viagem. 

 

Diz a lenda que, nesse momento, as nuvens negras desapareceram e o sol surgiu. O bom tempo prolongou-se por três dias.

 

Na noite seguinte, Cristo apareceu a Martinho num sonho. Usando o manto do mendigo, voltou-se para a multidão de anjos que o acompanhavam e disse em voz alta: “Martinho, ainda catecúmeno [que não foi baptizado], cobriu-me com esta veste”.

 

 

http://blogdoscaloiros.blogs.sapo.pt/

 

Ler : Histórias de São Martinho:

 

António Torrado escreveu duas histórias alusivas ao São Martinho: Maria Castanha e A Última Castanha  que poderão ser lidas online no nosso post de 11 Novembro 2008.

 

 

http://www.sitiodolivro.pt/

 

Alice Vieira, "Manhas e Patranhas, Ovos e Castanhas" (tradições).

 

Actividades:

 

  • São variadas, dependendo do nível etário dos alunos. Aos professores cabe seleccionar as mais adaptadas ao níveis curriculares que leccionam: leituras, expressão escrita criativa, canções, actividades de expressão artistica (artes, música).
  • A programar previamente.

 

A Professora GSouto

 

10.11.2015

Licença Creative Commons

Alice Vieira... 30 anos de livros!

 

 

 

 

Alice Vieira

Rosa minha irmã Rosa

http://1.bp.blogspot.com/

 

Quem não leu Rosa minha irmã Rosa? Quase todos os professores curriculares de Língua Portuguesa fizeram a leitura orientada desta obra de Alice Vieira, ou então deram indicação aos aos alunos para lerem o livro e e depois fez o contrôlo com uma ficha de leitura.

 

É uma das obras recomendada pelas Metas Curriculares de Português para o 6º ano de escolaridade.

 

"Mariana, filha única, tem dez anos quando Rosa nasce. Agora vai partilhar tudo com a irmã: o quarto, o tempo dos pais, o afecto da família - incluindo a Avó Elisa que desconfia do progresso, e a Tia Magda, que tem um dente de ouro, uma fala que mete medo e só gosta de estrelícias e antúrios. Mas pelo menos a recordação da Avó Lídia e a amizade de Rita ela não quer dividir com mais ninguém. Será que Rosa vai continuar a ser "uma intrusa"?"

 

 

Lote 12, 2º Frente

Alice Vieira

 http://www.caminho.leya.com/

 

Este primeiro romance de Alice Vieira inaugura assim a trilogia constituída também por Lote 12, 2º Frente (1980) e Chocolate à Chuva (1982). 

 

alicevieira-rosa_minha_irma_rosa.jpg

 

Alice Vieira

Rosa minha irmã Rosa

 http://www.caminho.leya.com/

 

Foi com Rosa minha irmã Rosa que Alice Vieira começou a sua carreira de escritora de livros infantis e juvenis. Faz agora 30 anos! Imaginem!

 

A efeméride "Alice Vieira 30 Anos de Livros" decorrerá até final de 2009 com uma megacampanha com logótipo próprio e muitos brindes gratuitos para distribuição em centenas de livrarias, bibliotecas e escolas de todo o país.

 

 

Alice Vieira

Contos de Grimm para Meninos Valentes

https://www.leyaonline.com/

 

Em Contos de Grimm para Meninos Valentes poderás conhecer histórias de encantar que o tempo trouxe de longe e que Alice Vieira escolheu e escreveu: Onde Está o Medo? Os Sapatos Estragados São José e as Três Irmãs Os Doze Corvos Onde Estão os Tolos deste Mundo?

 

Diverte-te a ler e a descobrir a sabedoria que cada conto tem para te dar!

 

 

Alice Vieira

Vinte cinco a 7 vozes

http://www.caminho.leya.com/

 

"Que foi que aconteceu no dia 25 de Abril de 1974? Aparentemente a resposta é fácil. Mas só aparentemente, pois tudo vai depender da idade que têm os que a ela respondem...

Para os mais novos, aqueles a quem 1974 é a Pré-História, 25 de Abril, 10 de Junho, 5 de Outubro ou 1.º de Dezembro é tudo o mesmo, ou seja, é feriado e isso é que importa. Mas para os mais velhos, as coisas não são assim tão simples.

Do conjunto de sete vozes diferentes se faz esta história - com um final feliz, já que a liberdade também se pode festejar de mãos dadas num centro comercial da cidade..."

 

Eis apenas alguns dos livros de Alice Vieira na sua longa vida de escritora, muito apreciada na literatura juvenil.

 

Celebram-se pois três décadas da autora, cuja obra está actualmente publicada em cinco editoras do grupo: Leya: Texto, Caminho, Dom Quixote, Oficina do Livro e Casa das Letras.

 

Desde 1979, Alice Vieira escreveu mais de 70 livros para crianças e adolescentes, vendeu cerca de dois milhões de exemplares e ganhou alguns dos mais significativos prémios em Portugal e no estrangeiro. 

 

 

Este Reu Que Eu Escolhi

Alice Vieira

http://www.caminho.leya.com/

 

Recebeu em 1979, o Prémio de Literatura Infantil Ano Internacional da Criança com Rosa, Minha Irmã Rosa, em 1983, com Este Rei que Eu Escolhi, o Prémio Calouste Gulbenkian de Literatura Infantil, e em 1994 o Grande Prémio Gulbenkian, pelo conjunto da sua obra.

 

Foi indicada, por duas vezes, como candidata portuguesa ao Prémio Hans Christian Andersen. Trata-se do mais importante prémio internacional no campo da literatura para crianças e jovens, atribuído a um autor vivo pelo conjunto da sua obra.

 


 

 A campanha tem também uma vocação solidária: dentro dos livros encontra-se um postal que deverá ser enviado à escritora com uma mensagem ou um desenho de parabéns, revertendo depois o valor em favor das bibliotecas de Timor. Ou seja: por cada postal recebido, a Leya oferece um livro ao país com o qual Alice Vieira “tem uma relação especial”, segundo comunicado de imprensa.

 

Todos os pormenores da campanha, bem como notícias e entrevistas, podem ser acompanhados no novo blogue aqui.

 

 

Alice Vieira

Flor de Mel

http://www.caminho.leya.com/

 

 De assinalar que a escritora obteve em 20 de Julho último a  Estrela de Prata do Prémio Peter Pan, atribuída pela International Board on Books for Young People (IBBY) e pela Feira do Livro de Gotemburgo pelo seu novo livro "Flor de Mel".

 

 

Alice Vieira : Flor de Mel

tradução sueco: Lusima Böcher

 http://diariodigital.sapo.pt/

  

 "Honungsblomma" na tradução sueca, "Flor de Mel" foi publicado na Suécia pela Lusima Böcker em 2008. O prémio, sem dotação pecuniária, consta de um diploma para o autor, o ilustrador, o tradutor e o editor sueco.

 

Publicado pela Lusima Böcker em 2008, o lançamento do livro contou com a presença da autora, que se deslocou especialmente para a ocasião. As suas obras foram traduzidas para várias línguas, como o alemão, o búlgaro, o basco, o castelhano, o galego, o catalão, o francês, o húngaro, o holandês, o russo, o italiano, o chinês, o servo-croata. 

 

O "Prémio Peter Pan" foi instituído em 2000 pelo IBBY da Suécia e pela Feira do Livro de Gotemburgo, sendo atribuído anualmente a um livro infantil ou juvenil, de autor estrangeiro, atendendo ao tema tratado e à qualidade literária da obra. A entrega do prémio terá lugar agora em Setembro.

 

Alice Vieira é hoje uma das mais importantes escritoras portuguesas para jovens, tendo ganho grande projeção nacional e internacional.

 

 

Merecidíssimo, este galardão!

 

A Professora GSouto

 

06.09.2009

 

 Licença Creative Commons

 

Plano Nacional de Leitura ? Sempre praticámos !

 

 

 Luisa Dacosta, Sonhos na Palma da Mão

ASA Editores

 

"Uma história - como a sentimos?

 

Como semente. Uma semente que cresce connosco e nos faz crescer. Estes "Sonhos na Palma da Mão" pagam, de certa maneira, o encanto que me deram "A Rapariga dos Fósforos", "A Sereiazinha", "O Patinho Feio", "O Rouxinol". Longe na infância. Com as suas sombras e claridades [...] rolavam sobre mim, como berlindes mágicos, percorriam-me os cinco cantinhos da alma, abriam portas secretas, permitiam-me respirações, outras, que nem sabia. Uma dimensão, cujo bafo tento, aqui passar a corações com olhinhos interiores."

 

Luisa Dacosta, Sonhos na Palma da Mão, Edições Asa, 2003

 

 

Mel Evans/AP 2006

http://news.yahoo.com/

 

 

O Plano Nacional de Leitura tem como objectivo central elevar os níveis de literacia dos portugueses e colocar o país a par dos nossos parceiros europeus.

 

(...)

 

Destina-se a criar condições para que os portugueses possam alcançar níveis de leitura em que se sintam plenamente aptos a lidar com a palavra escrita, em qualquer circunstância da vida, possam interpretar a informação disponibilizada pela comunicação social, aceder aos conhecimentos da Ciência e desfrutar as grandes obras da Literatura.

 

http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt

 (texto com supressões)

 

 

O Meu Primeiro Dom Quixote

adaptação do livro Miguel Cervantes

Edições Dom Quixote

 

Há lá coisa mais deliciosamente cativante e intimista do que ler um livro?

 

Então, vamos dar continuidade ao nosso Projecto iniciado em Outubro de 2005, logo nos primeiros meses do 5º ano... 

 

O meu primeiro passo para cativar esse gosto pela leitura, foi aromatizar os últimos momentos de algumas aulas com a leitura de curtos pedacinhos de livros variados e pouco conhecidos. Lembram-se?

 

 

Para Não Quebrar o Encanto

Virgílio Alberto Vieira

Edições Caminho

 

Levava, e continuo a levar, livros para a sala de aula e leio alguns excertos, até vos despertar a curiosidade suficiente para continuarem sozinhos a leitura desses ou de outros livros à vossa escolha.

 

Com esta pedagogia de semear leituras não catalogadas sinto que estou a formar um boa plêiade de cativados leitores e leitoras que passaram a fruir do enorme encanto de ouvir ler histórias, de ler por prazer, e de comprar com a sua semanada livros. Alguns até já pediram pelo Natal... livros! Que bom!

 

 

António Mega Ferreira, As Palavras Difíceis

Publicações Dom Quixote

 

Tudo começou no dia em que apanhei o Capitão Fracasse a dançar uma valsa com a Alice no meio da biblioteca do avô.

 

(...)

 

Bom, foi depois disso que passei a aventurar-me mais vezes até à porta da biblioteca do avô. E um dia, a meio de uma tarde de muito calor, pus a mão na maçaneta da porta, rodei-a lentamente, o coração batia-me apressando [...] Mas no meio, mesmo no meio da biblioteca havia uma zona iluminada, e um homem alto, de botas de cano, chapéu de pluma e capa de veludo vermelha, rodopiava levando nos braços uma menina loura, muito loura, com cabelos atados por uma fita lilás e um vestido da mesma cor."

 

António Mega Ferreira, As Palavras Difíceis, Assírio & Alvim, 2005

 

Actividades:

 

  • Deixar em "Comentários", uma frase, duas ou três linhas do livro que mais gostaram de ler ou que estejam a ler neste momento! Pode ser? 
 
Então, fico à espera...
 

A Professora GSouto

 

07.01.2007

 

Licença Creative Commons