Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Literatura policial : Colecção Vampiro, vamos ler ?

 

 

Colecção Vampiro

http://cdn1.ionline.pt/

 

"Estão lá todos os ingredientes: o detective, o crime e a dedução lógica. Muito diferente dos actuais thrillers."

 Manuel Alberto Valente, director editorial

 

Talvez já tenha ouvido falar ou até saiba da existência de algum volume da Colecção Vampiro na biblioteca familiar. A Colecção Vampiro - o nome remete-nos logo para género policial - foi lançada em 1947, e acabou em 2007. Livros do Brasil ressuscitou a mais importante colecção de literatura policial portuguesa.

 

Muitos de vós, netos dos primeiros leitores desta colecção clássica de livros polciais, conhecerão esta colecção de a ver empilhada no alto das estantes lá de casa dos pais e dos avós. E há quem nunca tenha esquecido esses momentos vivenciados pela leitura da colecção Vampiro.

 

 

 

Os Mestres da Literatura Policial

Georges Simenon

http://coleccionadorvampiro.blogspot.pt/

 

Saber + 

 

A colecção Vampiro acabou em 2007, depois de 60 anos e mais de 703 números. Agora a Livros do Brasil ressuscitou a mais importante colecção policial portuguesa, inaugurando a sua nova série com reedições de S. S. Van Dine e Ellery Queen.

 

Há quase 70 anos, em 1947, a Vampiro introduzia o policial de bolso em Portugal, divulgava os grandes autores do género, sobretudo ingleses e americanos, como Agatha Christie ou Erle Stanley Gardner. Deslumbrava os leitores da época com as inovadoras capas do pintor surrealista Cândido Costa Pinto.

 

O último número da colecção, o 703, saiu em 2008. Agora a Livros do Brasil veio dar uma segunda vida à colecção, inaugurando a nova série com reedições de S. S. Van Dine e Ellery Queen.

 

 

 

Os Crimes do Bispo

S.S. Van Dine

http://www.livrosdobrasil.pt/

 

Quando o grupo Porto Editora comprou a Livros do Brasil, pensou logo em reeditar a mítica Vampiro não estava esquecida. Os fãs do policial podiam esperar novidades.

 

Aí estão. Com a reedição de Os Crimes do Bispo, de S. S. Van Dine, e de Vivenda Calamidade, de Ellery Queen, inaugura-se uma nova série da colecção, que começará por publicar o melhor do extenso património da Vampiro original, que foi, sem dúvida, a mais importante e duradoura colecção policial portuguesa.

 

 

 

Vivenda Calamidade

Ellery Queen

http://www.livrosdobrasil.pt/

 

Ir + longe:

 

“Se a coisa pegar”, diz o editor Manuel Alberto Valente, “admitimos vir também a publicar livros novos”. O que resultaria num modelo bastante semelhante ao que os actuais editores da prestigiada colecção francesa Masque lançaram em 2012 com a Masque Poche, que justamente cruza reedições de clássicos do seu catálogo com a publicação de novos títulos.   

 

Reeditar toda a colecção seria quase impossível, visto que muitos autores não estão no domínio público ou os seus direitos de publicação em Portugal pertencem actualmente a outras editoras. É o caso de Agatha Christie, que está a ser editada com novas traduções, pela Asa.

 

A nova Vampiro é pensada para quem não conheceu a colecção anterior quando esta se publicava, portanto, para novos leitores. Os antigos fãs da literatura policial terão a alegria de ver regressar a colecção no saudoso formato de bolso, e com preço acessível de 7,70€ euros por volume.

 

 

 

A Sombra Chinesa

Georges Simenon

https://imagens8.publico.pt/

 

Informação:

 

Literatura policial

 

Supõe-se que o género literário conhecido como romance policial tenha começado em Abril de 1841, nas colunas de um jornal da Filadélfia, o Graham's Magazine, com a publicação de The Murders in the Rue Morgue (Assassinatos na Rua Morgue), de Edgar Allan Poe.

 

O romance policial é um género literário que se caracteriza, em termos de estrutura narrativa, pela presença de elementos como o crime, a investigação e finalmente a revelação do criminoso.

 

O foco remete para o processo de indagação (pesquisas do mistério, elucidação das causas, audição de testemunhas) feito por um detective, profissional ou amador que levará à descoberta do criminoso ou criminosa, numa atmosfera de crescente suspense.

 

Este género literário deixa claro que não pode haver crime perfeito, ou crime sem punição. Daí que não deva haver espaço para a tolerância face à criminalidade. Geralmente o indivíduo que comete o crime é descrito psicologicamente como uma personagem fora do normal, que vive à margem da racionalidade decorrente dos regras da vida em sociedade.

 

O universo do romance policial é caracterizado por vários elementos:  medo, mistério, investigação, curiosidade, espanto, inquietação, suspense, que cada autor explora segundo a época.

 

O romance policial clássico busca a mais completa verossimilhança. Muitos detectives, como por exemplo, Sherlock Holmes, adoptam métodos científicos para procurar e chegarà verdade dos factos.

 

Muitos dos romances policiais têm sido adaptados ao cinema. É o caso de Sherlock Holmes, celebrizado por Conan Doyle, ou Monsieur Poirot, o detective celebrizado por Agatha Christie.

 

O romance policial distingue-se da literatura de aventuras e de ficção científica que têm elementos de narrativa totalmente diferentes, como estudámos nas aulas curriculares. Lemos até diferentes livros para melhor distinguir estes três géneros literários. 

 

 

 

Poirot desvenda o passado

Agatha Christie

https://imagens3.publico.pt/

 

Voltando agora à nova Vampiro, "Serão editados os melhores e há autores em grande quantidade." É o caso de Agatha Christie, que era a autora do primeiro volume da anterior colecção, com Poirot Desvenda o Passado, bem como Dashiell Hammett, Carter Dickson, Mickey Spillane, Stanley Gardner ou Dorothy L. Sayers, entre outros.

 

Poderão também ser incluidos na nova colecção alguns volumes de autores de época posterior, mas a lista não contará com nenhum dos poucos autores de policiais portugueses. O caso de Dennis McShade (Dinis Machado), agora publicado pela Assírio & Alvim.

 

 

Mão Direita do Diabo | Requiem para D. Quixote

Dennis Mcshade/ Dinis Machado

http://assirioealvim.blogspot.pt/

 

Curiosidades:

 

  • Acordo Ortográfico: a editira adoptouo novo AO o que levou à revisão das traduções originais. Mas basta comparar a primeira página de Os Crimes do Bispo nas duas edições para se constatar que esta revisão, não pretendendo ser uma reescrita, não se resume tão pouco a uma mera actualização ortográfica.
  • Correcção de erros/ gralhas: um revisor menos atento poderá ter deixado passar. É o caso por exemplo: nas primeiras linhas da edição original de Os Crimes do Bispo há uma referência aos “famosos assassínios dos Green”, que o revisor corrigiu para “Greene”, percebendo que o narrador alude a The Greene Murder Case, que a Vampiro publicou como A Série Sangrenta (n.º 30).  
  • Ilustração capas: Um aspecto que poderá seduzir alguns leitores desta nova colecção Vampiro. As capas forma desenhadas por Luís Alegre, que se decidiu por um estilo retro, para se aproximar das capas originais.
  • Logótipo: A manutenção, em versão simplificada, do célebre logótipo da colecção. O 'vampiro' de asas abertas.

 

Bom, convém salientar que as capas de Cândido Costa Pinto, dos anos 40 e 50, eram muito inovadoras e vanguardistas. 

 

"Nessa idade de ouro das colecções policiais de bolso portuguesas, os limitados centímetros quadrados das capas transformaram-se mesmo num fascinante território de experimentação, onde artistas como Cândido Costa Pinto e Lima de Freitas, na Vampiro, Eduardo Muge, na Xis, e Roberto Araújo Pereira ou Marcelino Vespeira, na Escaravelho d’Ouro, criaram pequenas obras-primas que integram de pleno direito o património artístico português do pós-guerra. As capas da Vampiro eram tão boas, que até a própria Agatha Christie as coleccionava."

 

Actividades verão:

 

Um excelente post para explorar a literatura policial, género muito adequado para a chamada leitura de verão. Mais leve, mas surpreendente quanto baste, para manter os leitores super interessados.

 

Deixo dois ou três links para desenvolver trabalho de pesquisa que certamente servirá de base para muitos quando no ano lectivo estudarem o romance policial:

 

Links: Romance policial

 

http://recantodaspalavras.wordpress.com/romance-policial/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Romance_policial

https://en.wikipedia.org/wiki/Suspense

 

Coleccionador Vampiro

http://coleccionadorvampiro.blogspot.pt/

 

A Professora GSouto

 

30.06.2016

 

Licença Creative Commons

 

Referências: 

O Público/ Cultura

 

Noite de São João na cidade do Porto

 

 

 

São João no Porto

autor: não identicado

http://plturismo.com/

 

Portuense/Tripeiro que é portuense só tem uma preocupação. Sair na noite de São João de martelinho na mão, ou o alho-porro, há aqueles que ainda gostam do ramo de erva cidreira para esfregar na cara das gaitas e procurar o bailarico mais animado. Tudo é festa!

 

Percorrem-se as ruas da cidade que se vão enchendo de gente. Os muitos turistas que acorrem à cidade para participar desta festa original, passaram a fazer parte deste ritual bem 'tripeiro'. A maior parte das pessoas não teme a confusão e dirige-se para a Ribeira e para o Cais de Gaia, mas todas as ruas vão dar às festas da noite sanjoanina.

 

Não se sabe quando começou essa tradição,  aponta-se século XIV, de na noite de S. João, não se parar por um minuto. Pelo menos, os mais novos, fazem questão de percorrer, depois do fogo de artifício, todos bailaricos da marginal até à Foz do Douro. E a noite, já quase a nascer o dia, acaba nas praias do Porto.

 

Ah! Dessa festa, fazem parte as tradicionais cascatas. E não se esqueça de comprar o manjerico! Diz a tradição que os namorados ofereciam os manjericos às suas amadas. Se for o seu caso, escolha com uma quadra bem romântica.

 

 

Cascata de São João, Porto

créditos. Lusa

http://thumbs.web.sapo.io/

 

As cascatas dos santos começam a ser construídas no início do mês de Junho. As lojas (e também hotéis e restaurantes) decoram as montras com cascatas e há umas maiores montadas junto dos bairros mais típicos da cidade. É interessante verificar as personagens – além dos santos que se celebram neste mês: Santo António, S. João e S. Pedro - que compõem as cascatas, já que geralmente representam antigas profissões.

 

Ainda que se veja cada vez menos essa tradição, saltar às fogueiras é uma das actividades mais primitivas destas festas. Ainda existem em alguns bairros mais típicos. Diz-se que, se saltar três vezes por cima da fogueiras, fica protegido contra o mal durante um ano. Ou seja, até à próxima festa de S. João.

 

 

Cais da Ribeira, noite de São João

autor: não identificado

http://www.tour-portogallo.it/

 

Saber +

 

São João pode ne ser o padroeiro oficial do Porto, mas é ele quem tem direito à maior festa da cidade. Na quinta-feira, quando o sol se começar a pôr, milhares de pessoas vão enchendo o centro histórico da cidade do Porto para dançar nos muitos bailaricos.

 

O cheiro a sardinha assada vai andar no ar e o som dos martelinhos de plástico vai ser a banda sonora que mais se vai ouvir. Só lá perto da meia-noite é que abranda, para se apreciar o espectáculo de fogo-de-artifício. E depois tudo continua pela noite dentro até ao romper do dia.

 

Os símbolos da festa já se conhecem. O espírito festivo apodera-se de nós e, de manjerico ao lado do teclado do telemóvel, partilham-se fotografias com amigos, família numa noite de São João que é sem dúvida inesquecível.

 

 

Porto, noite São João

autor: não identificado

http://portugalconfidential.com/

 

Ir + longe:

 

Apesar de ser o santo mais celebrado da Invicta – a noite de 23 para 24 de Junho é sem dúvida a maior festa da cidade que dá direito a feriado municipal, São João não é o padroeiro do Porto.

 

Na verdade, a cidade tem uma padroeira, Nossa Senhora da Vandoma. Nos mais antigos brasões da cidade pode ler-se a inscrição latina “civitas virginis”, ou cidade da virgem, em referência a Nossa Senhora da Vandoma.

 

O feriado municipal do Porto no dia 24 de Junho foi escolhido por referendo à população em 1911. De acordo com Hélder Pacheco, autor de vários livros sobre o Porto, entre os quais Porto. O Livro do S. João, o Governo Provisório da República impôs a escolha do feriado à cidade.

 

Aquando da aprovação, sabe-se que o feriado foi aprovado “não como dia de São João, mas como de festa da natureza”, mostrando o cuidado dos republicanos em associar a escolha à festa do solstício e não a uma celebração religiosa.

 

 

Tradições Festa S. João

autor: não identificado

http://www.portugaltraveltips.co.uk/

 

Tradições:

 

As sardinhas são as rainhas de qualquer festa portuguesa de Santos Populares e, na noite de São João, até nos restaurantes mais in se instala à porta um braseiro para servir o peixe azul, com pimentos a acompanhar.

 

Depois da refeição, o melhor é ficar a ver o fogo-de-artifício, entre os cais da Ribeira e de Gaia, já que o rio e a Ponte D. Luís I estão no horizonte.

 

A maior parte das pessoas não teme a confusão e dirige-se para a Ribeira e para o Cais de Gaia, mas há outras opções.

 

 

 

Fogo pirotécnico

Noite de São João

foto: autor não identificados

http://www.the-yeatman-hotel.com/

 

Quanto ao fogo-de-artifício, ao soar das 12 badaladas, o céu sobre o rio Douro e a Ponte D. Luís I sofre o efeito inverso da Cinderela e torna-se num espectáculo fabuloso.

 

Este ano, o espectáculo piro-musical vai durar 16 minutos. Promete-se uma viagem pelo rock nacional e internacional, começando com “Thunderstruck” dos AC/DC, seguido de Pink Floyd, Scorpions, Guns N’ Roses, Rolling Stones e Queen, terminando com a “Minha Casinha”, dos Xutos e Pontapés.

 

“Ah... quem viu o fogo uma vez já viu todas.” É a mais pura das mentiras! O fogo de artifício do S. João combinado entre as duas cidade, Porto e Gaia, e na Ponte Luís I é um dos mais bonitos espectáculos de pirotecnia do mundo. Não, não é como o fim de ano em Sydney! Também não exageremos... Mas a paisagem do Porto é bem mais bonita.

 

A Ribeira ou o Cais de Gaia são os melhores locais públicos para ver o fogo, a seguir aos barcos que estão no rio. A Sé do Porto vem em terceiro lugar nas escolhas, ideal para quem gosta de ver o espectáculo mais próximo das alturas.

 

As duas margens do rio ficam completamente inundadas de gente. Há ainda quem fique nos dos restaurantes,bares dos cais e até em barcos.

 

 

 Festas musicais na cidade Porto, São João

autor: não identificado

http://radar64.com/

 

Músicas populares na noite de São João, quase ninguém resiste a dançar, ou a entrar no comboio de gente que se forma assim que começa a tocar o acordeão de Quim Barreiros. Há bairros que têm uma banda em palco a tocar, com as Fontainhas à cabeça. 

 

Nos Arcos de Miragaia há sempre festa, assim como em Massarelos e no Largo de Nevogilde. A Praça D. João I tem palco montado e carrinhas de comes e bebes há já alguns dias. Para os preferem sítios mais calmos, há na Rotunda da Boavista uma boa opção, com vários divertimentos para crianças e uma roda gigante que dá uma perspectiva da cidade fantástica. Não que aprecie esse tipo de divertimentos, mas é o que dizem.

 

 

Martelinhos

créditos. Lusa

http://thumbs.web.sapo.io/

 

Seja pequeno, de tamanho respeitável ou assustador, o que interessa é ter um. Os martelos de plástico que as pessoas levam na noite de São João para bater na cabeça de desconhecidos são a imagem de marca da festa no Porto, ainda que não conste que São João Baptista andasse a bater com tal objecto em cabeças alheias.

 

Quem não tem um, não precisa de ir a correr comprar, pois vão estar à venda em cada esquina. O trajecto clássico de batidelas faz-se da Avenida dos Aliados (comemora este ano 100 anos), descendo até à Ribeira. A partir da uma da manhã, é começar a caminhar em direcção à Foz, como fazem milhares de resistentes. Pelo caminho há que contar com algumas marteladas na cabeça, barracas de farturas e música: Há sempre bailarico no coreto do Passeio Alegre.

 

 

Lançamento de balões

S. João no Porto

autor: não identifcado

http://thumbs.web.sapo.io/

 

Este ano, o São João faz-se com temperaturas amenas. Muitos balões a voar nos céus que podem não ser tão visíveis se a noite descer enevoada. No Mercado Bom Sucesso, vai ter lugar uma largada de balões às 23h45 bem como no largo da Casa da Música.

 

Na Avenida dos Aliados, mesmo em frente à CMP há espectáculo musical gratuito com Xutos e Pontapés às 01:00 horas.

 

Bem-vindo Verão ! E com Lua Cheia !

 

 

 

Google Doodle Solstício de Verão/ Hemisfério Norte

http://www.google.com/doodles/

 

Hoje, 20 de Junho, é o primeiro dia do Verão de 2016.Começa a estação cheia de Sol, muita praia, calor, férias! Os dias são longos, as noites mais quentes. Bem contrastante com o Outono. No entanto o Outono de 2015 foi muito agradável e começou com muito sol.

 

As pessoas saem muito mais, permanecem nas esplanadas depois da hora do jantar. Conversa-se sobre os bons momentos do dia. A alegria abunda, notam-se logo rostos mais sorridentes, e o amor anda mais pelo ar. O primeiro dia deste verão assinala sempre o despertar de novos sonhos, novos horizontes.

 

 

Google Doodle Solstício de Inverno /Hemisfério Sul

http://www.google.com/doodles/

 

Google não poderia esquecer esta data tão especial. E como já vem sendo usual, assinala o primeiro dia do Verão de 2016 com um tradicional Doodle, que lembra precisamente a entrada no verão a norte do planeta.

seu Doodle de Verão (Hemifério Norte) e Doodle de Inverno (Hemisfério Sul. Felizmente para nós, é Verão entramos esta noite no Solstício de Verão

 

Saber +

 

O solstício de Verão, segundo a Astronomia, é o momento em que o Sol, visto a partir da Terra, atinge a maior inclinação, em latitude, a partir da linha do Equador. Em Junho, ocorre no hemisfério norte. Já no mês de Dezembro verifica-se no hemisfério sul. 

 

Assim, o início do verão europeu começa em Junho, enquanto no hemisfério sul o verão só se inicia em Dezembro.

 

 

 

créditos: IPMA

https://www.facebook.com/ipma.pt/

 

 

Ir + longe:

 

O termo “solstício” deriva do Latim e é formado por duas palavras: “Sol” e “sistere” (algo que não se move).

 

Ao analisar esta palavra, quanto à sua formação, pode dizer-se que “solstício” quer dizer “sol que não se mexe”, ou “sol parado”, uma vez que quem observa o Sol, tem a sensação que este parece manter-se à mesma altura no meio-dia e pôr-se e nascer no mesmo ponto em relação ao horizonte.

 

À medida que os dias passam, é possível voltar a observar o Sol, a pôr-se e nascer um pouco mais sul, assim como um pouco mais baixo quando for meio-dia. Este processo mantém-se até que o Sol se ponha e nasça do ponto mais a sul do ano - o solstício de Inverno, a 21 de Dezembro.

 

Há, portanto, dois solstícios por ano, que estão associados a duas mudanças de estação: Verão e Inverno.

 

Este ano 2016, o solstício do Verão acontece hoje, 20 de Junho, às 22:34 horas. O Verão chega assim a Portugal em 2016 chega à noite. 

 

Este é o dia mais longo do ano no Hemisfério Norte. Em 2015 o Verão começou à tarde,  e um dia mais tarde, no dia 21 de Junho. O solstício de Verão acontece a maior parte das vezes  no dia 21 de Junho mas pode também ocorrer em outro dia, como a 20 de Junho. É o caso de 2016.

 

 

 

créditos: Getty Images

http://cdn2.obsnocookie.com/

 

Mas este ano, dia 20 Junho é um dia muito especial.  É que este solstício de verão coincide com a Lua Cheia denominada strawberry moon - “lua de morango”- que só volta a acontecer daqui a 70 anos.

 

Curiosidade científica:

 

Bom! O que é a “lua de morango”? Uma lua feita de morango? Não! Strawberry moon é o nome comum dado à lua cheia de Junho por algumas tribos da América do Norte.

 

É uma lua cheia igual a todas as outras luas cheias, mas marca o início da época em que a fruta está pronta para ser apanhada.

 

Este ano, os dois eventos, Solstício de Verão e Lua Cheia são coincidentes. Hoje, podereremos ver p nascer e o pôr-do-sol do dia mais comprido do ano e ainda olhar para a lua cheia à noite. Esta coincidência acontece apenas de 70 em 70 anos. Wow!

 

 

Actividades: 

 

  • Para ver a lua cheia de Junho em directo, é só aproveitar o livestreaming. A Slooh, que une pessoas em todo o mundo que gostam de observar o espaço, juntou-se aos telescópios Celestron e ao “The Old Farmer’s Almanac” para disponibilizar uma emissão ao vivo desta lua cheia especial.

 

Que tal? Depois de um dia de praia para os que jã estão de férias lectivas, ou de estudo para os que preparam exames nacionais, uma piscadela até ao Universo, é uma pausa e uma actividade científica que não vão querer perder.

 

A Professora GSouto

 

20.06.2016

 

Licença Creative Commons

Dia do Dador de Sangue : Karl Landsteiner

 

 

 Dia do Dador de Sangue

gif internet gratuito

 

Hoje, dia 14 Junho comemora-se o Dia do Dador de Sangue. Todos os anos se assinala neste dia o Dia Mundial do Dador de Sangue, em homenagem a Karl Landsteiner.

 

Karl Landsteiner, médico austro-americano, é homenageado hoje, dia 14 Junho 2016, pelo motor de busca Google com um Doodle interactivo pelo seu 148.º aniversário. O Nobel que classificou os grupos sanguíneos e que propôs o termo ‘anticorpo’ para as substâncias responsáveis pela aglutinação do sangue. Trata-se do médico e biólogo austríaco Karl Landsteiner.

 

 

Google Doodle 148º Aniversário de Karl Landsteiner

 http://www.google.com/doodles/

 

Saber +

 

Landsteiner, médico e biólogo nasceu em Baden, na Áustria, no dia 14 de Junho de 1868. Landsteiner é autor de uma ampla pesquisa, que alargou os horizontes da medicina.

 

Em 1901, descobriu que havia diferentes tipos de sangue, classificando-os como A, B, AB e O e que as pessoas com o mesmo grupo de sangue ou sangue compatível podem receber transfusões umas das outras.

 

O cientista descobriu ainda o factor RH que indica se o tipo é positivo ou negativo.

 

 

Karl Landsteiner, Prémio Nobel Fisiologia / Medicina, 1930

http://landsteiner.nl/

 

Este avanço científico levou a que fosse possível uma transfusão de sangue, que viria a ser realizada, pela primeira vez, em 1907.

 

Landsteiner viria a morrer dois dias depois de ter um ataque cardíaco no seu laboratório Nova Iorque, em 24 Junho 1943.

 

Da sua profunda obra destaca-se ainda o facto de ter sido este médico a propor o termo “anticorpo”, para as substâncias responsáveis pela aglutinação do sangue. Uma palavra que se manterá no vocabulário médico, para sempre.

 

 

 

Karl Landsteiner : tabela Tipos de Sangue

http://i.imgur.com/

 

Ir + longe: 

 

Landsteiner também colaborou com o cientista Erwin Popper, estabelecendo as bases que levaram à descoberta do vírus da pólio, permitindo assim o tratamento de uma doença que afectou milhões de crianças em todo o mundo.

 

A obra de Karl Landsteiner viria a ser reconhecida, com o Prémio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1930, precisamente pelo trabalho de classificação dos grupos sanguíneos, sistema A B O, e do factor RH.

 

Para descobrir estas características do sangue, Karl Landsteiner recolheu amostras de sangue de diversas pessoas. Isolou os glóbulos vermelhos e procedeu a diferentes combinações entre plasma e glóbulos vermelhos.

 

Verificou que, em alguns casos, pelo efeito da aglutinação dos glóbulos, formaram-se grânulos. Mas nem todos os tipos de sangue produziam este efeito.

 

Karl Landsteiner concluiu, então, que o sangue tinha particularidades, de pessoa para pessoa. E compreendeu a razão pela qual algumas pessoas toleravam a transfusão sanguínea e outras não.

 

Curiosidade:

 

Como curiosidade, assinala-se hoje também o nascimento de Aloysius Alzheimer, a 14 de Junho de 1864.

 

Este psiquiatra alemão gravou o seu nome na História por se tornar no primeiro a reconhecer uma doença neurodegenerativa, que viria a ser baptizada com o seu nome, doença de Alzheimer.

 

 

Karl Landsteiner : nota austríaca 

http://upload.wikimedia.org/

 

Actividades:

 

As aulas terminaram para uns. Para outros é a preparação para os exames finais. Deste modo, esta postagem destina-se a alargar os conhecimentos dos alunos numa área tão importante para a vida humana.

 

A assinalar o Dia do Dador de Sangue pretende-se formar jovens cidadãos para esta causa tão nobre.

 

A Professora GSouto

 

14.06.2016

 

Licença Creative Commons

 

Michelle Brito, a tenista portuguesa que quer vencer

 

 

 

Michelle de Brito &  Ivanovic

crédito: não identificado

http://desporto.redes-sociais.com/

 

Michelle de Brito, a tenista número um portuguesa, 249.ª da hierarquia, venceu a número 7 mundial. a Ivanovic em três 'sets', pelos parciais de 6-3, 3-6 e 7-6 (8-6), em 1:48 horas.

 

À chegada a Birmingham, Michelle de Brito não vencia um encontro do quadro principal do WTA desde que chegou à terceira ronda do 'Grand Slam' de Wimbledon de 2014.

 

 

 

 

Na altura, Michelle de Brito tinha vencido outra ex-número um mundial, a russa Maria Sharapova.

 

A tenista portuguesa, que teve de superar o 'qualifying' para entrar no quadro principal de Birmingham, vai defrontar nos quartos de final a vencedora do encontro entre a eslovaca Daniela Hantuchova, número 77 da hierarquia, e a neozelandesa Irina Erakovic, 90.ª do circuito.

 

 

  

Michelle de Brito

créditos: Jon Buckle/ Getty Images 

http://static.globalnoticias.pt/

 

 

A tenista portuguesa Michelle Larcher de Brito qualificou-se hoje, dia 7 Junho para a segunda ronda do torneio de Nottingham, no seu regresso, quase um ano depois, a uma competição do circuito mundial.

 

Michelle Brito, 249.ª do mundo, bateu a 'convidada' britânica Laura Robson, antiga 27.ª do 'ranking' e actualmente no 308.º posto da hierarquia, por 6-3 e 7-5, em uma hora e 28 minutos.

 

Na próxima ronda, Michelle Brito, que vem da fase de qualificação, vai defrontar a porto-riquenha Monica Puig, quarta cabeça de série, que afastou a chinesa Zhang Kai-Lin, por 6-1, 6-1.

 

A número um portuguesa regressou ao quadro principal de um torneio do circuito WTA, quase um ano depois de ter chegado aos oitavos de final em Birmingham, que se disputa na próxima semana e que é igualmente jogado em relva.

 

Depois da presença nos 'oitavos' em Birmingham, Michelle Brito lesionou-se num pulso na qualificação para Wimbledon, terceiro torneio do 'Grand Slam' da temporada, ficando afastada da competição durante vários meses.

 

 

Michelle de Brito &  Ivanovic

crédito: autor não identificado

http://www.maisfutebol.iol.pt/

 

Infelizmente, Michelle Brito foi afastada na segunda ronda do torneio de ténis de Nottingham, em Inglaterra, que decorre de 4-12 Junho 2016 - women - depois de perder com a porto-riquenha Monica Puig, quarta cabeça de série.

 

A portuguesa estava de volta ao quadro principal de um torneio WTA.

 

Vinda da qualificação do torneio de relva, a portuguesa, 249.ª da hierarquia e que não jogava num quadro principal de um torneio do circuito principal há quase um ano, acabou por perder com Puig, 49.ª do mundo.

 

Este foi o segundo encontro entre as duas tenistas, depois de Michelle Brito ter vencido Puig em 2011, em Bayamon, em Porto Rico.

 

 

Michelle de Brito e João Sousa

http://tenis-portugal.com/

 

Actividades:

 

Pesquisa sobre jovens tenistas portugueses nos torneios mundais. Fazer um resumo da sua evolução no ranking mundial.

 

A consultar o site Ténis Portugal para conhecer os jovens jogadores que andam em competição pelo mundo.

 

A Professora GSouto

 

8.06.2016

 

 

 

 

 

Geração Youtuber : Charlie Puth

 

 

charlie-puth5.jpg

 

Charlie Puth

Rock in Rio Lisboa 2016

créditos: NurPhoto/ Getty Images

http://media.gettyimages.com/

 

Conhecem? Claramente. Charlie Puth é o novo ídolo dos adolescentes. Ou para ser mais exacta, das adolescentes em Portugal e no mundo.

 

Quem pode, marcou presença no seu primeiro concerto em Portugal. E logo no palco principal do Rock in Rio Lisboa que terminou no fim-de-semana passado.

 

 

Charlie Puth

créditos: autor não identificado

http://thumbs.web.sapo.io/

 

Saber + 

 

Eles são o Cristiano Ronaldo ou Avril Lavigne ou Johnny Depp do planeta YouTube. Os famosos 'youtubers' são jovens abaixo dos 20 anos de idade, regra geral, que adoptam 'codinomes' como CharliesVlogs leia-se Charlie Puth que filmam as suas aptências artísticas ou então excentricidades.

 

É o fenómeno youtuber, um movimento mundial que já atraiu o olhar de grandes produtoras de televisão, que vêem nessa plataforma o mesmo êxito que os videoclipes musicais tiveram nos anos 80.

 

 

Charlie Puth

Rock in Rio Lisboa 2016

créditos: Pedro Gomes/ Getty Images

http://media.gettyimages.com/

 

Para centenas de milhares de jovens, a vida acontece no YouTube. Actualmente, o canal atrai mais de 1 bilhão de visitantes por mês, que dedicam 6 bilhões de horas aos vídeos ali colocados.

 

Charlie Puth pertence a esta 'geração youtuber' e tornou-se conhecido por um dos temas que veio tocar a Lisboa. 'Marvin Gaye' que no YouTube apareceu em parceria com Meghan Trainor. Melhor dizendo Marvin Gaye ft. Meghan Tranor.

 

 

 

 

Em estreia em Portugal, o músico de 24 anos (embora pareça mais jovem em atitudes em palco de teenager irrequieto), mostrou-se visivelmente feliz e surpreendido com a plateia maioritariamente feminina e adolescente, que o recebeu em histeria e, entre gritos e choros.

 

Isto faz-nos recuar até aos anos 60 e à histeria das adolescentes da época (hoje avós de alguns de vós) quando nos concertos e presenças dos Beatles.

 

 

Charlie Puth

Rock in Rio Lisboa 2016

créditos: Agência Zero

https://farm8.staticflickr.com/

 

Em palco, com o sol a bater-lhe em cheio, Charlie Puth cantou e tocou ao piano as canções do único álbum editado, já que a maioria das suas canções foram gravadas directamente no seu canal do YouTube.

 

“Nine track mind”. Não faltaram “Marvin Gaye”, “One call away” e “See you again”. Desta última canção que fechou o concerto, disse ter escrito em dez minutos.

 

 

Charlie Puth

Rock in Rio Lisboa 2016

créditos:Pedro Borges/ Getty Images

http://media.gettyimages.com/

 

Os temas, mas em particular estes três, foram recebidos pelos espectadores/ espectadoras de braços no ar e telemóveis na mão prontas a fixar a memória dos momentos que para eles serão inolvidáveis. Sem esquecer a publicação instantânea nas redes sociais de que são fãs.

 

Charlie Puth como bom  YoutTuber  e ‘smartphoner’, pegou no seu smartphone durante o concerto e gravou um curto vídeo que partilhou na rede Snapchat, outra grande rede social que os adolescentes 'praticam' imenso. No final ele e a banda fizeram um retrato com o público.

 

 

Charlie Puth

créditos: autor não identificado

http://thumbs.web.sapo.io/

 

“Há um ano estava no quarto a escrever estas canções e agora estou aqui. Isto é de loucos”.

Charlie Puth

 

Foi o músico que o disse, num dos vários contactos com o público. E desdobrou-se em elogios à beleza das portuguesas. Ora aí está! Delírio total!

 

Hoje, Charlie Puth está também no iTunes, Google Play e Spotify.

 

 

Charlie Puth

Rock in Rio Lisboa 2016

créditos: Pedro Gomes/ Getty Images

http://media.gettyimages.com/

 

O músico que diz cantar em “fachadês”, a sua “língua paterna”, reduziu ao mínimo - ritmos e melodias num sintetizador - canções como “Não pratico habilidades”, “Deus, pátria & família” e “Só te falta seres mulher”. A plateia estava bem composta. Público especial, frequentador do YouTube.

 

 

 

 

O cantor, compositor e produtor musical norte-americano, que tem mais de 2 milhões e meio de subscrições - Wow! - no seu canal do YouTube, através do qual ganhou popularidade, brilhou na cidade do Rock.

 

Actividades:

 

Sim! Uma boa pausa para o tempo de estudo de todos os alunos que se preparam para a avaliação final do ano escolar, ou para exames nacionais.

 

Fundamental fazerem paragens para que o estudo e as revisões sejam mais rentáveis. E uma pausa música é sem dúvida, muito apetecível e anti-stressante.

 

A Professora GSouto

 

01.06.2016

 

Licença Creative Commons