Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Tradições de Páscoa ? Muitas !

 
 
 

pascoa-ovos.jpg

 
Ovos de chocolate
Ovos de chocolate | Tradições Páscoa
 
 
A Páscoa aí está! Já de férias, todos se preparam para saborear as tradcionais doçarias da época: ovos de chocolate, amêndoas, pão-de-ló e o tradicional folar.
 
Tal como o bolo-rei, também o folar se tem modernizado e aparece agora nas pastelarias com sabor a chocolate.
 
Os chocolateiros portugueses são dos mais conceituados, fazendo frente aos chocolateiros franceses, belgas ou suiços. Basta is à Festa do Chocolate de Óbidos para deixamos de ter dúvidas.
 
 
Saber +
 
 
Bom, mas falemos da Páscoa. Já sabemos a origem da palavra Páscoa, a tradição da celebração desta festa que se comemora em todo o mundo, com significados diferentes.
 
 
Sabemos a origem dos ovos de Páscoa. E sabemos também que os países anglo-saxónicos têm uma cultura muito própria. A de esconder ovos pintados (ou de chocolate) pelos jardins para que as crianças os possam encontrar. Uma verdadeira alegria para os mais novos.
 
 
Mas a tradição portuguesa da doçaria desta época do ano é algo diferente. Ouvimos falar do folar que passamos a encontrar em todas as pastelarias.

 

 

 
Folar, bolo tradicional português de Páscoa
 
 
Ir + longe: Folar de Pãscoa
 
 
Segundo os mais velhos, antigamente, apenas se comia folar na Páscoa, bem como as amêndoas, nas suas variedades regionais.
 
 
A expressão 'Amêndoas' tinha a conotação de 'presentes' que se trocavam nesta época. Tal como o folar. Para muitos, 'Folar', era o presente que os padrinhos e madrinhas davam aos seus afilhados na Páscoa.
 
 
 

 

Folar com carnes de Trás-os-Montes

http://images.vidaativa.pt/

 

 
Mas folar, em termos de doce ou iguaria de Páscoa é genericamente uma massa de trigo, com ovos, doce ou salgado.
 
 
Em Trás-os-Montes, o 'folar' é salgado e tem recheio de carnes. Em outras regiões, encontramos os 'folares doces', particularmente no Alentejo  e Algarve, muitas vezes com ovos inteiros na cobertura que cozem em simultâneo.
 
 
Os folares salgados (origem transmontana) e os folares doces (origem algarvia e alentejana) encontram-se agora por todo o país, à venda nas pastelarias, embora a maioria se cinja ao folar pão doce com ovos.
 
 
 

 

Amêndoas de Páscoa

http://www.maimagazine.net/

 
 
Tradições Europa
 
 
A tradição de doces nesta época não é exclusiva de Portugal. Um pouco por toda a Europa, e não só, se celebra a Páscoa com festas de família.
 
 
Por exemplo, na Alemanha faz-se um bolo em forma de cordeiro, e uma 'coroa' de Páscoa de massa de bolo com amêndoas e chocolate e depois é enfeitada com ovos coloridos.
 
 
Em Espanha, as famosas Tortas de Páscoa. Em Itália, os Aros de Páscoa. E em França, os célebres 'Oeufs au chocolat'.
 
 
 

 

Rebuçados Senhor dos Passos

https://saberescruzados.files.wordpress.com/

 
 
Bom, mas voltemos a Portugal. E imaginem que esta semana fiquei a conhecer os rebuçados do Senhor dos Passos! É verdade! Eu que adoro a cidade de Viana do Castelo, e vou lá tantas vezes, nunca tinha ouvido falar destes rebuçados. E conheço bem a tradicional pastelaria que os fabrica. Quem não conhece?

 

Mas vejamos então o vídeo que fala dos 'Rebuçados do Senhor dos Passos, da confeitaria mais tradicional e antiga de Viana do Castelo:

 

 
 
 
 
 
 
Vêem como não estava a brincar? Pois é, os 'rebuçados do Senhor dos Passos' existem mesmo. Sempre a aprender! E é bom partilhar estas tradições antes que se percam com a mundialização.
 
Eu sou a favor da multiculturalidade! Mas cada país deveria preservar as suas tradições, partilhando-as sim com outros países, a nível mundial. Numa troca de saberes. Não acham?
 
 
Então, se forem passar a Páscoa ao Alto Minho, não se esqueçam de passar por Viana do Castelo, e dar um saltito até à pastelaria, quanto mais não seja, para ficarem a conhecer os rebuçados 'Senhor dos Passos' agora dvulgados. Depois digam se gostaram!
 
 

Então, para todos, uma Páscoa feliz, com a família, e com amigos. Comam ovos ou amêndoas de chocolate! Mas essencialmente repartam! Não esqueçam aqueles que não poderão comprar doces ou amêndoas, tanto no nosso país como em muitos outros paises.

 

Boa Páscoa! E claro! Excelentes férias!

 

A Professora GSouto
 
 
27.03.2013

 


Licença Creative Commons
 

Dia da Poesia e da Árvore 2013

 

 

http://www.iplb.pt/

 

Verdade! Já deveriam estar a pensar que ecquecera de assinalar o Dia Mundial da Poesia e da Árvore. Não, não me esqueci- impossível - mas regressei ontem ao final da tarde de Bruxelas e quase não tive tempo de coordenar novo ritmo horário e reoganização de tarefas.

 

Então, como já sabem, o Dia Mundial da Poesia celebra-se sempre a 21 de Março. O Dia Mundial da Poesia foi criado na XXX Conferência Geral da UNESCO em 16 de Novembro de 1999.

 

Dia Mundial da Poesia celebra a diversidade do diálogo, a livre criação de ideias através das palavras, a  preservação da poesia oral, a criatividade e inovação.

 

A data pretende ser uma reflexão sobre o poder da linguagem e do desenvolvimento das habilidades criativas de cada pessoa e de cada povo. Por isso a UNESCO apela para a divulgação da poesia local a nível mundial.

 

" Nos últimos 30 anos tem havido uma forte revitalização do interesse pela poesia, com a proliferação de actividades poéticas no mundo e com um aumento no número de poetas."

 

A poesia contribui para a diversidade criativa, usando as palavras e os nossos modos de perceção e de compreensão do mundo.

 

Eu adoro poesia com sabem! E muitas foram as aulas que dedicamos à Poesia, quer lendo os nossos poetas - e como somos um país de bons poetas! - quer lendo poesia de poetas estrangeiros. quer escrevendo poesia. Até fizemos uma ficha digital sobre o texto poético, lembram?

 

E também criámos textos poéticos, como as quadras de S.João, os pequenos poemas partindo de letras do alfabeto, adivinhas, quadras populares, ou áreas temáticas, tudo isto em ambiente de aprendizagem com jogos.

 

O Dia de S Martinho também nos motivou a escrever curtos poemas que foram expostos em jornais de parede (salas de aulas, corresdores de acesso às salas), depois de lermos o livro digital Histórias de S. Martinho.

 

O ano passado, destacamos o concuros Faça lá um poema! colaboração do Plano de Leitura e do Centro Cultural de Belém, que este ano se repete. Poderão ver o cartaz das actividades propostas para este Dia Mundial da Poesia aqui

 

DiaPoesia13.jpg

 http://www.ccb.pt/

 

Convém não esquecer que hoje se celebra também o Dia da Árvore e o Dia Internacional da Floresta

 

A primeira comemoração do Dia da Árvore teve lugar em 1872, nos Estados Unidos. Depois, rapidamente se expandiu por muitos países a nível mundial. Em Portugal, comemora-se desde 9 Março 1913.

 

Todos nós gostamos muito de árvores. Elas são-nos imprescindíveis no nosso dia-a-dia. Tanto como a poesia.

 

Então para comemorar esta cumplicidade entre a poesia e as árvores, aqui vos deixo este poema de Ricardo Reis que como sabemos é um dos heterónimos de Fernando Pessoa:

 

Segue o teu destino,

Rega as tuas plantas,

Ama as tuas rosas.

O resto é a sombra

De árvores alheias.

 

A realidade

Sempre é mais ou menos

Do que nós queremos.

Só nós somos sempre

Iguais a nós própios.

 

Suave é viver só

Grande e nobre é sempre

Viver simplesmente.

Deixa a dor nas aras

Como ex-voto aos deuses.

 

Ricardo Reis

 

Leia poesia! E plantem uma árvore!

 

A Professora GSouto

 

21.03.2013

 

Licença Creative Commons

Festival do Chocolate em Óbidos

 

 

 

 

Festival Internacional de Chocolate de Óbidos, Portugal

foto: créditos Julie Dawn Fox 

http://i0.wp.com/juliedawnfox.com/  

 

Desde 23 Fevereiro está a decorrer o Festival Internacional de Chocolate de Óbidos, um evento muto doce que vai prolongar-se até 17 Março 2013 na lindíssima vila medieval.

 

Reúna a família e parta com destino à doce vila medieval de Óbidos! Devido ao mau tempo, a organização do festival alterou o arranque do evento para sábado, em vez de sexta-feira, como estava inicialmente previsto.

 

Saber +

 

Este ano, as esculturas do Festival Internacional de Chocolate de Óbidos são inspiradas no filme Charlie e a Fábrica de Chocolate.

 

Lembram-se do filme? Vimos nas aulas de Português para estudarmos o Texto Narrativo e debatermos valores tantas vezes esquecidos, actualmente.

 

 

 

Ir + longe:

 

Festival Internacional de Chocolate de Óbidos acontece essencialmente na Cerca do Castelo de Óbidos.

 

Começa a tua visita pela zona histórica e lá no alto, aprecia como esta vila medieval se decompõe, por entre ruas estreitas e vielas apertadinhas, até às portas da vila.

 

Até lá chegar, procura também o Padrão Camoniano e o Pelourinho. As igrejas de Santa Maria (igreja Matriz) e da Misericórdia estão logo aí. Ao descer, a família pode admirar as lojas de artesanato.

 

Do lado exterior às muralhas avista-se o Aqueduto de Óbidos e da Usseira e, a cinco quilómetros da vila, a Lagoa de Óbidos

 

  

 

 Óbidos vila e muralha | Portugal

http://upload.wikimedia.org/

 

Actividades lazer:

 

Pois bem, aqui temos um convite irrecusável! Vão até lá com a família, inspirem-se e participem num dos quatro cursos de chocolateria, assistam à confecção de receitas “na hora” pelos chefes formadores da Escola de Hotelaria de Turismo do Oeste ou tentem conhecer as Ementas em Chocolate, uma iniciativa que põe alguns dos restaurantes locais a puxar pela imaginação para fazer a melhor sobremesa de chocolate!

 

Mas não se fiquem por aí. Descubram na página das Actividades todas as aventuras possíveis! São imensas e tão divertidas!

 

E porque o festival funciona de sexta-feira a domingo, não se esqueçam de aproveitar o passeio e encher 'mais os olhos do que a barriga'.

 

Vá lá um pouco de chocolate de vez em quando até é bem sudável! Só não vale exagerar como aquele menino, Augustus Gloop, que de tanta gulodice caiu no lago do chocolate na sala do chocolate.

  

 

 

 Festival Internacional de Chocolate de Óbidos

http://www.festivalchocolate.cm-obidos.pt/

 

Se tens irmão aos novos, eles vão adorar! Já viste as coisas fabulosas que se podem fazer em chocolate? Quanta criatividade... e sabedoria.

 

As férias de Páscoa  estão aí. Aproveitem para se divertirem um pouco e conhecer Obidos um dos mais recantos do nosso país em ritmo de fantasia contagiante!

 

Um belo roteiro histórico a juntar à iguaria do chocolate para umas férias bem docinhas.

 

A Professora GSouto

 

10.03.2013

 

 Licença Creative Commons

 

Ler Manuel António Pina

 

 

 

 

Manuel António Pina (1943-2012)

http://sicnoticias.sapo.pt/

 

 

"Os livros são para quem gosta deles..."

 

Manuel António Pina

 

É verdade! Não pude falar de Manuel António Pina, na semana em que morreu (2012). Mas não há momentos específicos.

 

Falar deste escritor que tantos de nós lemos nas aulas de Lingua Portuguesa, por prazer mais do que obrigação de programas de leitura impostos, tantas vezes descontextualizados do perfil actual dos alunos é uma imensa devoção.

 

Lembremos então alguns livros juvenis de Manuel António Pina. E o seu primeiro livro foi “O país das pessoas de pernas para o ar”, publicado em 1973 pela editora Regra do Jogo, criada pelo autor para o efeito dado que na "antiga Assírio e Alvim, ninguém quis”, explicou o autor.

 

  

 

Editores Tcharan (1973)

http://4.bp.blogspot.com/

 

Um país onde as pessoas vivem de pernas para o ar.  Fazendo uso do humor e do nonsense, o livro reúne 4 histórias divertidas: Um Pais onde as Pessoas vivem de Pernas para o Ar; A vida de um peixinho vermelho que escrevia um livro que a Sara não sabia ler; Um menino Jesus que não queria ser Deus; Um bolo que queria ser comido mas que não o foi por causa do pecado da gula.

 

Em cada história deste livro, que teve a sua primeira edição em 1973, Manuel António Pina, autor de um extenso conjunto de livros para crianças e jovens, surpreende-nos e diverte-nos com as narrativas que apresenta. 

 

  

 

 

 

O Inventão (1987)

 http://visao.sapo.pt/

 

"O Inventão" reúne vários textos escritos para uma série de filmes para televisão, que a RTP transmitiu em 1979 e 1980 com o título genérico de "Histórias com Pés e Cabeça".

 

A obra recebeu, em 1987, o "Prémio Calouste Gulbenkian de Literatura para Crianças" e, bem assim, uma menção especial do júri do" Prémio Europeu Pier Paolo Vergerio", da Universidade de Pádua (Itália)

 

Esta nova edição (2003), com que se inaugura a Biblioteca Juvenil do Autor que a ASA acaba de lançar, tem ilustrações de Luiz Darocha e , para além dos textos da edição original, inclui «O Maior Intelectual do Mundo», que é agora pela primeira vez publicado em livro. 

 

 

 

História do Sábio Fechado na sua Biblioteca (2009)

Teatro

http://visao.sapo.pt/

 

Um homem sábio julga que sabe as respostas para tudo, porque vive rodeado de livros cheios de conhecimentos. Ele bem gostava que alguém lhe colocasse uma pergunta à qual ele não soubesse dar a resposta, mas isso nunca acontece. Quando sai cá para fora, para o mundo real, o sábio descobre que, afinal, os seus conhecimentos têm limites. Ou seja, nunca é possível saber tudo sobre o mundo.

  

Os livros falam na língua, do mesmo modo que a língua fala nos livros. “A língua que os livros falam”, belíssima expressão que preside a este Encontro, é e não é a língua comum da fala quotidiana. Se, por um lado, onde não fala o porteiro, deve calar-se o poeta (a expressão é de Umberto Eco), é igualmente certo que a palavra poética não se esgota na língua social. Permita-se-me que me interrogue então sobre o que a palavra poética seja, tentando identificar o que, nela, é [ou acho eu que é] fundamentalmente e hesitantemente infância da língua e que talvez explique a misteriosa sedução que a poesia [e uso aqui o termo ‘poesia’ como metonímia do vasto e problemático conceito de literatura] exerce nas crianças e naquilo que, de criança, persiste irremediavelmente em todos nós [mesmo se mais nuns que noutros…]

 

Manuel António Pina, Encontro sobre Literatura Infantil e Juvenil

 

Gulbenkian, Palavras de Trapos, 2008

  

 

 

Manuel António Pina | Prémio Camões 2011

 http://cadeiraovoltaire.files.wordpress.com

 

Vem a propósito então divulgar uma mostra, intitulada "Manuel António Pina - escrever para vencer os pesadelos e salvar a vida", que integra livros, artigos publicados em jornais e revistas, fotos e referências a prémios que foram atribuídos ao escritor, poeta e jornalista falecido em 2012.

 

A mostra vai estar patente, no átrio central da biblioteca do Instituto Politécnico da Guarda, até ao dia 27 de Março.

 

Segundo Carlos Reis, director da Escola Superior de Comunicação e Desporto do IPG e coordenador da biblioteca, a exposição insere-se no ciclo de iniciativas com que a instituição "pretende homenagear personalidades da região da Guarda que se destacaram no mundo da cultura e da arte, promovendo em paralelo o gosto pela leitura".

 

Fica então a saber que Manuel António Pina nasceu no Sabugal, distrito da Guarda, em 1943, e morreu no dia 19 de outubro de 2012, no Porto, cidade onde viveu desde a sua juventude e que considerava "a sua cidade".

 

Manuel António Pina é autor de poesia, ficção, crónica, literatura infantil e juvenil e de duas dezenas de peças de teatro.

 

Foi distinguido com o Prémio Camões 2011.

 

Manuel António Pina, um marco na literatura infantil e juvenil portuguesa, polémico mas pioneiro, de um estilo único e ousado no panorama da escrita infanto-uvenil da época, ainda hoje tão actual.

 

A leitura torna-se assim uma “escolha pessoal” em que “a literatura não é um general e dançar na discoteca um soldado raso”. “São formas diferentes de felicidade”

 

Manuel António Pina

 

A Professora Gsouto

 

03.03.2013

 

Licença Creative Commons