Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

BlogdosCaloiros

"Em toda a infância houve um jardim - isto é coisa de poetas" Agustina Bessa-Luís | BlogdosCaloiros is my blog in Portuguese Language curriculum. It aims to enhance the lessons using ICT and captivate cultural curiosity

Maria Keil

 

 

 

 

 

Maria Keil 1914-2012

 

http://purl.pt/708/1/

 

Maria Keil, a ilustradora de tantos dos livros  infantis e juvenis que lemos em aulas curriculares de Língua Portuguesa, morreu.  

 

Maria Keil nasceu em Silves no dia 9 de Agosto de 1914. Frequentou o curso de Pintura da Escola de Belas Artes de Lisboa.

 

Deixou uma obra vasta e multifacetada: pintura, sobretudo retratos, publicidade, decoração de interiores, cartões para tapeçarias, pinturas murais a fresco, cenários e figurinos para bailados. selos.

 

São célebres os seus azulejos  que podem ser admirados no Metropolitano de Lisboa, Av. Infante Santo, TAP de Paris e Nova Iorque, União Eléctrica Portuguesa, e em outros locais, um deles em Angola.

 

 

 

 

Sophia Mello Breyner | Maria Keil

ed. Ática

 

http://purl.pt/708/1/

 

Foi também uma ilustradora. E é neste campo que melhor a conhecemos. Ilustrou numerosos livros para crianças: "A Noite de Natal" de Sophia de Mello Breyner Andresen "O Livro de Marianinha" de Aquilino Ribeiro;

 

Ilustrou os livros infantis e juvenis de Matilde Rosa Araújo: "O Cantar da Tila", "As Botas de meu Pai", "O Cavaleiro sem Espada", "História de um Rapaz", "Joana Ana", "O Palhaço Verde" e "Segredos e Brinquedos".

 

"O Lago dos Cisnes" e "A Banhoca da Baleia", de Alexandre Honrado e "Lote 12 2.º frente", de Alice Vieira.

 

Ilustração Maria Keil | ed. Caminho

 http://purl.pt/708/1/

 

 

Maria Keil também escreveu e ilustrou três livros para crianças, "O Pau-de-fileira", "Os Presentes" e "As Três Maçãs"; e dois para adultos, Árvores de Domingo e Anjos do Mal.

 

 

 Maria Keil, escritora| ilustradora

ed. Livros Horizonte

http://purl.pt/708/1/

 

E outros, como Histórias da minha casa, Histórias da minha rua e Histórias de pretos e brancos, de Maria Cecília Correia; ; A Primavera é o tempo a crescer, O Outono é o tempo a envelhecer, O Verão é o tempo grande, O Inverno é o tempo já velho, de Maria Isabel César Anjo; A abelha Zulmira, de Teresa Balté; ; e Do lado de cá das fadas, de Graça Vilhena. 

 

A Biblioteca Nacional consagrou uma mostra à faceta de ilustradora de Maria Keil, numa exposição em 2004 que se desenvolveu em dois espaços distintos. Hoje consta fa Biblioteca Virtual da BN e poderá ser consultada aqui

 

 

 (...) Maria, que suas mãos continuem, por muito tempo, a voar. Menina sábia em sua varanda.

Matilde Rosa Araújo 

 Maria Keil, escritora| ilustradora

ed. Livros Horizonte

http://purl.pt/708/1/images/obras-thumbs/30-m.jpg

 

Não poderia deixar de homenagear Maria Keil, tal como homenageei Ilse Losa. Duas grandes figuras femininas portuguesas que nos habituámos a admirar ao ler as suas obras nas aulas de Língua Portuguesa. 

 

Como em tantas outras aulas lemos Sophia de Mello Breynner,  Matilde Rosa Araújo, Luisa Dacosta, Maria Teresa Gonzalez e tantas autoras e autores, bem como a ilustradora Cristina Valadas

 

 

A Professora GSouto

 

13.06.2012

 

Licença Creative Commons

 

 

Referências:

 

Maria Keil, Ilustradora na Biblioteca Nacional

Dia Mundial da Criança: vamos ouvir Jules Verne

 

 

 

Viver ciência

http://viveraciencia.files.wordpress.com

 

O Serviço Educativo da Casa da Música assinala o dia Mundial da Criança, hoje, dia 1 de Junho, com um concerto intitulado Verne – 20 mil músicas submarinas, um espectáculo que tem como ponto de partida a icónica obra de Jules Verne, "20 mil léguas submarinas". O escritor francês pioneiro na escrita de ficção científica integra assim o país tema da programação de 2012 - França. 

 

 

 

 

Jules Vene

http://2.bp.blogspot.com/

 

Saber+

 

Escrito em 1870, a obra-prima de Jules Verne é uma ficção científica criada, talvez, essencialmente pelo prazer de Verne em misturar os seus conhecimentos científicos e geográficos, com a sua fantástica habilidade para a escrita.

 

Verne - 20 mil músicas submarinas vai contar com duas apresentações públicas, a 2ª amanhã, 1 Junho, pelas 11:00 horas e 14: 30 horas, culminando assim um projecto artístico e formativo com o mesmo nome, que envolve cerca de cinquenta professores.

 

 

 

 

Vinte mil léguas com música

http://1.bp.blogspot.com

 

Ir + longe:

 

Imersos no imaginário do consagrado autor, o palco vai encher-se de música com a ajuda de instrumentos-escultura onde predominam sonoridades recheadas de aventura. 

 

Os artistas, finalistas da formação homónima - professores e educadores - revelam neste concerto o seu lado performativo muitas vezes adormecido.

 

Durante a formação, os participantes são desafiados a empregar novas metodologias e estratégias de ensino na sala de aula que são partilhadas durante as sessões.

 

Paralelamente são arquitectados os momentos deste espectáculo aquático. Ao leme estão Ricardo Batista, António Serginho e Paulo Coelho de Castro. Palavras de Mário Alves e elementos cénicos de Patrícia Costa. Podes visitar o blogue do projecto aqui

 

Como não conseguimos adivinhar o resultado sonoro do espectáculo de dia 1 de Junho, escolhemos outro tipo de banda sonora para esta entrada: a música chama-se Jules Verne, e integra o álbum Moon (1991) da banda electrónica holandesa Peru:

 

 


 

Jules Verne

mélodies inédites

http://jvernept.blogspot.pt/

 

Jules Verne! Sim! Este mesmo a quem Google dedicou um Doodle em 8 Dezembro 2011, para celebrar o extraordinário autor francês. Ora acontece que Verne foi também um apreciador de música. Deixou mesmo uma série de canções escritas.

 

Em 2005, quando se celebrou o centenário da morte (2012). 

 

O centenário da morte do escritor francês, foi lançado em França o disco Jules Verne - mélodia nédita - foi lançado em França o disco Jules Verne - mélodies inédites que divulga canções escritas por Verne

 

 

 

 

 

Para os que puderam assistir, foi sem dúvida um espectáculo original que juntou música, ciência e ecologia.

 

 A Professora GSouto

 

01.06.2012

 

Licença Creative Commons